HomeColômbia olha para blockchain para se manter competitiva globalmente

Colômbia olha para blockchain para se manter competitiva globalmente

agosto 20, 2020 By Nicholas Say

Reconhecendo que o país está atrasado, um ministério colombiano pede a adoção de tecnologia cripto e blockchain

À medida que o blockchain e criptomoedas se tornam mais aceitos e integrados ao redor do mundo, a Colômbia está procurando adotar a tecnologia após seu endosso pelo Ministério de Tecnologia da Informação e Comunicações da Colômbia (MinTIC).

A agência federal publicou um documento de 88 páginas apelidado de Guia para o uso e implementação da Tecnologia de Razão Distribuída (DLT/Blockchain) no setor público, descrevendo como utilizar a natureza disruptiva da tecnologia e as desvantagens que ela apresenta para as instituições governamentais.

Outra postagem no site da MinTic discute como o país está ficando para trás na adoção da nova tecnologia em comparação com seus pares europeus e outras nações, como Estados Unidos, Emirados Árabes Unidos, Canadá e China.

Como o blockchain pode melhorar o setor público

O guia detalhou como o blockchain pode melhorar a eficiência de 10 serviços públicos diferentes:

  1. Registros de saúde
  2. Registros de negócios
  3. Pagamento em cripto
  4. Registro de terras
  5. Votação
  6. Gerenciamento de dados de identidade
  7. Redes de fornecimento
  8. Arquivamento de diploma acadêmico
  9. Gestão tributária
  10. Gestão de licitações públicas

Esses serviços podem alavancar o blockchain em três aspectos principais – segurança, transparência e contratos inteligentes.

As informações em um blockchain são criptograficamente bloqueadas e imutáveis, evitando que os dados sejam manipulados ou removidos.

Além disso, os contratos inteligentes podem reduzir a quantidade de papelada com que os governos precisam lidar, que geralmente exige muita mão de obra, é cara e está sujeita a erros humanos.

Embora existam alguns detratores, quando o blockchain foi usado por governos no mundo real, os resultados foram encorajadores.

Um ótimo modelo

Um exemplo primário de adoção de blockchain nacional é a China. Após o discurso de seu presidente em 2018 defendendo o desenvolvimento de blockchain, o país liderou seus esforços na implementação e adoção da tecnologia de blockchain nos setores público e privado.

Em julho, Pequim integrou com sucesso a blockchain com 140 serviços governamentais – o que teve resultados positivos. Por meio da automação com contratos inteligentes, houve redução de 40% na papelada e aumento da eficiência.

Além disso, o desenvolvimento de blockchain governamental pode desempenhar um papel importante durante crises econômicas, como o Covid-19, permitindo a conexão ininterrupta entre as agências governamentais e reduzindo os custos operacionais para ambas as partes.

A China acredita que, com muitos aplicativos sendo digitalizados, isso poderia economizar tempo e acelerar a recuperação econômica pós-pandemia. O tempo dirá se esta será uma estratégia vencedora.