HomeChina proíbe as criptomoedas mais uma vez

China proíbe as criptomoedas mais uma vez

novembro 25, 2019 By Soraia Barbosa

No último mês a China praticamente dominou todas as notícias do mercado de criptomoedas. Alguns dos desenvolvimentos que aconteceram por lá foram responsáveis por grandes movimentações positivas e negativas, principalmente no Bitcoin.

Esse momento em que o governo está adotando várias ações e realizando pronunciamentos sobre a criptomoeda e a tecnologia blockchain em geral ainda não acabou.

Durante o final e o começo dessa semana a China tomou ações para fechar todas as exhanges de moeda digital no país, criando um momento conturbado para o mercado. Porém, a tal ação, que está sendo chamada de “Crypto Crackdown” não é exatamente uma novidade para o país.

Enquanto a China apoia muito a tecnologia de blockchain, o país é bastante averso às criptomoedas e passou algum tempo reprimindo o setor. A China é um país que ainda vive um sistema de controle social alarmante, o que seria prejudicado pelo fim do controle monetário.

Por isso, existe muita preocupação com as criptomoedas dentro da nação asiática.

Agora, parece que as autoridades elevaram essa repressão a um nível mais alto, de acordo com um tweet recente de uma empresa chinesa de blockchain, CnLedger, que citou um relatório do Banco Popular da China (PBoC). O tuíte diz:

“Notícias urgentes: As 173 plataformas chinesas de negociação e emissão de token de moeda virtual foram fechadas”, citação do recém-lançado China Financial Stability Report (2019) do PBoC.”

Há cerca de um mês, o presidente chinês Xi Jinping endossou publicamente a tecnologia blockchain, implorando ao país para explorar totalmente suas ofertas e todas as vantagens possíveis.

 

Veja como comprar Bitcoin no Brasil

 

Na época, isso teve um impacto no criptomercado, com muitas pessoas apontando para o anúncio de Jinping como um catalizador para o bom momento do Bitcoin. Embora este anúncio tenha alterado significativamente o clima da blockchain no país, muitos foram rápidos em apontar que a positividade do presidente não tinha nada a ver com Bitcoin ou quaisquer outros ativos, e a posição do governo sobre eles não mudou.

Recentemente, o canal de mídia estatal CCTV1 da China mostrou um discurso do presidente Jinping, que continuou a posição pró-blockchain, mas classificou especificamente as criptomoedas como um esquema de Ponzi.

Com as notícias recentes, agora está muito claro que a China está disposta a voltar à sua posição anti-criptografia e está gradualmente fazendo o que pode para impor isso.

Há também a possibilidade de as autoridades estarem simplesmente tentando eliminar todas as formas de concorrência, à medida que se aproximam do lançamento da moeda digital do banco central chinês (CBDC).

O encerramento de todas as exchanges pode ter alguns efeitos sérios no mercado de Bitcoin e criptomoedas em geral.

A China, mesmo com seu clima desfavorável às criptomoedas, ainda é facilmente um dos locais mais vibrantes do mundo para o setor, especialmente na mineração. Se o governo continuar sufocando as criptomoedas, um efeito cascata provavelmente deve ser esperado nos movimentos de preços.

E para o longo prazo?

Bom, muita gente está preocupada com o que isso represente para o Bitcoin, mas como foi bem lembrado pelo RadarBTC através de seu feed de notícias pelo e-mail, essa é a 4ª vez que a China faz algo parecido.

O Bitcoin, e todo o setor na verdade, resistiu e sobreviveu, sempre voltando a novas altas após a China tentar acabar com o setor no país.

“O foco dos investidores é o halving, portanto faltam motivos pra “queimar cartucho” agora, fazendo com que caia no vazio. Fique atento ao hashrate: se tivermos uma queda acentuada (30% ou mais) antes do halving, a sinalização será ruim”

Veja também: Tether e Bitfinex são processadas mais uma vez por manipulação do Bitcoin

Mantenha-se informado todos os dias sobre Bitcoin! Se inscreva em nossas redes sociais:

Tags: