HomeEthereum Classicminerar ethereum classic

Como minerar Ethereum Classic em 2021

Ethereum Classic (ETC)
...
Câmbios 24h
...
Câmbios 7 dias
...
Valor de mercado
...

A mineração é a base da prova de trabalho das criptomoedas, tal como acontece com o Ethereum Classic. Com a mineração, uma rede de criptomoedas pode processar blocos de transações e adicioná-los ao blockchain e, assim, ajudar a manter a rede segura.

Algumas moedas permitem a mineração independente (mineração individual), enquanto outras são extraídas através de uma “mining pool” (piscina de mineração). Assim, antes de começar, é fundamental compreender fatores como “hash rate” (taxa de hash) e dificuldade de mineração. Neste tutorial, damos uma visão geral abrangente destes fatores, para que você saiba como minerar o Ethereum Classic.

Explicando a mineração do Ethereum Classic

Brevemente, a mineração do Ethereum Classic deverá ganhar uma tração maciça, já que o blockchain principal do Ethereum passará para seu novo mecanismo consensual de prova de consumo. Muitos mineradores de Ethereum podem ser forçados a mudar para o blockchain do ETC. As seções abaixo explicam em detalhes o que é a mineração do Ethereum Classic, incluindo como funciona seu mecanismo consensual de prova de trabalho (PoW). Destacamos também algumas limitações da mineração desta moeda.

O que é a mineração do Ethereum Classic?

O Ethereum Classic é uma criptomoeda que depende da mineração, assim como outras moedas do tipo PoW, como o Bitcoin e o Litecoin.

Como uma plataforma descentralizada de código aberto, nenhuma entidade central tem controle sobre seu livro razão. Neste caso, qualquer pessoa é bem-vinda a participar da criação de novas moedas, sendo este processo alcançado através de uma rede de computadores que concordam com a validade das transações e, portanto, das moedas recém-criadas.

Para minerar um novo bloco, um minerador deve ser o primeiro a encontrar um valor específico em um “hash" (código) chamado "nonce". Os mineradores precisam efetuar inúmeros cálculos dentro de um tempo de geração de bloco de 15 segundos, tentando adivinhar o "nonce" para criar o bloco.

Quando um minerador encontra este valor, ele anuncia o novo bloco ao resto dos mineradores. O processo de verificação termina então com a adição de um novo bloco à cadeia principal do blockchain. O minerador que resolve o difícil problema computacional desbloqueia uma recompensa de bloco sob a forma de novas moedas de ETC. Eles também ganham receita na forma de taxas de transação anexadas ao bloco recém-inaugurado.

Porque é que os mineradores de Ethereum Classic são tão importantes?

A mineração é o mecanismo descentralizado pelo qual o Ethereum Classic assegura a rede, e para consegui-lo, a rede precisa de mineradores. São os mineradores que empregam seu poder computacional para processar transações e proteger a rede contra ataques de 51% (gasto duplo).

Para que aconteça um ataque de gastos duplos, um interveniente malicioso procura gastar a mesma unidade monetária digital mais de uma vez. Os ataques ocorrem quando um minerador desonesto reorganiza o blockchain e rouba fundos, ou gasta o que já foi gasto.

Na maioria das vezes, os gastos duplos ou ataques de 51% são um problema sofrido por cadeias de bloqueio menores que têm muito pouco poder de computação ou uma hashrate baixa. Quando fica fácil reunir mais da metade do poder computacional total das redes, torna-se mais fácil para os agentes desonestos executarem um ataque de 51%.

Para se protegerem contra tais ataques destrutivos, as redes de blockchain dependem de uma rede dispersa de mineradores. Os mineradores são incentivados a trabalhar em conjunto para identificar transações válidas, sendo que todas as transações não verificadas são desconsideradas. Fornecer um incentivo, como a emissão de novas moedas, ajuda a compensar os mineradores e motiva-os a continuar usando sua energia para proteger o blockchain.

Limitações da mineração do Ethereum Classic

O Ethereum Classic votou para fixar seu fornecimento máximo em um limite de 210 700 000 ETC em dezembro de 2017. A criptomoeda, portanto, adotou uma política monetária que implica que só haverá aquela quantidade fixa de moedas ETC em circulação. Nenhuma entidade pode mudar isso, ou imprimir mais para mitigar crises econômicas, tal como os governos fizeram recentemente com as moedas fiduciárias.

Quanto ao ETC, as moedas recém-criadas entram em circulação a cada 15 segundos, com recompensas para os mineradores por bloco também reduzindo os tempos. 

Ao contrário do Bitcoin que reduz as recompensas por blocos pela metade (50%) a cada 210 000 blocos, o protocolo do Ethereum Classic permite uma redução de 20% nas recompensas por blocos a cada 5 000 000 blocos. Durante a última redução, a recompensa foi reduzida de 4 ETC para 3,2 ETC. A próxima redução de blocos - de 3,2 ETC para 2,56 ETC - é definida para a altura dos 15 000 000 blocos. Espera-se que isto seja alcançado por volta de abril de 2022.

Com a economia dos tokens ajudando o Ethereum Classic a lidar com a inflação, outra coisa a ser observada é que este mecanismo funciona dentro das regras protocolares de dificuldade da rede. Também chamada de dificuldade de mineração, esta é uma característica do processo de mineração que permite ajustes de quão difícil é encontrar um novo bloco e adicioná-lo ao blockchain. 

A dificuldade aumenta ou diminui com os mineradores, o que significa que ela se ajusta no sentido descendente se o número de mineradores baixar e no sentido ascendente se o número subir. Tudo isso acontece para manter o tempo de geração do bloco dentro do limite de 15 segundos.

Dicas para minerar Ethereum Classic de forma eficiente para gerar lucros

Não há nenhum truque universal para a mineração de criptomoedas, mas como nossa pesquisa demonstrou, há dicas que podem ajudá-lo a acertar. Para minerar o Ethereum Classic de forma mais eficiente e para obter lucros regulares com isso, você precisa fazer duas coisas: investir em uma boa plataforma de mineração e, em seguida, juntar-se a uma respeitável piscina de mineração de Ethereum Classic. O primeiro garante que você tenha mais “hash" para contribuir para a “pool" e o segundo ganhará novas recompensas de blocos regularmente, das quais você poderá ganhar pagamentos de acordo com sua participação no poder de computação.

Explicação dos aspetos técnicos da mineração do Ethereum Classic

Os aspetos técnicos da mineração de criptomoedas podem ser um pouco confusos. Contudo, deve-se ressaltar que é possível minerar moedas sem mergulhar profundamente na nitreza técnica da mineração. É por isso que esta seção simplificará dois aspectos-chave da mineração: o hashrate e o poder de processamento. Conheça-os abaixo, e saiba quanto poder de processamento é necessário para a mineração do Ethereum Classic.

O hashrate do Ethereum Classic, simplificado

O que significa hashrate?

Hashrate refere-se simplesmente a uma medida do poder computacional que uma rede de mineradores utiliza para proteger uma cadeia de blocos. A métrica também mede a potência de computação de um dispositivo de mineração e a velocidade na qual um minerador pode calcular e transmitir o bloco correto.

Como é medido o hashrate?

O hashrate é medido em hashes/segundo, o que leva em conta o número de cálculos possíveis por segundo usando a determinada potência computacional.

O hashrate é frequentemente acompanhado por prefixos comuns como K (quilo), M (mega), G (giga), ou T (tera).

  • 1KH/s significa 1,000H/s
  • 1 MH/s significa 1,000 KH/s
  • 1 GH/s significa 1 000 MH/s
  • 1 TH/s significa 1 000 GH/s, 1000,000,000,000 H/s

Gigahashes por segundo (GH/s) significa 1 bilhão de hashes, terahashes por segundo (TH/s) significa 1 trilhão de hashes, e petahashes por segundo (PH/s) significa 1 quadrilhão de hashes.

Por que é importante um hashrate mais elevado?

Para os mineradores, ter acesso a um alto hashrate significa aumentar a capacidade de mineração para novas moedas. Isto também se aplica ao Ethereum Classic, que viu a mineração se tornar mais difícil e menos eficiente para dispositivos com menor hashrate.

Um alto hashrate para a rede Ethereum Classic também é crucial, já que isso se traduz em mais mineradores contribuindo para a segurança da rede.

O Ethereum Classic sofreu dois ataques de 51%, em 2019 e 2020, porque seu hashrate total era muito menor, permitindo que agentes mal intencionados tomassem o controle e executassem os ataques. O hashrate aumentou desde então, e mais mineradores estão se unindo à rede, à medida que a principal cadeia de blocos do Ethereum abandona os protocolos de mineração PoW. Atualmente, o hashrate da rede Ethereum Classic está em 8,18 TH/s.

Poder de processamento: CPU e GPU

Na mineração, o poder de processamento está relacionado com a rapidez com que o processador de seu computador trabalha para obter novas moedas. Quanto mais potente for seu processador, mais hashrate é provável que forneça.

Nos primeiros tempos, os mineradores dependiam do poder de processamento de seus computadores de nível doméstico para extrair as criptomoedas. Portanto, ter uma boa unidade central de processamento (CPU) era suficiente para iniciar a mineração. 

Entretanto, à medida que as criptomoedas começaram a atrair mais pessoas e mineradores, o poder de processamento aumentou. O CPU já não era tão eficiente e os mineradores voltaram-se para a unidade de processamento gráfico (GPU). Estas placas de vídeo ofereciam maior velocidade de processamento e continuavam a funcionar bem com a mineração de várias criptomoedas, incluindo o Ethereum Classic.

Algumas moedas, contudo, precisavam de hashrates muito mais altos, e a indústria acolheu matrizes de portas de campo programáveis (FPGAs). Estes dispositivos ofereciam maior velocidade de mineração com menor consumo de energia do que as GPUs. Mas mesmo isso não era bom o suficiente quando o hashrate da rede Bitcoin cresceu exponencialmente, levando ao desenvolvimento de dispositivos de mineração ainda mais potentes, denominados de mineradores de circuitos integrados de aplicação específica (ASICs).

Os ASICs são muito potentes e podem oferecer mais de 100 TH/s, várias vezes mais do que GPUs. A mineração com CPU é agora em grande parte obsoleta após uma explosão na dificuldade de mineração para a maioria das moedas.

Seja a mineração com GPU ou ASIC que você está considerando, você precisa observar que estes dispositivos geram muito calor. Você precisa verificar o resfriamento, pois isso pode ser a diferença entre mineração lucrativa e perda de equipamento devido ao superaquecimento.

Hashrate necessário para minerar Ethereum Classic de forma rentável

Estima-se que a mineração de 1 ETC consome cerca de 440 MH/s de potência de processamento de uma plataforma de mineração GPU. Atualmente, o hashrate de rede do Ethereum Classic é de 8,18 TH/s, o que é bastante baixo comparado com o local onde estava em janeiro de 2020. Entretanto, com os mineradores da Ethereum prontos para recorrer ao ETC com o advento do Eth 2.0, o hashrate poderá apresentar um crescimento significativo.

Este baixo hashrate é, na verdade, bom para futuros mineradores, pois permite a mineração com GPU, tornando-a atrativa para novos mineradores que procuram obter alguma exposição rápida à mineração. Você pode ver o hashrate do ETC ao longo do tempo no gráfico abaixo.

Gráfico do hashrate do Ethereum. Fonte: TokenView

Prós e contras da mineração de Ethereum Classic

Prós

Compatível com mineração com GPU, sendo ótimo para mineração individual
Você ganha recompensas em ETC que podem ser liquidadas ou guardadas para lucro futuro
Equipe dedicada ao desenvolvimento que visa orientar a moeda para a adoção global
Continua a ser minerável até que todas as moedas sejam liberadas
Amplamente aceito e apoiado nas principais bolsas, tornando fácil a venda ou a negociação

Contras

A concorrência significa que é provável que os ganhos sejam reduzidos
Você pode perder dinheiro se os preços caírem, tal como acontece no mercado das criptomoedas
Há o potencial de ataques de 51%, porque o hashrate da rede ainda é relativamente baixo

Tutorial de mineração do Ethereum Classic – Como começar?

Saber como começar a mineração é sempre a principal questão. Nós analisamos aqui a facilidade com que você pode montar uma operação de mineração de ETC, com detalhes sobre que tipo de hardware e software é melhor para a mineração de Ethereum Classic. A questão do custo é fundamental e nós indicamos o que você precisa considerar antes de começar.

Melhor hardware para minerar Ethereum Classic

Neste momento, o hardware mais popular para a mineração de Ethereum Classic é o GPU. Tal como já foi mencionado acima, a mineração com CPU é obsoleta, tendo feito com que os mineradores buscassem as melhores placas gráficas da Nvidia e da AMD. Para entender por que a mineração com GPU é melhor, vamos explicar a atualização do Ethereum Classic que mudou seu algoritmo de mineração.

O Ethereum Classic é uma moeda de prova de trabalho, cujo algoritmo de cálculo depende dos mineradores para proteger a rede. Inicialmente, a criptomoeda utilizava o algoritmo de mineração Ethash, que ao longo do tempo havia visto o desenvolvimento dos mineradores ASIC. Como tal, era fácil para alguém alugar o poder do hash de NiceHash e usá-lo na mineração de ETC, com alguns agentes malvados tirando vantagem disso para executar ataques de gastos duplos.

Entretanto, isso mudou em 2020 quando os desenvolvedores do ETC ajustaram o algoritmo e introduziram o mecanismo de consenso Etchash para evitar o uso de equipamentos especializados na mineração da cadeia.

As mudanças ocorreram através do hard fork “Thanos”, implementado em novembro de 2020, com o Ethereum Classic dificultando a mineração de ETC com ASICs que haviam sido projetados para Ethash. Isso também significava que os mineradores não podiam alugar o poder de hash a fornecedores de Ethash, como NiceHash, para minerar moedas ETC.

Notavelmente, a atualização levou a uma redução no tamanho do arquivo DAG da rede. Com a redução do tamanho do DAG, as GPUs com menos RAM (3 ou 4 GB) foram capazes de cunhar novos blocos, o que deve continuar até que o tamanho do arquivo signifique que os usuários precisem atualizar.

Quando se trata de hardware, as melhores GPUs são aquelas placas gráficas de alta qualidade que acondicionam um poder de processamento decente para a mineração. As Nvidia RTX 3090, GeForce GTX 1080 e GTX 1080 Ti são as melhores escolhas. Você também pode minerar usando placas AMD, incluindo a Radeon VII que armazena até 105 MH/s por GPU.

Você precisa de cerca de 6 destas GPUs para montar um equipamento decente que lhe permitirá extrair o Ethereum Classic. Como tal, o custo dependerá da placa gráfica, com custos que variam de 500 a mais de 3500 dólares.

Outros custos a considerar

Outro requisito para o hardware é o RAM, com um mínimo de 3GB de RAM, como observado acima.  Uma unidade de fornecimento de energia é outra exigência financeira que você precisa considerar no custo total. Por exemplo, uma simples unidade de fornecimento de 850 watts como o Corsair HX lhe custará 198 dólares, o que pode aumentar se você precisar de mais de um. Fora isso, você precisa de um sistema de resfriamento e uma placa-mãe. Uma vez instalada a sonda, os custos de eletricidade serão aplicados, sendo que o conselho é garantir que você minere em uma região que oferece eletricidade barata para aumentar a rentabilidade.

Comece a minerar!

Você está pronto para começar a mineração assim que o hardware for instalado. O próximo passo é baixar e instalar o software de mineração.  Há várias opções de software para os mineradores de ETC, mas as melhores são GMiner e NBMiner. Outras opções incluem Claymore Dual Ethereum, Ethminer, e MinerGate. Certifique-se de que o software suporta suas GPUs e funciona em seu sistema operacional escolhido.

Assim que você tiver o software de mineração, junte-se a uma equipe de mineração e então configure o software para adicionar seu endereço e o endereço da carteira através do qual você receberá recompensas de mineração. Algumas das principais pools de mineração a serem consideradas para a mineração ETC são Ethermine.org, f2pool, MiningPoolHub, Nanopool, e 2Miners.

Soluções e serviços de mineração

A mineração é uma competição, o que significa que você está constantemente se desafiando a ser o primeiro a resolver o quebra-cabeça matemático e a ganhar a recompensa do bloco. Mas isto pode ser bastante complexo e, portanto, não lucrativo, especialmente se você decidir pela mineração isolada.

Por que é provável que seja este o caso? O sucesso da mineração depende de seu hashrate, e quanto maior for, maiores serão suas chances de ganhar a recompensa do bloco. Assim, um indivíduo que procura minerar usando uma simples GPU pode minerar ETC, mas teria dificuldade para competir contra uma grande exploração ou piscina de mineração, em busca do mesmo bloco de transações. É por isso que, como minerador, você está mais bem posicionado para minerar Ethereum Classic como parte de uma equipe de mineração.

As piscinas de mineração são serviços que permitem aos mineradores combinar seu poder computacional e trabalhar em conjunto para extrair ETC. É diferente da mineração individual, onde você trabalha sozinho. Pense desta forma - se você começar a mineração e conseguir zero blocos, então sua recompensa será zero.

Em uma piscina de mineração, você recebe uma parte das recompensas do bloco proporcional ao poder computacional que você contribui para o processo de mineração. Se você contribuir com 5% do poder do hash, você receberá um pagamento equivalente a 5% das recompensas do bloco 3.2 ETC que são ganhas (mais taxas de transação se a piscina de mineração também compartilhar a receita obtida com as taxas).

Lembre-se de que diferentes piscinas de mineração oferecem planos de pagamento diferentes. Muitos utilizam o plano de pagamento por ação (PPS), que garante uma renda regular, quer a piscina minere ETC com sucesso, quer não. Um esquema de pagamento integral por ação (FPPS) é semelhante ao PPS, só que os mineradores também recebem uma parte das taxas de transação.

Ao procurar uma piscina de mineração, considere as taxas de adesão da piscina, o hashrate total, a localização dos servidores e os mineradores ativos. Procure também sua reputação nas análises dos mineradores, sendo que as piscinas de mineração mais descentralizadas oferecem, muitas vezes, uma melhor opção.

Se você quiser, você também pode experimentar a mineração de Ethereum Classic na nuvem, que funciona bem para aqueles que não querem adquirir hardware nem encontrar eletricidade barata para cortar nos custos da mineração.

Os serviços de mineração em nuvem permitem que você compre contratos de mineração, com a mineração propriamente dita e o funcionamento de hardware de mineração feito por terceiros. Este terceiro é um fornecedor de mineração que opera grandes centros de dados e aluga seu poder de hash para a mineração de ETC. Basta pagar por um contrato e começar a mineração.

Entretanto, tome cuidado com os riscos potenciais relacionados a contratos não lucrativos e com o fato de seu contrato estar bloqueado no tempo. Portanto, se os preços caírem significativamente e seu contrato não tiver lucros, você não poderá optar por não participar do negócio e provavelmente perderá seu dinheiro.

Um dos melhores prestadores de serviços em nuvem da ETC é a Eobot. Embora existam outros serviços que atendem a várias moedas, a Eobot se distinguiu como um respeitável serviço de mineração em nuvem de Ethereum Classic.

É de fácil acesso, oferece contratos de mineração a preços competitivos e tem um ótimo histórico de pagamentos. Você pode obter um contrato de mineração de Ethereum Classic por um ano, 5 anos, ou mesmo 10 anos, se desejar.

Onde guardar minhas moedas após a mineração?

A mineração de Ethereum Classic é semelhante a outras moedas mineráveis, o que significa que você precisa de um lugar seguro para armazenar a criptomoeda minerada. É por isso que você precisa montar uma carteira segura para o seu ETC. Há várias opções de carteira para escolher, mas qualquer que seja a seleção que você faça, precisa garantir o mais alto nível de segurança. As carteiras mais recomendadas que você pode conferir estão listadas abaixo.

1
Depósito mínimo
$50
Promoção exclusiva
Nosa Pontuação
10
Plataforma premiada de negociação pelas criptomoedas
11 métodos de pagamento, incluindo o PayPal
Regulamentado pela FCA & Cysec
Começar a negociar
Métodos de Pagamento:
Transferência bancária, Transferência bancária
Full Regulations:
CySEC, FCA
2
Depósito mínimo
$1
Promoção exclusiva
Nosa Pontuação
9.3
Os mundos carteira hardware mais popular
Comprar, gerenciar e proteger a sua criptografia em um lugar
Compatível com mais de 100 + cryptocurrencies
Começar a negociar
Métodos de Pagamento:
Cartão de crédito, BitPay
Full Regulations:
3
Depósito mínimo
-
Promoção exclusiva
Nosa Pontuação
8.7
Os mundos carteira hardware mais popular
Comprar, gerenciar e proteger a sua criptografia em um lugar
Compatível com mais de 100 + cryptocurrencies
Começar a negociar
Métodos de Pagamento:
Cartão de crédito, BitPay, PayPal
Full Regulations: