Banco Central da China promete impulsionar Blockchain em 5 anos

1 Comente

O Banco Popular da China (PBoC) está lançando novos detalhes sobre um próximo plano de 5 anos focado em desenvolver sua estratégia para avançar o uso de tecnologia Blockchain no setor financeiro nacional do país.

De acordo com o anúncio do banco central, o PBoC pretende impulsionar ativamente o desenvolvimento de novas tecnologias, como Blockchain e AI. Ele também planeja fortalecer suas pesquisas sobre aplicações de Fintech na regulação, Cloud Computing e Big Data.

O comunicado de imprensa enfatiza que, de 2016 a 2020, o PBoC tomará medidas para ajudar a indústria financeira da China a adotar reformas econômicas.

Em geral, o plano pretende apresentar as seguintes metas para a indústria de tecnologia financeira:

  1. Estabelecer uma infraestrutura líder mundial;
  2. Facilitar inovações no setor financeiro;
  3. Implementar a estratégia de padronização do setor financeiro;
  4. Melhorar a competência e gestão do sistema de segurança da rede financeira.

Olhando de forma mais ampla, o anúncio, embora ainda não seja totalmente público, é o sinal mais recente de que o Banco Central da China está investigando ativamente o potencial da tecnologia blockchain.

Em janeiro passado, foi relatado que o banco testou uma moeda digital baseada em Blockchain, e desde então começou a pressionar por regras de valores mobiliários de Blockchain e a publicar trabalhos de pesquisa sobre esses estudos.

Via: Coindesk
Tradução: Guia do Bitcoin

Investir é especulativo. Ao investir seu capital está em risco. Este site não se destina a uso em jurisdições em que a negociação ou os investimentos descritos são proibidos e só devem ser usados por essas pessoas e de maneiras que sejam legalmente permitidas. Seu investimento pode não se qualificar para a proteção do investidor em seu país ou estado de residência, portanto, conduza sua própria devida diligência. Este site é gratuito para você usar, mas podemos receber comissões das empresas que apresentamos neste site. Clique aqui para obter mais informações.