O que é Bitcoin?

16s Comentários

criptomoedas

 

O Bitcoin conquistou a imaginação pública nos últimos anos. Ele fez algumas pessoas ricas, foi alvo de investigações sobre crimes cibernéticos e revolucionou a forma como as pessoas pensam sobre o dinheiro. Muitos governos ainda não sabem realmente o que fazer a respeito. 

1. Como tudo começou

Quando anunciou o Bitcoin no final de 2008, Satoshi Nakamoto disse que tinha desenvolvido “um sistema de dinheiro eletrônico Peer-to-Peer”, ou seja, que fosse de pessoa pra pessoa.

A tecnologia Peer-to-Peer (P2P) permite o compartilhamento de arquivos de mídia digital usando um programa de software P2P que procura outros computadores conectados na mesma rede para localizar o conteúdo desejado. Os nós (peers) dessas redes são computadores de usuários finais ou servidores de distribuição.

Até a invenção de Satoshi, essa tecnologia estava sendo utilizada para compartilhar livros, música, filmes e jogos. O compartilhamento de uma moeda digital, totalmente descentralizada utilizando essa tecnologia, foi uma revolução.

2. Como funciona o Bitcoin?

Para entender o seu funcionamento, devemos voltar à definição da rede P2P, pois a moeda digital é exatamente isso: registros criptografados de entradas e saídas em um banco de dados descentralizado que são compartilhados.

Os usuários enviam e recebem Bitcoins, transmitindo mensagens assinadas digitalmente para a rede P2P. As transações são registradas em um banco de dados público, replicado e distribuído, conhecido como Blockchain.

O uso do Bitcoin simplifica as transferências de recursos entre duas pessoas ou instituições. Essas transações são facilitadas pelo uso de chaves de segurança públicas e privadas e realizadas com taxas mínimas de processamento, permitindo que os usuários evitem as altas taxas cobradas pelos bancos e outras instituições financeiras.

Leia também Bitcoin e Blockchain!

3. Os principais benefícios

É um meio de pagamento fácil, irreversível e anônimo, que revolucionou a política monetária, pois eliminou o controle que os bancos centrais assumem sobre a inflação ou deflação da moeda de um país.

Veja alguns dos seus principais benefícios:

 Irreversível: após a confirmação, uma transação não pode ser revertida.
 Anônimo: nem as transações nem as contas estão conectadas às identidades dos usuários.
 Rápido e global: as transações são propagadas quase instantaneamente na rede e são confirmadas em alguns minutos.
 Seguro: os fundos estão bloqueados em um sistema de criptografia de chave pública. Somente o proprietário da chave pode enviar Bitcoins.
 Liberdade de uso: o software é gratuito. Depois de instalá-lo, você pode receber e enviar.

O Bitcoin é um ativo seguro contra influências políticas, que promete preservar e aumentar seu valor ao longo do tempo. Também é considerado um meio de pagamento rápido e confortável, com alcance global.

4. Onde usar Bitcoins?

Um dos fatores que contribui para a valorização de uma moeda é o quanto ela é aceita. A aceitação da criptomoeda vem crescendo no mundo todo. Hoje existem cerca de 13 mil estabelecimentos no mundo e 200 no Brasil que a aceitam como forma de pagamento.

No início de 2018, o Shopping Paço Alfândega, em Recife, passou a aceitar Bitcoin em todas as suas lojas. Overstock, Microsoft e Dell também aceitam a criptomoeda como forma de pagamento. E, com a adesão do PayPal, as possibilidades de compra com Bitcoin aumentaram exponencialmente.

5. Como adquirir a criptomoeda?

Há vários meios de se obter. Aqui mencionamos os jeitos mais comuns: Comprar, minerar ou ganhar.

a. Comprar Bitcoins

O primeiro passo é configurar uma rede de pagamento com contas e transações. Quando sua conta estiver ativa, você pode comprar Bitcoin para criar o saldo inicial. Há diversas formas de comprar essa moeda e começar a investir em Bitcoins.

Corretoras online conhecidas como exchanges trocam dinheiro de outras moedas e convertem para Bitcoin. Em suas plataformas, elas ensinam passo a passo o que é Bitcoin e como comprar Bitcoins, o processo é muito simples: você cria sua carteira de digital, compra a criptomoeda e então você pode transferir facilmente pra sua carteira digital ou negociar na plataforma deles, comprando na baixa e vendendo na alta.

b. Minerar Bitcoins

O que significa minerar Bitcoin? A segurança, integridade e balanço dos registros do Bitcoin são mantidos por uma comunidade de mineradores: usuários em geral que usam seus computadores para ajudar a validar e temporizar transações, adicionando-as a Blockchain de acordo com um esquema definido de temporização. Por esse trabalho, os mineradores são recompensados com Bitcoins.

c. Ganhar Bitcoins grátis

Se você se munir de tempo e paciência, poderá acumular Bitcoin grátis. Diversos sites trocam Bitcoins — ou melhor, Satoshis, que são as frações dessa moeda — por alguma ação de seus usuários, como visualizações de anúncios, respostas a pesquisas, cliques, apostas… Aqui no Guia do Bitcoin você encontra um artigo completo sobre como ganhar Bitcoins grátis. Lá estão todos os sites que pesquisamos e os links para cada um deles.

Leia também nosso artigo sobre como investir em Bitcoin!

Leia também  Augur (REP) sobe 10% após entrar na Binance, desafiando queda geral do mercado

6. A evolução do valor do Bitcoin

Quando surgiu no mercado, em 2008, o Bitcoin valia menos de 1 dólar. Em 2017, chegou ao seu auge, atingindo o patamar mais alto, quase 20 mil dólares. Em 2018, teve uma queda e chegou a atingir uma mínima de 3.500 mil dólares. A cotação do Bitcoin pode mudar de uma hora para outra, por isso é bom ficar sempre de atento para fazer o melhor negócio.

7. Quais são os tipos de carteira?

Agora que você já sabe o que é, está na hora de aprender como ter uma carteira, pois é nela que você irá armazenar suas moedas digitais.

Aqui fizemos um artigo explicando detalhadamente os vários tipos de carteira Bitcoin, mas as principais são:

  • Carteiras móveis: são as carteiras para celular, como MyCellium, Breadwallet e Bitcoinwallet
  • Carteiras de desktop: para usar no computador, como Bitcoin Core, Electrum e BitGo
  • Carteiras hardware: dispositivos físicos com alto nível de segurança, como Trezor e Ledger Nano
  • Carteiras online: simples de usar e muito flexíveis, como Xapo, BlockChain e Coinbase, mas estão dentro das menos seguras.
  • Carteiras em papel: sites que oferecem o diferencial de imprimir sua carteira, como BlockChain e BitcoinPaperWallet.com

8. Qual o futuro do Bitcoin?

O Bitcoin está ganhando adeptos importantes da indústria tradicional. O banco Goldman Sachs, por exemplo, anunciou que vai oferecer contratos futuros em Bitcoin para seus clientes, outro grande banco, o JP Morgan também anúnciou que pretende negociar Bitcoin. Outro grande evento é a aprovação da ETF do Bitcoin, vale destcar que já é dada como certa a aprovação dessa ETF pela SEC.

No início de agosto 2018, a Intercontinental Exchange (ICE), proprietária da Bolsa de Valores de Nova York (NYSE) anunciou que listará os contratos futuros de Bitcoins liquidados fisicamente e formará uma nova companhia cuja missão é transformar a criptomoeda no principal ativo financeiro. Uma nova plataforma, chamada Bakkt, foi desenvolvida em parceria com grandes empresas como Microsoft, Starbucks e BCG.

“O Bitcoin simplifica muito a movimentação global de dinheiro e tem potencial para se tornar a primeira moeda mundial”, disse Jeffrey C. Sprecher, fundador, chairman e CEO da ICE em entrevista para a revista Fortune.

A revolução já está acontecendo e o Bitcoin está mudando o mundo. Você pode ficar ao lado e observar, ou pode se tornar parte dessa história.

9. Conclusão: O Bitcoin é uma bolha ou bom investimento?

Alguns analistas colocaram a questão da veracidade da moeda. O Bitcoin seria realmente dinheiro ou uma bolha financeira, que poderia estourar a qualquer momento e deixar os investidores no prejuízo?

Diversos fatores sustentam a moeda como um verdadeiro ativo financeiro:

  • Possibilidade de compra e venda: é requisito básico de qualquer moeda, poder comprar e vender bens e serviços com ela; e a lista do que se pode comprar com Bitcoin só tem aumentado dia após dia.
  • Escassez: a tecnologia empregada limita a circulação das moedas, o que nos leva ao segundo fator — quanto menor a oferta de Bitcoin no mercado, mais ele será valorizado.
  • Segurança: é outro requisito básico de transações financeiras e o Bitcoin, com a tecnologia blockchain, é uma das moedas mais seguras do mundo.

Por tudo isso, acreditamos que não é uma bolha. A moeda veio realmente para ficar e fazer parte do dia a dia das pessoas de todo o mundo.  Acreditamos que ela seja a evolução dos métodos de pagamento. A tendência é que o comércio físico passe a usá-la como moeda de troca para seus produtos. Quanto mais o Bitcoin for aceito, mais pessoas começarão a comprar a moeda, com a oferta menor e uma demanda maior, a valorização da moeda digital é só uma consequência.

 

Leia também  ShapeShift agora exige informações de KYC

 

Quer saber como comprar Bitcoins? Leia esse artigo!