Como o Coronavírus e o Halving vão afetar o preço do Bitcoin?

0 Comentários

Se você é um novato no mercado de criptomoedas, provavelmente ainda não sabe da grande expectativa e do grande otimismo em relação ao preço do Bitcoin, graças a um acontecimento chamado “halving”, um evento que reduzirá a produção do Bitcoin em 50%.

Algo importante a ser mencionado acerca desse evento é que, ninguém tem o controle deste processo. É uma “regra” inserida no código do Bitcoin pelo criador da criptomoeda. Essa regra determina que a cada 4 anos, a quantidade de Bitcoins criados seja reduzida pela metade, então os mineradores teriam cada vez menos recompensas em Bitcoin. Essa redução é chamada de “halving”.

Está programado para ocorrer a cada 210.000 blocos e foi projetado para ajudar a preservar o Bitcoin como uma reserva de valor. O limite máximo de Bitcoins está fixado em 21 milhões, mantendo assim o seu fornecimento finito. Não existe um banco central de Bitcoin que possa simplesmente imprimir mais BTC.

O Halving e o Coronavírus

Programado para acontecer em 18 de maio de 2020. Os mineradores passarão a receber 6,25 BTC por transação de bloco, 50% menos que a compensação anterior de 12,5 BTC. Todos estamos acompanhando de perto a reação dos preços. A expectativa é que a oferta permaneça a mesma e a demanda aumente, aumentando a escassez do Bitcoin.

Ainda não se sabe ao certo se o halving vai fazer o preço do Bitcoin explodir numa super alta, o contexto em que ocorreram os halvings anteriores variou. Consequentemente, a mudança de preço do Bitcoin em cada um desses eventos não foi o resultado de uma fórmula, mas uma reação circunstancial ao ambiente em que o halving ocorreu.

Desde o nascimento do Bitcoin em 2009, já ocorreram dois halvings em intervalos de quatro anos, o primeiro deles em 28 de novembro de 2012 e o segundo em 9 de julho de 2016. Os preços do Bitcoin subiram aproximadamente 18% no mês anterior aos halvings de 2012 e 2016. O halving deste ano certamente será mais complicado de avaliar devido a duas situações que podem ampliar ou atenuar as oscilações de preços do Bitcoin.

O primeiro é o surto de coronavírus, que impactou a economia global e expôs as fragilidades de uma economia global já debilitada. A volatilidade associada a pandemia pode distorcer a resposta do preço no halving do Bitcoin.

O segundo tem a ver com a infraestrutura consideravelmente melhor se comparada com halvings de anos anteriores, o que pode reduzir a volatilidade. Em 2012 quando aconteceu o primeiro halving a infraestrutura do mercado de criptomoedas ainda estava dando seus primeiros passos e mesmo em 2017, as exchanges estavam enfrentando uma série de problemas técnicos, ocasionando surtos de volatilidade conforme a liquidez diminuia.

O Coronavírus vai impactar o preço do Bitcoin?

O coronavírus também pode ter um papel importante no aumento do preço do Bitcoin. A pandemia que surgiu na China se espalhou por todo o mundo, fazendo com que países inteiros “fechassem”, pode afetar as “fazendas de mineração”, levando a escassez de equipamentos. A quarentena pode impedir que os mineradores tenham acesso aos equipamentos necessário para utilizar no processo de produzir mais Bitcoin. A escassez de BTC ligada ao vírus e ao halving pode diminuir a oferta e elevar os preços.

Investir é especulativo. Ao investir seu capital está em risco. Este site não se destina a uso em jurisdições em que a negociação ou os investimentos descritos são proibidos e só devem ser usados por essas pessoas e de maneiras que sejam legalmente permitidas. Seu investimento pode não se qualificar para a proteção do investidor em seu país ou estado de residência, portanto, conduza sua própria devida diligência. Este site é gratuito para você usar, mas podemos receber comissões das empresas que apresentamos neste site. Clique aqui para obter mais informações.