HomeFundador da OneCoin pode pegar até 90 anos de prisão

Fundador da OneCoin pode pegar até 90 anos de prisão

novembro 14, 2019 By Soraia Barbosa

Konstantin Ignatov, co-fundador do suposto golpe de criptomoedas OneCoin, se declarou culpado de participação na fraude de vários bilhões de dólares. De acordo com um relatório da BBC  do dia 14 de novembro, Ignatov assinou um apelo no dia 4 de outubro.

Agora ele enfrenta uma pena de até 90 anos de cadeia. A notícia foi divulgada inicialmente no dia 12 de novembro, logo após o julgamento de Konstantin, segundo a BBC.

Depois de ser preso no Aeroporto Internacional de Los Angeles em março de 2019, Ignatov se declarou culpado de várias acusações, incluindo lavagem de dinheiro e fraude.

Enquanto ele pode ficar até 90 anos atrás das grades, ele ainda não foi condenado e, alegadamente, não enfrentará outras acusações criminais por seu papel na OneCoin, exceto possíveis violações de impostos.

Como relatado anteriormente, o OneCoin é conhecido como um grande golpe de saída aplicado em investidores da criptomoeda, um golpe muito parecido com o que a BitConnect realizou.

Fundada em 2014, a empresa sediada na Bulgária permanece totalmente operacional até o momento, apesar das alegações dos investigadores de que levantou 4 bilhões de euros através de um claro esquema de Ponzi, segundo a BBC.

Além disso, durante o apelo à corte, Ignatov teria fornecido mais detalhes contra sua irmã e a co-fundadora da OneCoin, Ruja Ignatova, também conhecida como “cryptoqueen” e atualmente foragida da justiça.

Como comprar Bitcoin no Brasil

Enquanto testemunhava no julgamento contra Mark Scott, que supostamente ajudou a lavar quase US$400 milhões via OneCoin, Ignatov disse ao tribunal que sua irmã obteve um passaporte e passagens para a Áustria e a Grécia a partir da sua casa na Bulgária.

Ignatov disse que Ignatova considerava os críticos da OneCoin “haters” e temia que alguém próximo a ela fosse entregá-la ao FBI. Ignatov também disse que havia contratado um investigador particular para encontrar Ignatova, acrescentando que não falava com ela desde que ela desapareceu.

Conforme relatado pelo Cointelegraph, Ignatov testemunhou no dia 6 de novembro que, depois que sua irmã fugiu, o pessoal de segurança que a acompanhava lhe disse que ela havia se encontrado com apoiadores russos. Ele também testemunhou no mesmo dia que a sua irmã estava sob a proteção de algum “rico e poderoso” da Rússia.

Os líderes da OneCoin continuam sendo investigados pelo FBI, porém, as acusações que botaram a polícia atrás deles são a de fraude e sonegação de impostos, o que quer dizer que os investidores enganados podem não reaver o dinheiro tão cedo.

Pirâmide KaratGold Coin é proibida na Alemanhã

Tags: