HomeDesenvolvedores trabalham para construir rede de armazenamento livre de censura

Desenvolvedores trabalham para construir rede de armazenamento livre de censura

“Se você construir forte o suficiente, a lei seguirá.” Foi assim que Daniel Nagy, o principal desenvolvedor por trás da camada de armazenamento descentralizada da Swarm – ethereum – descreveu sua “lição de aprendizado” depois de uma batalha legal de sete anos sobre a hospedagem de um nó de compartilhamento de arquivos.

Um precursor do serviço de compartilhamento de arquivos P2P, Bittorrent, Nagy estava executando um nó DC, uma tecnologia que é agora “perfeitamente e completamente obsoleta”, de acordo com o desenvolvedor.

“Eu tive uma briga legal sobre isso e ganhei”, disse ele à CoinDesk. Durante essa luta, Nagy fundou a filial húngara da Electronic Frontier Foundation e juntou-se à Fundação Ethereum, onde ele se inspirou para aprofundar a tecnologia de resistência à censura.

Em particular, a experiência de Nagy nos tribunais iniciou seu trabalho no Swarm, uma camada de armazenamento muito aguardada para o ethereum, onde ele se concentra na arquitetura de sistemas e na criptografia que preserva a privacidade.

Com Swarm, Nagy está fixado em como tornar o armazenamento descentralizado robusto o suficiente para que as repercussões legais desse tipo não possam acontecer – no que ele descreve como “uma corrida armamentista” entre desenvolvedores e reguladores.

“Esta é uma corrida armamentista, e como podemos desenvolver coisas e o custo marginal da replicação é zero.”

Uma iniciativa ethereum que tem estado ativa desde os primeiros dias da plataforma, o Swarm procura fornecer um mecanismo para o blockchain descarregar alguns dos seus dados históricos, bem como lidar com o armazenamento de arquivos de forma mais ampla.

Com ênfase em “eficiência, rapidez, confidencialidade e segurança”, a camada de armazenamento descentralizada é construída com o objetivo de tornar o custo do ataque tão ineficiente que o sistema legal é forçado a se atualizar em resposta.

Isso porque uma rede totalmente robusta “pode ​​realmente informar a tomada de decisões, até mesmo a ponto de a lei ser interpretada por juízes e aplicadores.”

Armazenamento imparável

Com o objetivo de fornecer uma infraestrutura básica para uma Internet descentralizada, o Swarm divide informações entre os computadores de diferentes participantes da rede.

Para proteger essa camada da censura, Nagy define como tirar informação de circulação – a descentralização e a privacidade são vitais.

Por exemplo, o que os desenvolvedores chamam de “redundância” é a chave de como o Swarm protege contra a censura. Isso se refere à duplicação de componentes críticos do sistema.

“Se você tem vários canais de comunicação e locais de armazenamento, a censura se torna mais cara, porque você precisa encontrar todos e encerrar todos eles.”

Embora seja possível armazenar informações de forma transparente no Swarm, grande parte do trabalho de Nagy tem se concentrado em como garantir que informações sigilosas permaneçam privadas, mesmo quando armazenadas no computador de outra pessoa.

Para fazer isso, o Swarm usa o que é chamado de criptografia “modo de contador”. Se houver uma disputa, o protocolo compartilha um pequeno fragmento de dados criptografados que podem verificar a propriedade sem revelar nenhuma outra informação.

Para acessar as informações armazenadas remotamente, o Swarm usa pares de chaves públicas e privadas.

Assim, os participantes hospedarão blocos de dados criptografados em seus laptops e, na maioria das jurisdições, poderão fazê-lo com um grau de negação plausível – o que também significa que, como os nós do Swarm não possuem as chaves para desbloquear dados, eles não se tornam um risco.

Segundo Nagy, isso é importante porque o armazenamento resistente a ataques é essencial para sociedades saudáveis. “A diferença entre caçadores e nós é exclusivamente a quantidade de informação armazenada a que temos acesso. Não há outra diferença entre nós.”

Futuras diretrizes

O protocolo de armazenamento está atualmente em alfa público, o que significa que, embora ainda esteja em grande desenvolvimento qualquer um pode executar um nó Swarm.

No futuro, o protocolo também oferecerá incentivos na forma de ether para os participantes da rede Swarm. Este aspecto ainda está sendo aperfeiçoado.

Além disso, de acordo com Nagy, a criptografia Swarm foi projetada para ser “o mais inteligente possível em termos de contrato”, a fim de garantir que os desenvolvedores DApp possam integrar perfeitamente a tecnologia.

Isso porque, embora tenha como objetivo principal armazenar informações de contratos inteligentes e outros dados de blockchain de maneira descentralizada, o Swarm tem outros casos de uso de maior alcance no horizonte.

Por exemplo, o projeto assegurou várias parcerias no ano passado, incluindo a startup de transmissão de vídeo Livepeer e Datafund, um protocolo de gerenciamento de dados centrado na privacidade.

Nagy também está usando o Swarm para construir uma plataforma de mídia social resistente à censura chamada BeeFree, trabalhando com o colaborador da Ethereum Foundation, Dimitry Khokhlov. Seu objetivo é usar a tecnologia em uma tentativa de criar uma alternativa para plataformas com formas mais pesadas de censura.

“Temos acesso a um tipo de conhecimento compartilhado que a humanidade acumulou e, se isso está sendo censurado, nos torna muito mais burros como sociedade”, finalizou Nagy.

Guia do Bitcoin

Tags:

Assine hoje nosso boletim informativo exclusivo !

Emails personalizados

Sem SPAM

Alt coin news

Cancele a inscrição quando quiser

Após a inscrição, de vez em quando, você também poderá receber nossas ofertas especiais por e-mail. Nunca iremos vender ou distribuir seus dados a terceiros. Veja a nossa política de privacidade aqui.