Professor da China explica em site razões do fechamento das exchanges

Yang Dong, professor da Universidade Renmin da China, ofereceu sua interpretação do por que os reguladores estão fechando as exchanges. Dong tem dois empregos na instituição: ele é vice-diretor da Faculdade de Direito e dirige a área focada em tecnologia e segurança na Internet.

De acordo com o jornal China Finance Online, em entrevista à CCTV, Dong deu sua opinião sobre por que os reguladores estão fechando as exchanges de Bitcoin no país. Basicamente, o primeiro dos pontos centra-se na concessão de licenças, porque de acordo com o professor, para realizar seus negócios, as instituições financeiras são obrigadas a obter sua certificação pelas comissões que regulam, bancos e as seguradoras na China. Dong relatou:

   “Atualmente, as plataformas de negociação de criptomoedas no país não possuem licença, o que se traduz em grandes riscos comerciais”.

O segundo fatores é a própria natureza do Bitcoin. Nas palavras do professor: “O mecanismo de limitar a quantidade de bitcoins usando um código específico é pelo menos controverso. O algoritmo em questão pode ser manipulado.”

Leia também  Empresa sul-coreana pagará resgate de mais de US$ 1 milhão em Bitcoin

A este respeito, Dong também apontou a alta volatilidade nos preços do Bitcoin . Quanto a isso o professor explicou:

 As moedas digitais não possuem uma base clara. Quero dizer, não há fundamentos econômicos para avaliar a oferta e a demanda do Bitcoin e seu valor intrínseco. O ambiente especulativo do mercado produz grandes flutuações nos preços, e isso pode fazer as pessoas sofrer grandes perdas”.

Yang disse que as criptomoedas “não são afetados pelo impulso da inflação e as diferenças na taxa de câmbio, bem como outros aspectos”.

O terceiro ponto é em como as transações com moedas digitais podem ser usadas para lavagem de dinheiro e fraude. O representante da Renmin University comentou:

Os pagamentos transfronteiriços podem escapar aos controles cambiais. É por isso que surge uma maior necessidade de se proteger contra transações anônimas em países onde dificilmente há projetos econômicos abertos ao público.

O quarto aspecto surpreende, pois é bem conhecido: as criptomoedas têm um potencial notável para a implantação de esquemas de pirâmide e outras atividades ilícitas; Da mesma forma, o quinto ponto refere-se a uma circunstância da qual acabamos de ser participantes: a manipulação do mercado. Na sexta linha, acrescenta os riscos de segurança de dados e informações, que, de acordo com Dong, estão mais entrelaçados. O professor explicou que “se o sistema de segurança não for tão forte quanto parece, os hackers podem invadir os sistemas e roubar os Bitcoins. Causando um dano irreparável”.

Leia também  Jovem de 18 anos de idade detalha como o Bitcoin o tornou milionário

Em seu último ponto, o professor e advogado se concentrou no uso do Bitcoin dentro dos mercados negros, que não foram regulamentados de forma eficaz. De acordo com Dong:

As transações nos mercados negros não possuem medidas de proteção fortes, em relação a lavagem de dinheiro e outras alterações legais. O governo não pode controlar esses espaços com eficácia”.

Na verdade ao que nos parece, essas são apenas desculpas “esfarrapadas”, mesmo o governo chinês aumentando a regulamentação por conta desses motivos mencionados acima pelo professor, ainda assim não poderá parar as transações no país, talvez apenas diminuir, mas parar… Nunca.

Adaptação/Tradução: Guia do Bitcoin

Acompanhe notícias todos os dias sobre Bitcoin e Criptomoedas:

Telegram: http://telegram.me/guiadobitcoin
Facebook: https://www.facebook.com/guiadobitcoin/
Twitter: https://twitter.com/guiadobitcoin
Feed RSS: http://guiadobitcoin.com.br/feed/

Leia também  Citigroup abre departamento para avaliação de riscos de criptomoedas e está contratando

[jetpack_subscription_form title=”Bitcoins no seu e-mail” subscribe_text=”Digite o seu e-mail” subscribe_button=”Quero receber” show_subscribers_total=”1″]

Coca-Cola e o Departamento de Estado dos EUA usam a blockchain para combater o trabalho forçado

A Coca-Cola e o Departamento de Estado dos EUA, em cooperação com outras duas empresas, criarão um registro que será usado para combater o trabalho forçado em todo o mundo….

0 Comentários

Contagem regressiva: datas importantes para o mundo do Bitcoin

O crescente debate público sobre o Bitcoin está entrando em uma fase crucial. Duas das propostas mais populares disponíveis hoje — BIP148 e SegWit2x  —  pretendem desencadear a ativação do Segregated Witness…

18s Comentários