HomeSeis startups de blockchain foram selecionadas para programa de inovação

Seis startups de blockchain foram selecionadas para programa de inovação

julho 17, 2020 By Nicholas Say

Dos 100 pioneiros da tecnologia selecionados pelo Fórum Econômico Mundial, seis eram startups de blockchain.

O Fórum Econômico Mundial (WEF) seleciona 100 empresas todos os anos como parte do programa Pioneiros em Tecnologia, e este ano, seis eram empresas de blockchain. As seis empresas são Chainlink, Elliptic, Lighting Labs, MakerDAO, Ripio e Veridium Labs.

A Chainlink está trabalhando para aprimorar a experiência do usuário através do melhor uso de contratos inteligentes, abordando o problema da Oracle.

Os smart contracts são capazes de executar contratos digitais à prova de violações, mas precisam saber quais informações podem ser usadas para efetivamente executar um contrato. A Chainlink está trabalhando para fazer com que contratos inteligentes interajam perfeitamente com dados do mundo real.

A Elliptic trabalha com tecnologia que pode detectar e realizar atividades fraudulentas na esfera das criptomoedas – e está em desenvolvimento desde 2013.

Melhores soluções bancárias

A Lightning Labs desenvolveu ferramentas para consumidores e empresas enviarem e receberem Bitcoin mais rapidamente do que os sistemas tradicionais de pagamento, como Bitpay e Coinbase. A Lightning Network também é escalável, auxiliando outras startups do setor.

A Ripio é uma startup com o objetivo de fornecer instrumentos financeiros tradicionais para aqueles que não têm acesso aos bancos – criou uma rede de crédito ponto a ponto usando a estrutura dos contratos inteligentes da Ethereum para facilitar empréstimos na Argentina, Brasil, Espanha e México.

O Blockchain está sendo adotado pela indústria Fintech, o Veridium Labs aplica a tecnologia blockchain a ativos ambientais tokenizados, como crédito de carbono, a fim de proteger o meio ambiente. O método é descrito pela empresa como “compensação de carbono facilitada“.

Apenas o começo

Muitos países, principalmente a China, estão reconhecendo os benefícios da blockchain e estão trabalhando para desenvolver a tecnologia em larga escala.

Em 2018, o presidente Xi Jinping estabeleceu o blockchain como uma força motriz para sua indústria de tecnologia. Desde então, a China fornece suporte contínuo para a tecnologia. A nação forneceu fundos para apoiar várias startups de blockchain e criou oportunidades para elas crescerem.

No entanto, uma das grandes diferenças entre a China e muitas outras nações é que o Reino do Meio não permitirá o uso e desenvolvimento de ativos descentralizados que o Estado não pode controlar. Ao limitar o tipo de ativos que podem ser desenvolvidos, a China pode estar se machucando a longo prazo.

No final de junho, a Suíça decidiu não alterar as leis tributárias sobre o desenvolvimento da blockchain e não tributar as receitas derivadas de criptomoeda. Esta é uma oportunidade perfeita para uma startup de blockchain crescer em um ambiente favorável.