Patente para transações anônimas no blockchain é registrada pela Mastercard

0 Comentários

A Mastercard registrou recentemente uma patente no United States Patent and Trademark Office (USPTO) para poder realizar transações anônimas dentro de uma blockchain que ocultaria dados como a origem e quantidade transacionada entre seus usuários.

O documento informa que serão utilizados endereços intermediários na realização de transações, onde estes seriam responsáveis por enviar e receber um grande volume junto de outros diversos usuários, tornando os dados irrastreáveis – com “pouca ou nenhuma informação”, segundo a Mastercard.

O registro sugere ainda que haverá “solicitações de anonimato” para tornar as transações em si confidenciais e não como padrão das carteiras, diferente do que ocorre nas principais criptomoedas focadas em privacidade, como a Zcash (ZEC) e a Monero (XMR).

A Mastercard informou ainda que muitos estão migrando para as visando seu “alto nível” de anonimato, porém destacou que o apesar de ser um livro-razão aberto e imutável poderia ser rastreado até seu bloco gênese e seria possível coletar informações dos usuários como interesses, hábitos e localização dos usuários em uma análise mais aprofundada.

Leia também  ex-CEO da antiga exchange Mt Gox diz que ideia de ICO não seria algo impensável

“As comunicações existentes e a estrutura de atribuição da blockchain, como o , exigem a identificação de onde as transações estão sendo emitidas e terminadas, a fim de manter o livro-razão. Isso cria um problema técnico de interesses conflitantes dentro da .”

A gigante dos cartões de crédito concluiu que a falta de uma camada de proteção dos dados iria na contra mão de muitos interessados em blockchain, que buscam principalmente o anonimato que a tecnologia pode fornecer.

Continue lendo: Mastercard quer unir criptomoedas com dinheiro tradicional: patente aprovada