HomeLayer1, uma nova empresa de mineração de BTC, começa operações nos EUA

Layer1, uma nova empresa de mineração de BTC, começa operações nos EUA

fevereiro 20, 2020 By Matheus Henrique

Uma nova empresa de mineração de criptomoedas, chamada Layer1 Technology, iniciou operações oficialmente no estado do Texas, nos EUA. As operações tiveram início quatro meses após o anuncio dos planos. Essa é uma notícia positiva para o Bitcoin, afinal, a Layer1 está iniciando com um investimento de mais de US$50 milhões, capital o suficiente para conseguir criar uma infraestrutura para diluir ainda mais o hashrate do Bitcoin entre outras pools de mineração.

De acordo com o site The Block, a Layer1 realizou a compra de vários containers de mineração, cada um com cerca de 2.5 megawatt (MW) de capacidade, que também contam com tecnologia de resfriamento a líquido para combater as altas temperaturas da região.

A empresa conta com aportes de Peter Thiel e Shasta Ventures, garantindo um bom capital por trás da operação.

E a Layer1 não está apostando baixo nessa nova fazenda de mineração. Apesar de não ter informado a capacidade exata de toda a operação, a Layer1 espera elevar a mineração para até 100MW nos próximos meses, valor que representa mais de 2% do hashrate total do Bitcoin.

 

Como Comprar Bitcoin Cash

 

Notavelmente, o CEO da Layer1, Alexander Liegl, disse que a pretensão da mineradora é alcançar 30% do hashrate total do Bitcoin até o final de 21, utilizando essa nova mineradora e várias outras que eles estão adquirindo.

Caso esse número seja alcançado, as operações da Layer1 serão maiores do que todas as outras pools de mineração existentes. As maiores mineradoras atuais são a F2Pool e Poolin, que contribuem com 18% da hashrate do Bitcoin, cada.

A construção da fazenda de mineração no Texas é uma resposta para a atual localização geográfica da mineração de Bitcoin, que tem a maioria das pools localizadas na China. Cerca de 65% do hasrate do BTC está no país asiático.

A descentralização da mineração para balancear a concentração na China vai muito além da mineração em si, mas também está diretamente ligada com os equipamentos utilizados.

A Layer1 anunciou que está desenvolvendo e fabricando os seus próprios equipamentos, ao invés de compra-los diretamente de outras fabricantes. Isso porque as principais fabricantes de equipamentos de mineração também estão na China, como é o caso da Bitmain e MicroBT.

Diluir o poder computacional da rede do Bitcoin para fora da China é uma excelente notícia para todo o criptomercado e para o ecossistema da moeda. Além de ser fundamental para o princípio da descentralização, isso evita que a rede esteja em risco caso a mineração na China seja afetada por qualquer motivo.

Veja também: Cardano passará por hardfork em sua rede principal

Mantenha-se informado todos os dias sobre Bitcoin! Se inscreva em nossas redes sociais: