Paraguai se prepara para regulamentar mercado de criptomoedas em 2020

2s Comentários

bandeira do paraguai e moeda de bitcoin

O Paraguai está se preparando para regulamentar o mercado de criptomoedas no primeiro semestre de 2020Em uma tentativa de “controlar” o mercado de criptomoedas no país, o Paraguai decidiu auditar os livros das empresas de criptomoedas que atuam no setor.

Na semana passada, o chefe de combate à lavagem de dinheiro (AML) do país, começou uma investigação sobre criptomoedas em todo o país. Com essa auditoria nas empresas do setor de criptomoedas, o Paraguai já está se preparando para regulamentar o mercado de criptomoedas em 2020.

De acordo com a pesquisa obrigatória, todos os provedores de serviços de ativos virtuais (VASPs) no país devem revelar seus livros ao governo. O Secretário Ministro Christian Villanueva disse:

“Os dados obtidos serão usados ​​para medir o nível de adoção, a complexidade e o tamanho do mercado de ativos virtuais do Paraguai. Elaborará um regulamento que os regule adequadamente e mitigue o risco de abuso ”.

Vale destacar que o mercado de criptomoedas atualmente tem um volume de cerca de 6,8 milhões de negociações. O banco central do país, sempre foi relativamente neutro quanto as criptomoedas e alertava apenas que a moeda guarani era completamente legalizada no país. Com essa auditoria, o país pretende regular o setor até o primeiro semestre do próximo ano.

A Força-Tarefa de Ação Financeira (GAFI) já vinha dando sinais de que pretendia agir e tomar medidas nesse sentido quando emitiu diretrizes junho para os VASPs. A recomendação das diretrizes do GAFI ampliou os parâmetros de referência para incluir as criptomoedas na categoria dos “ativos virtuais”.

O governo está sendo mais rigoroso e tornando essa medida obrigatória. De acordo com as novas regras, o regulador planeja tornar o registro obrigatório para mineradores , escritórios de negociação de balcão (OTC), exchanges e outros VASPs. De acordo com os órgão regulador do país, isso fortalecerá os protocolos de combate ao financiamento do terrorismo (CFT) e prevenção contra a lavagem de dinheiro (LBC).

“Antes que o governo se posicionasse sobre criptomoedas, o setor bancário paraguaio estavam perseguindo mineradores, traders e exchanges, negando-lhes atendimento. Eles tinham “a desculpa perfeita” para negar as ferramentas financeiras básicas para quem é do ramo das criptomoedas, como contas bancárias”.

“Os bancos alegavam que pelo fato dos VASPs (provedores de serviços de ativos virtuais) não serem regulados pelo SEPRELAD, não estavam sob a égide da lei, portanto podiam considerá-los um risco”.

De acordo com Jorge Ramírezs, os VASPs, armazenam muito dinheiro em cofres privados, o fundador do serviço OTC Cripex. Ramírez e Canova afirmam que os membros da indústria já estão envolvidos em autogovernança. No entanto, a lei não permite que eles façam isso. Ramirez conclui:

“Aqui no Paraguai, nos auto-regulamos. E instituímos o mesmo nível de conformidade que os bancos têm com seus clientes quando se trata de KYC e AML ”.

Clique aqui para ler: Ripple é a segunda empresa mais valiosa do setor de criptomoedas

Mantenha-se informado todos os dias sobre Bitcoin! Se inscreva em nossas redes sociais:

Investir é especulativo. Ao investir seu capital está em risco. Este site não se destina a uso em jurisdições em que a negociação ou os investimentos descritos são proibidos e só devem ser usados por essas pessoas e de maneiras que sejam legalmente permitidas. Seu investimento pode não se qualificar para a proteção do investidor em seu país ou estado de residência, portanto, conduza sua própria devida diligência. Este site é gratuito para você usar, mas podemos receber comissões das empresas que apresentamos neste site. Clique aqui para obter mais informações.