HomeMercado Livre não proibe venda de Bitcoin, mas muda cláusulas para vendedores

Mercado Livre não proibe venda de Bitcoin, mas muda cláusulas para vendedores

agosto 15, 2019 By Diego Marques

logo do site mercado livre

Segundo anúncio da empresa os usuários do Mercado Livre que utilizam a plataforma de comércio eletrônico para vender Bitcoin e outras criptomoedas estão sendo avisados que a empresa vai mudar as cláusulas referentes a estes anúncios. 

Mercado Livre esclarece mal-entendido

O anúncio do Mercado Livre pretende deixar claro que não haverá proibição apenas uma mudança nos termos.

O Mercado Livre esclarece que, a partir de 19 de março, os anúncios de criptomoedas que estiverem ativos no site na condição ‘usados’ serão automaticamente finalizados e novos anúncios somente poderão ser criados na condição de ‘produtos novos’.” Vale destacar que a empresa não explicou os motivos para a alteração.

Parceria Ripio

Uma startup argentina chamada Ripio, que oferece serviços de carteira digital para smartphones, fechou uma parceria com o Mercado Pago, uma plataforma do Mercado livre que permite receber e fazer pagamentos online. Com a ferramenta, o usuário pode realizar compras em sites associados ao serviço através de boleto ou cartões de crédito (com possibilidade de parcelamento) ou débito em conta corrente.

Com a parceria firmada entre as duas empresas, os clientes do Mercado Pago poderão usar o saldo em conta para comprar criptomoedas utilizando a carteira digital da Ripio. Aparceria foi implantado no Brasil depois de ter sido testado na Argentina.

A Rípio opera em outros três países, Argentina, México e Colômbia. Em um comunicado divulgado pela assessoria de imprensa da Rípio, declara que a ideia é trabalhar para facilitar o dia a dia do consumidor.

Parceria PayPal

Outra grande notícia envolve a empresa de comércio eletrônico Mercado Livre, é que a subsidiária do Brasil vai receber cerca de R$ 3 bilhões em suas operações. A empresa vai focar esse investimento na parte de logística da empresa, que recentemente anunciou, o início das operações do seu novo Centro de Distribuição localizado em Cajamar, São Paulo, como parte dos esforços em acelerar entregas de produtos adquiridos por meio da plataforma, afim de diminuir a dependência dos correios, cuja eficiência é questionada por diversos usuários.

“Este novo centro de distribuição será o coração e o pulmão de nossa operação logística no Brasil. O objetivo é tornar o tempo de entrega de mercadorias três vezes mais rápido”, disse o diretor de logística para a América Latina.

No início deste mês, a Mercado Livre iniciou uma uma oferta pública de ações ordinárias de cerca de US$ 1 bilhão (R$ 4 bilhões, aproximadamente). Segundo publicação da Época no dia 12 de março, o PayPal se comprometeu em investir US$ 750 milhões (cerca de R$ 3 bilhões).

Mercado livre

Mercado livre é uma empresa argentina de tecnologia que oferece soluções de comércio eletrônico para que pessoas e empresas possam comprar, vender, pagar, anunciar e enviar produtos por meio da internet.

Opera em 19 países, tem cerca de 4 mil funcionários e é o site de e-commerce mais popular da América Latina em número de visitantes.

A empresa mantém operações em diversos países da américa Latina, são eles: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, El Salvador, Guatemala, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, República Dominicana, Uruguai e Venezuela.

Até 2016, o MercadoLivre contava com 174,2 milhões de usuários na América Latina.

Veja também: Electroneum escolhe Brasil para dar próximo passo rumo a popularização

Mantenha-se informado todos os dias sobre Bitcoin! Se inscreva em nossas redes sociais: