HomeA lei de Bitcoin de El Salvador enfrenta a resistência dos moradores locais

A lei de Bitcoin de El Salvador enfrenta a resistência dos moradores locais

O ceticismo em torno da adoção planejada do Bitcoin por El Salvador como moeda corrente continua crescendo, com uma pesquisa recente revelando que muitos não estão de acordo com ela

Uma esmagadora maioria dos salvadorenhos não aprova o Bitcoin, pelo menos de acordo com uma pesquisa recente. A pesquisa realizada pelo Instituto de Opinião Pública da Universidade Centro-Americana (UCA) revelou que 7 em cada 10 cidadãos de El Salvador não estão particularmente entusiasmados com a próxima lei Bitcoin. Ela foi realizada em agosto e os resultados refletem os da pesquisa realizada pela Disruptiva em julho. 

O país centro-americano passou por críticas e apoio desde que o presidente Nayib Bukele revelou planos de adotar o Bitcoin como moeda. Embora a mudança represente um marco significativo, várias instituições financeiras e economistas encontraram falhas com ela. Bukele, o presidente especialista em tecnologia, afirmou que a "aposta" do Bitcoin será positiva para o país.

Os resultados da pesquisa UCA chegaram menos de uma semana antes de a legislação BTC ser promulgada. Houve muita oposição sobre o assunto, com alguns salvadorenhos levando a resistência às ruas. Na sexta-feira, um grupo de manifestantes se reuniu em San Salvador para protestar contra o projeto de lei que entrará em vigor em 7 de setembro.

A pesquisa também mostrou que 20% dos salvadorenhos não confiam no ativo digital. Dos indivíduos entrevistados, 43% concordaram que a economia geral de El Salvador se deterioraria após a adoção do ativo digital como moeda. Apenas 17% dos entrevistados confiam na melhora da economia.

Bukele já anunciou que a adoção seria facilitada por meio de um aplicativo de carteira Bitcoin denominado 'Chivo'. A recepção da carteira está longe de ser boa, pois os resultados da pesquisa revelam que há pouco interesse nela. O mesmo vale para os $30 grátis em BTC que o governo prometeu no lançamento.

A maioria (65%) dos participantes da pesquisa afirmou não ter interesse na carteira, com apenas 5,5% respondendo positivamente. Também há grandes lacunas de conscientização, pois 9 em cada 10 habitantes locais têm pouco ou nenhum conhecimento do ativo. Três quintos dos participantes contestaram o uso de fundos públicos para facilitar a adoção. A diferença era noite e dia na questão de se o uso de Bitcoin deveria ser opcional ou obrigatório. Um número impressionante de 96% dos entrevistados concordou com a opção anterior de uso do Bitcoin como voluntário.

Embora as descobertas pareçam inclinar-se para um lado, é importante notar que a pesquisa envolveu apenas 1.281 pessoas. Como tal, pode não pintar necessariamente uma imagem precisa do que acredita toda a população de 6,5 milhões de pessoas.

Aceita clientes dos EUA
Plataforma premiada de negociação de criptomoedas
Grande variedade de ativos de criptografia
Abra sua conta agora!

Usamos cookies para personalizar conteúdos e anúncios, fornecer recursos de mídia social e oferecer a você uma experiência melhor. Ao continuar navegando no site, ou clicando em "OK, obrigado", você aceita o uso de cookies.