HomeDébito dos EUA será de 98% do PIB em 2030, “Considere as Criptos”

Débito dos EUA será de 98% do PIB em 2030, “Considere as Criptos”

janeiro 29, 2020 By Soraia Barbosa

Brian Armstrong, CEO da Coinbase, sugeriu que todos considerem as criptomoedas em resposta ao constante aumento do débito mundial, da inflação das moedas fiduciárias e dos muitos problemas econômicos que aos poucos parecem apresentar cada vez mais riscos para todo mundo.

Em resposta a um artigo que dizia que a dívida nacional dos EUA iria aumentar para cerca de 98% do Produto Interno Bruto até 2030, ele disse “Considere as criptos.” As criptomoedas, principalmente o Bitcoin, estão sendo cada vez mais vistas como uma reserva de valor em relação ao rápido declínio da valorização das moedas fiduciárias.

O Bitcoin é chamado de ouro digital justamente por causa desse poder de reserva de valor que muitos investidores defendem. Isso quer dizer que quem tem ouro está protegido da inflação, pois terá um ativo que não vai desvalorizar junto com a moeda central de um país. O mesmo serve para o Bitcoin.

Os problemas citados por Armstrong são exacerbados pelos mercados de repo, que é o processo de empréstimos interbancários de curtíssimo prazo para manter a liquidez de uma instituição. Quando entramos em períodos e crise, os bancos entram em momentos de baixa liquidez, e quando outros bancos não podem realizar empréstimos, eles precisam contar com a Reserva Federal (FED).

Como comprar Bitcoin no Brasil | Guia Completo

Nesses casos, o FED funciona como um investidor de último recurso e injeta liquidez dentro do mercado de repo para manter tudo funcionando. Na prática, isso quer dizer que o FED imprime mais dinheiro e quanto mais dinheiro entra no mercado de forma desenfreada, menos ele acaba valendo e mais o débito nacional aumenta.

Em setembro do ano passado o FED injetou cerca de US$63 bilhões no mercado de repo, mesmo após o fim dos rounds da Flexibilização Quantitativa. Isso foi visto como um aumento da flexibilização em mais um round.

Em janeiro o dólar continuou perdendo valor e o FED foi obrigado a injetar mais US$70 bilhões na economia dos EUA. O relatório citado por Armstrong mostra que o déficit do FED é de US$1 trilhão para 2020 e com aumento projetado de US$1.3 trilhões por ano até 2030.

Atualmente o déficit é de 79% do PIB e tem projeção de representar 98% durante o próximo decênio.

“A maioria das pessoas provavelmente ainda pensam nas criptomoedas como um dinheiro de mentira ou uma classe de ativo especulativo.

Mas eu acredito que estamos prontos para ver essa perspectiva mudar, provavelmente começando com as pessoas mais jovens, como sempre, para uma onde ter dinheiro do governo vai ser visto como dinheiro de mentira.”

Veja também: Economista critica lei de oferta e demanda e diz que o Bitcoin é centralizado

Mantenha-se informado todos os dias sobre Bitcoin! Se inscreva em nossas redes sociais:

Tags: