Sem dinheiro no Irã? Não tema! – Um Caso da Vida Real

O mundo está constantemente mostrando suas presas para diferentes pessoas ao redor do globo. Por muitas vezes nos deparamos com casos de pessoas que precisam de ajuda em países com idioma desconhecidos pra grande maioria, sem nenhuma pessoa conhecida e, no pior dos casos, sem nenhum dinheiro. Foi nesse cenário que Marian Muller se encontrou no Irã.

Em um post feito no Medium, o analista AML e entusiasta de criptomoedas relata sua experiência em passar vários dias em um país onde cartões de créditos convencionais não são aceitos.

Muller, nunca anda com dinheiro em espécie e sua única forma de transação financeira, na grande maioria das vezes, é com uso de cartões como Monzo e Revolut, mas ele não contava com as sanções econômicas que são impostas em todo território iraniano, onde nenhuma banco pode aceitar transações financeiras de instituições norte americanas ou europeias. Então ele se deparou em uma situação onde ele era estrangeiro, em um país cujo o qual ele não conhecia ninguém e agora também sem dinheiro.

Leia também  Uma das maiores fabricantes de caixas eletrônicos do mundo anuncia suporte a Bitcoin

Tudo poderia está perdido e Muller estaria realmente em maus lençóis se não fosse a famosa criptomoeda, conhecida como o ouro digital. Em busca de uma forma de conseguir dinheiro, ele encontrou no famoso site p2p localbitcoin, Reza, um desenvolvedor de aplicativos em Teerã, capital do Irã, que aceitava bitcoin como forma de pagamento.

Eles se encontraram e o desenvolvedor aceitou vender Rials Iraniano em troca de bitcoins, o que salvou a vida e a viagem dele. O Bitcoin é uma das poucas opções que lhe permitem realizar negócios internacionalmente, diz Reza e tem mudado a vida de muitas pessoas no Irã.

Reza e sua esposa em Teerã. Depois de me ajudar, eles me convidaram para participar de um Dizi, um jantar tradicional persa.

Alguns dias depois, em um cyber café, Muller conseguiu trocar mais bitcoins por dinheiro com um web designer chamado Saeed. Ele também trabalha com clientes nos exterior, como em países como os EUA, que usam o Bitcoin como forma de pagamento aos seus serviços.

Leia também  Co-fundador da Bitcoin Foundation: Não tenham medo, as criptomoedas são o futuro

Não é difícil encontrar histórias como a de Marian Muller, Reza e Saeed, pessoas diferentes mas que tem algo em comum, o uso de bitcoin como facilitador, meio e transformado de vidas.

Lembrando que você pode ler toda a história de Muller no Medium dele, o link está aqui.

E você? Já teve sua experiencia surreal ou no mínimo atípica por causa do bitcoin ou alguma outra criptomoeda? Deixe sua história aqui nos comentários.

loading...

Meetup discutirá sobre blockchain e criptomoedas no Rio de Janeiro

O 2º Meetup sobre criptomoedas e blockchain do Rio de Janeiro será realizado nesta terça-feira. É uma ótima oportunidade para todos que ainda não estão neste universo ou agregar mais…

0 Comentários

Google: Bitcoin está entre assuntos mais buscados do ano

As pessoas estão procurando mais notícias sobre o Bitcoin ou Coreia do Norte? De acordo com dados do Google, Bitcoin está no topo. Conforme mostrado no “Pesquisas do ano 2017”, o Bitcoin ficou em…

0 Comentários
Vai ficar de fora?
Para manter-se atualizado sobre novidades, ofertas e dicas, informe-nos que você gostaria de receber atualizações por e-mail inserindo seu endereço de e-mail e clicando para se inscrever. Como usamos as suas informações?​

INSCREVER
close-link