Trezor diz que vai investigar carteira fria mostrada por Maduro

0 Comentários

Nicolás Maduro, o presidente da Venezuela, exibiu em um canal estatal (com o vídeo sendo postado no Facebook e YouTube posteriormente) uma suposta carteira fria da Trezor a exibição foi realizada na TV à Corporação de Televisão da Venezuela.

Além da carteira mostrada nas mãos do presidente, também foi exibido um estande da Trezor em uma suposta feira de tecnologia. De acordo com um vídeo do Facebook publicado na página de Maduro, o líder expressou que o seu governo tem uma atitude bem receptiva sem em relação às criptomoedas.

Até mesmo a notícia exibida pelo canal de TV denota esse tom receptivo, com a reportagem orgulhosamente chamada de “Empresas privadas de criptomoedas operam na Venezuela.”

Só tem um problema com a apresentação do presidente. Apesar de ter exibido com bastante foco os produtos da Trezor, a empresa negou publicamente ter enviado qualquer um de seus funcionários ou representantes para o país ou para participar com um estande de qualquer feira de tecnologia.

 

“Nós não estamos associados a nenhum revendedor de dispositivos Trezor na Venezuela. Infelizmente, nós não sabíamos desta feira tecnológica e o revendedor não nos contatou antes, durante ou após o evento. Nós estamos investigando esta questão.”

Eles declararam ainda que as investigações sobre os falsos ‘revendedores’ da carteira da Trezor foram abertas e deixaram claro através de um tweet que eles não têm vendedores na Venezuela.

 

Como comprar Bitcoin no Brasil

 

Claro, isso levou as pessoas dentro da comunidade a especular o que poderia estar acontecendo, com a maioria apontando para um revendedor Trezor não licenciado. Aparentemente, a empresa da “Trezor” (Ou Trezoro, como os membros da comunidade estão se referindo ao produto) tem uma presença online no Instagram e no Facebook, na qual se refere ao site oficial da Trezor para enganar clientes desavisados.

A declaração oficial da Trezor sobre o assunto observa que a Trezor Venezuela era inicialmente uma revendedora licenciada de seus produtos até junho de 2019. O provedor de carteira digital acrescentou que não possui filiações políticas na Venezuela e não participou da feira de tecnologia realizada com a presença de Maduro.

Confira o vídeo na íntegra:

 

Em entrevista para o CriptoFácil Jefferson Rondolfo, revendedor oficial da Trezor no Brasil e proprietário da loja online KriptoBR, falou que os venezuelanos precisam ter cuidado com a tal carteira.

Segundo Rondolfo, a Trezor entrou em contato com ele para pedir ajuda para tentar entender a situação.

“Um grande detalhe válido de ressaltar é o modelo escolhido, a Trezor One, uma vez que é de conhecimento público a existência de diversas falsificações deste modelo.

Isso pode ser algum tipo de scam aplicado pelo governo venezuelano. Recomendamos sempre atenção especial pois, para sua segurança, produtos oficiais só podem ser adquiridos diretamente junto à fábrica ou ao Revendedor Oficial do seu país.”

Veja também: China reverte proibição de criptomoedas e agora quer dominá-la

Mantenha-se informado todos os dias sobre Bitcoin! Se inscreva em nossas redes sociais:

Investir é especulativo. Ao investir seu capital está em risco. Este site não se destina a uso em jurisdições em que a negociação ou os investimentos descritos são proibidos e só devem ser usados por essas pessoas e de maneiras que sejam legalmente permitidas. Seu investimento pode não se qualificar para a proteção do investidor em seu país ou estado de residência, portanto, conduza sua própria devida diligência. Este site é gratuito para você usar, mas podemos receber comissões das empresas que apresentamos neste site. Clique aqui para obter mais informações.