HomeCingapura e França testam rede internacional de pagamentos com CBDC

Cingapura e França testam rede internacional de pagamentos com CBDC

Com a ajuda da Onyx — a plataforma de blockchain do JP Morgan —, MAS e BdF simularam a primeira transação internacional de CBDC para aplicar a automatização do mercado

Segundo um comunicado de imprensa do Banco de França (BdF) no dia de ontem, o BdF e a MAS (Autoridade Monetária da Cingapura) concluíram uma experiência com CBDC (moedas digitais de bancos centrais), que incluiu pagamentos e liquidações internacionais em grande escala.

Foi utilizada uma rede comum entre a França e Cingapura para a simulação de transações internacionais, utilizando múltiplas CBDCs (m-CBDC). A experiência foi apoiada pela unidade de negócios Onyx, focada no blockchain do JP Morgan, e foi a primeira a aumentar a eficiência através do emprego de gerenciamento de liquidez e de capacidades automatizadas no mercado.

Sopnendu Mohanty, diretor de FinTech da MAS, disse: «A construção de uma infraestrutura de livros-razão compartilhados em múltiplas moedas permite aos participantes de todos os países fazer transações entre si diretamente nas diversas moedas. Esta experiência de m-CBDC abriu novos caminhos ao descentralizar a infraestrutura financeira, para melhorar a gestão da liquidez e os serviços de criação de mercado.»

Foi usado um blockchain licenciado, baseado na tecnologia Quorum, para fazer transações internacionais entre uma CBDC de Cingapura e uma CBDC europeia. A experiência visa superar obstáculos nos pagamentos internacionais tradicionais, tais como atrasos na liquidação devido a diferenças de fuso horário, limites de horas de operação e falta de transparência em torno das taxas de câmbio estrangeiras.

A Diretora de Infraestrutura, Inovação e Pagamentos do BdF, Valérie Fasquelle, comentou: «Ao testar a circulação de uma CBDC europeia em uma rede compartilhada, o Banco de França e a MAS testaram a possibilidade de fornecer uma ligação a outras CBDCs em todo o mundo. É uma oportunidade de construir acordos para múltiplos modelos de CBDCs, melhorando os pagamentos internacionais e aumentando a harmonização dos procedimentos pós-comércio.»

A taxa de câmbio entre euros e dólares de Cingapura foi gerenciada automaticamente por contratos inteligentes. Ambos os países criaram nódulos de blockchain através de infraestruturas públicas e privadas na nuvem, ilustrando a interoperabilidade entre vários tipos de infraestrutura em nuvem.

O desenho da rede significava que cada banco central poderia governar a distribuição da sua própria CBDC, ao mesmo tempo em que proporcionava visibilidade. Também demonstrou que os procedimentos de KYC (Know Your Client), as disposições contratuais, os custos e o número de intermediários poderiam ser todos reduzidos.

Esta simulação foi uma das últimas etapas do programa de experimentos em larga escala do BdF, que será concluída no final deste ano. Muitos outros bancos centrais e comerciais poderiam se juntar à rede de m-CBDC, já que seu projeto é escalável.

Etiquetas:
Aceita clientes dos EUA
Plataforma premiada de negociação de criptomoedas
Grande variedade de ativos de criptografia
Abra sua conta agora!

Usamos cookies para personalizar conteúdos e anúncios, fornecer recursos de mídia social e oferecer a você uma experiência melhor. Ao continuar navegando no site, ou clicando em "OK, obrigado", você aceita o uso de cookies.