HomeRelatório Semanal: Preocupações com o Yuan Digital ressurgem à medida que a UE considera uma regulamentação cripto mais rigorosa

Relatório Semanal: Preocupações com o Yuan Digital ressurgem à medida que a UE considera uma regulamentação cripto mais rigorosa

Aqui estão as manchetes mais emocionantes do setor de criptomoedas que você pode ter perdido esta semana.

Um trio de senadores republicanos exige a proibição do Yuan digital para atletas americanos nos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Um grupo de senadores republicanos escreveu ao Comitê Olímpico e Paraolímpico dos Estados Unidos (USOPC) na segunda-feira exigindo que o comitê proibisse todos os atletas olímpicos dos EUA de usar o Yuan digital nas Olimpíadas de Pequim, no início do próximo ano. Os senadores Roger Wicker, Marsha Blackburn e Cynthia Lummis escreveram à comissão após a recente confirmação da China de que os viajantes internacionais poderiam usar o Yuan digital para transações diárias durante as Olimpíadas.

Um motivo citado pelos senadores foi que o governo chinês poderia tentar espionar os americanos. Uma suspeita ligada a detalhes emergentes recentes revelaram que, ao usar a nova moeda, o governo chinês seria capaz de determinar onde e o que um usuário comprou. Os senadores também alertaram que o Partido Comunista Chinês tem um precedente no que diz respeito à vigilância de seus cidadãos.

No passado, o governo chinês tentou utilizar a tecnologia em desenvolvimento para suprimir as comunidades minoritárias no país. Desde então, a China respondeu aos senadores, criticando-os por politizar um evento esportivo e exigindo que eles desistissem de usar a moeda digital chinesa para causar problemas.

Os investidores institucionais se acostumaram com a ideia da criptomoeda

De acordo com um estudo de pesquisa conduzido entre 2 de dezembro do ano passado e 2 de abril deste ano pela Fidelity Digital Assets, um número significativo de investidores espera adquirir ativos digitais num futuro próximo. A Fidelity Digital Assets, na pesquisa, definiu o investimento em ativos digitais como o investimento direto em criptomoeda, a compra de ações afiliadas à criptomoeda ou o envolvimento por meio de outros produtos de criptomoeda.

A Reuters também informou que a Coalition Greenwich conduziu a pesquisa em nome da Fidelity Digital Assets e o escopo do estudo incluiu fundos de hedge, investidores de alto patrimônio líquido e consultores financeiros, totalizando até 1.100 participantes em todo o mundo: 408 nos EUA, 299 na Ásia e 393 da Europa. Os resultados do estudo revelaram que um número significativo de 70% dos participantes planejam investir em criptomoeda nos próximos anos.

90% dos interessados ​​em criptomoeda revelaram que esperam ver seus clientes ou respectivas empresas fazerem parte da revolução dos ativos digitais nos próximos cinco anos. Uma observação bastante interessante do estudo foi que nove em cada dez investidores viram algo atraente na criptomoeda, com a maioria citando a ausência de correlação da criptomoeda com outros ativos e outros que observaram sua propensão para tecnologia inovadora.

Reguladores na Europa propõem a proibição de transações cripto anônimas

No início desta semana, a União Europeia sugeriu que as leis de AML/ CFT atualmente em vigor apenas para algumas criptomoedas sejam estendidas a todas as criptomoedas e produtos associados, numa tentativa de conter a lavagem de dinheiro. A mudança ocorre no momento em que a UE tenta regulamentar o setor cripto, com a principal alteração dos regulamentos propostos, dada a exigência das empresas de criptomoedas de realizar a devida diligência em seus clientes.

Isso significaria a coleta de informações pessoais do usuário, incluindo detalhes como nomes, números de contas, endereços e datas de nascimento. A lei também significaria que a criação de contas bancárias anônimas seria proibida. Se os países europeus aceitarem as novas propostas, um dos princípios básicos da criptomoeda – o anonimato – seria afetado negativamente.

No entanto, as novas recomendações ainda têm um longo caminho a seguir, pois ainda não foram aprovadas pelos estados membros da UE, e a aprovação do parlamento da UE também está pendente. A UE tem explorado a ideia de estabelecer um euro digital, um empreendimento que finalmente foi lançado na semana passada. O lançamento está previsto para fevereiro e vem de uma colaboração entre a UE e o Banco Central Europeu (BCE) para explorar a possibilidade de criar o ativo digital.

Goldman Sachs descobre que 60% dos escritórios familiares mega-ricos já têm ou estão interessados em cripto

Uma pesquisa realizada pelo banco multinacional Goldman Sachs revelou que 45% dos investidores em family offices têm interesse em investir em criptomoeda, enquanto outros 15% já estão investidos em ativos digitais. O 45% atribui seu interesse na criptomoeda pois fornece uma cobertura (hedge) contra a inflação, ainda mais considerando o aumento dos estímulos monetários e fiscais testemunhados no ano passado.

O estudo envolveu cerca de 150 escritórios familiares, dos quais 22% tinham ativos sob gestão com um valor de $5 bilhões ou mais. 45% tinham ativos avaliados entre $1 bilhão e $4,9 bilhões. As comparações regionais revelaram que 24% dos family offices americanos, 8% dos asiáticos e apenas 8% de todos os family offices do Oriente Médio, Europa e África investiram em ativos digitais.

Um número substancial de 39% dos participantes disseram que nunca investiriam em criptomoedas, com cerca de metade desses escritórios citando a volatilidade da criptomoeda, enquanto 40% simplesmente não estavam satisfeitos com a infraestrutura cripto atual.

Ao falar com a Bloomberg, Melina Flynn, Global Co-Head of Private Wealth do Goldman Sachs, observou que houve um aumento no interesse com mais family offices perguntando sobre blockchain e tecnologias afiliadas. Ela também revelou que vários desses escritórios familiares acreditavam que a criptomoeda poderia eventualmente se tornar tão impactante quanto a Internet.

Integração do MasterCard com USDC para simplificar os pagamentos com cartão cripto

MasterCard já oferece serviços de criptomoeda há algum tempo, e um grande desafio em sua plataforma é a necessidade de conversão da criptomoeda dos usuários em moeda fiat antes que ela se instale na rede da MasterCard. Esse obstáculo, no entanto, está aparentemente chegando ao fim.

No início do ano, a MasterCard havia anunciado planos para permitir o uso de certas stablecoins diretamente em sua plataforma e, assim, resolver o desafio da conversão. A empresa de soluções de pagamento revelou na terça-feira que estava trabalhando com a Circle, Paxos Trust e Evolve Bank & Trust, para testar a nova capacidade do Mastercard antes que pudesse ser implementado.

O vice-presidente da MasterCard, Raj Dhamodharan, explicou que poucas instituições tinham a infraestrutura fundamental necessária para desenvolver sistemas para converter criptomoeda em fiat. Como tal, a MasterCard estava entrando em ação para preencher essa lacuna. A Circle, que é uma das empresas que colaboram com a MasterCard, é a maior operadora do USDC, moeda que se tornou popular devido ao seu aval por moeda fiat – o dólar americano. Stablecoins como o USDC nos últimos tempos viram um aumento no interesse, ainda mais do que os ativos digitais tradicionais, como o BTC.

Etiquetas:
Aceita clientes dos EUA
Plataforma premiada de negociação de criptomoedas
Grande variedade de ativos de criptografia
Abra sua conta agora!

Usamos cookies para personalizar conteúdos e anúncios, fornecer recursos de mídia social e oferecer a você uma experiência melhor. Ao continuar navegando no site, ou clicando em "OK, obrigado", você aceita o uso de cookies.