Venezuela vai vender petróleo usando a criptomoeda Petro

0 Comentários

A Venezuela vem tentando utilizar as tecnologias de criptomoedas e blockchain para conseguir controlar parte das sanções aplicadas pelos EUA. As sanções foram um dos principais fatores para o crescimento da inflação avassaladora que prejudica o país há alguns meses.

A solução principal foi o desenvolvimento e a criação da Petro, uma criptomoeda com lastro em petróleo e que seria utilizada para as negociações de petróleo do país sem a necessidade da intervenção do dólar.

O projeto vai ter continuidade nesse ano, com o governo anunciando que vai aumentar os ativos que podem ser comprados com a criptomoeda estatal. De acordo com o site El Nacional, o governo de Maduro agora vai vender Petróleo utilizando o Petro.

Segundo o jornal o presidente foi citado dizendo:

“Nós vamos vender o petróleo venezuelano em Petro. Nós já estamos vendendo minério de ferro e aço com a criptomoeda. Agora nós assinamos um contrato para a venda de petróleo, aço, ferro, alumínio e nós também vamos vender parte da produção de ouro em Petros.”

Como muitos sabem, a Venezuela passa por uma das piores inflações da história, o que deixou a sua população em situação de emergência. Em teoria, caso a criptomoeda Petro conseguisse superar a necessidade do dólar, a situação poderia ser amenizada.

 

Cotação Ethereum: qual é o preço do Ethereum hoje?

 

Porém, como sempre vale a pena mencionar, a inflação também é culpa da má administração do país, que é o mesmo governo que administra o Petro, portanto, até o momento as incertezas sobre o sucesso da moeda são muitas.

Aceitação do Petro na Venezuela

Recentemente surgiram notícias de que a maior loja de departamentos do país estava aceitando a Petro como forma de pagamento. Além disso, o governo disponibilizou parte da aposentadoria de servidores e de bônus de fim de não em Petro, tudo para aumentar a aceitação da criptomoeda.

O governo também forçou que os principais bancos do país passassem a ter soluções ligadas à criptomoeda. A ideia é que a adoção seja forçada ao invés de orgânica, como aconteceu com todas as outras criptomoedas.

Existem muitas dificuldades relacionados ao uso da Petro, com uma reportagem do Uol mostrando que algumas pessoas tiveram que ficar 7 horas em filas para poder gastar as moedas.

Considerando que cada Petro vale cerca de US$60 dólares, a moeda tem uma supervalorização dentro de uma economia tão fragilizada. Com isso o interesse pela moeda pode aumentar.

Porém, o projeto não demonstrou ser confiável o suficiente e o dólar está começando a ser mais utilizado que a Petro por lá.

Veja também: Bitcoin começa o ano batendo recorde de hashrate

Mantenha-se informado todos os dias sobre Bitcoin! Se inscreva em nossas redes sociais:

Investir é especulativo. Ao investir seu capital está em risco. Este site não se destina a uso em jurisdições em que a negociação ou os investimentos descritos são proibidos e só devem ser usados por essas pessoas e de maneiras que sejam legalmente permitidas. Seu investimento pode não se qualificar para a proteção do investidor em seu país ou estado de residência, portanto, conduza sua própria devida diligência. Este site é gratuito para você usar, mas podemos receber comissões das empresas que apresentamos neste site. Clique aqui para obter mais informações.