Grupo Bitcoin Banco anuncia que vai voltar a funcionar

1 Comente

O Grupo Bitcoin Banco, GBB, foi uma das histórias mais infames do criptomercado brasileiro durante o ano de 2019. A empresa que dominava diferentes exchanges de criptomoedas, como a NegocieCoins e TemBTC, prometia a possibilidade de os clientes realizarem “arbitragem infinita” para maximizar seus lucros sem nenhum limite.

Como é de se imaginar, muita gente acusou o sistema de pirâmide e não demorou muito para os saques serem travados e milhares de pessoas ficarem no prejuízo. Os motivos para o fim dos negócios da plataforma foram muitos, desde problemas com hackers até sabotagem interna.

Vários clientes moveram processos contra o Bitcoin Banco para conseguir reaver o dinheiro que foi investido e que estava bloqueado. Porém, o GBB entrou com um processo de recuperação judicial que foi aceito pela justiça.

A juíza Mariana Gluszcynski Fowler Gusso decidiu nesta quarta-feira sobre o pedido de recuperação judicial do GBB.

A juíza não apenas aprovou o processo de recuperação, como também decidiu suspender todas as ações e execuções movidas contra o grupo. Isso quer dizer que os clientes que tinham processos abertos, incluindo os que já estavam com causa ganha, não poderão mais recuperar os valores judicialmente.

 

Como comprar Ripple no Brasil

 

A situação está bem complicada para os clientes, mas curiosamente o GBB pegou muita gente de surpresa anunciando que vai retomar as suas atividades. De acordo com o site CriptoFácil, as plataformas de troca pertencentes ao grupo, a NegocieCoins e TemBTC, serão divididas.

Isso dará inicio a dois novos produtos diferentes. Uma das plataformas que será originada da divisão vai seguir as regras da recuperação judicial aceita pela justiça, já a outra será usada para dar continuidade à negociação de criptomoedas e também “adesão de novos produtos.”

O comunicado não deixa claro como a divisão vai funcionar, mas ao que dá a entender, uma plataforma vai assumir a recuperação judicial para que a outra possa operar livremente, novamente captando clientes e aportes.

Vale ressaltar que no fim da notícia eles avisam que, para usar a nova plataforma, será necessário um novo cadastro. Provavelmente isso indica que os valores travados nas antigas plataformas não serão utilizados nessa nova.

O comunicado não deixa nada claro e, considerando o que aconteceu com o GBB no passado, é difícil acreditar que alguém vá apostar novamente na marca.

Ainda segundo o CriptoFácil, a assessoria de imprensa do grupo disse que as novas plataformas “são movimentos planejados a partir desse novo momento pautado pela recuperação judicial” e que mais informações serão divulgadas em momentos oportunos.

Veja também: Maior banco da Tailândia faz parceria com a Ripple

Mantenha-se informado todos os dias sobre Bitcoin! Se inscreva em nossas redes sociais:

Investir é especulativo. Ao investir seu capital está em risco. Este site não se destina a uso em jurisdições em que a negociação ou os investimentos descritos são proibidos e só devem ser usados por essas pessoas e de maneiras que sejam legalmente permitidas. Seu investimento pode não se qualificar para a proteção do investidor em seu país ou estado de residência, portanto, conduza sua própria devida diligência. Este site é gratuito para você usar, mas podemos receber comissões das empresas que apresentamos neste site. Clique aqui para obter mais informações.