China de volta ao Bitcoin? País poderá licenciar exchanges nos próximos meses

5s Comentários

O governo chinês provavelmente irá retomar a negociação de criptomoedas nos próximos meses com os sistemas necessários de KYC (conhecimento do cliente) e AML (anti-lavagem de dinheiro) sendo aplicados.

No início desta semana, a Xinhua, a publicação de notícias estatal da China, revelou que o governo chinês está preocupado com atividades criminosas em torno de criptomoedas, como o Bitcoin. Enfatizou que as criptomoedas tornaram-se a “escolha superior” para as economias “underground” e revelaram que o governo tomará as medidas adequadas para regular o mercado através da implementação de um programa de licenciamento e sistemas AML rigorosos.

Por que proibir exchanges de Bitcoin não é benéfica para o governo

No mês passado, o governo chinês, o Banco Popular da China (PBoC) e os reguladores financeiros locais impuseram uma proibição nacional em exchanges de criptomoedas. Conseqüentemente, o preço do bitcoin caiu para US$ 3.000 e o mercado de criptomoedas suportou uma grande correção.

Desde então, o mercado global de câmbio de criptomoedas se reestruturou à medida que a maioria dos volumes negociados da China se mudou para mercados vizinhos, como Japão e Coréia do Sul. Mais do que isso, o governo japonês autorizou oficialmente 11 bolsas de criptomoedas no mesmo mês, proporcionando um ecossistema eficiente e bem regulamentado para os comerciantes chineses. Como resultado, o preço do bitcoin se recuperou e manteve-se acima de $4.000.

Mas, a proibição do governo chinês sobre exchanges de criptomoedas também levou ao aumento dos volumes de negociação de mercados de venda livre (OTC) e plataformas de negociação P2P (peer-to-peer), como a LocalBitcoins. Para o governo chinês, essa tendência é uma grande preocupação em termos de políticas de KYC e AML porque os comerciantes agora podem negociar criptomoedas e trocar o yuan chinês sem o controle e o envolvimento das autoridades chinesas.

Hoje, não é possível o governo chinês regular os negócios de criptomoedas porque eles estão sendo processados ​​e instalados em mercados que estão fora do alcance das autoridades locais.

Programa de Licenciamento semelhante ao do Japão

A Xinhua observou que o governo está considerando a possibilidade de licenciamento para exchanges de criptomoedas, já que as fontes locais, incluindo o CnLedger, compartilhavam isso.

Para que o governo adote uma política de tolerância zero em atividades criminosas baseadas em criptomoedas, ele precisa ter infra-estruturas que permitam supervisionar pagamentos e divulgar as identidades dos usuários de criptomoedas. Sem esses sistemas, visto em plataformas de negociação como LocalBitcoins e outros mercados OTC, é praticamente impossível executar uma política de tolerância zero sobre crimes de criptomoedas.

É definitivamente possível que a proibição das exchanges de criptomoedas na China seja apenas temporária até que o governo chinês libere políticas de registro, licenciamento e AML mais rígidas para as plataformas de negociação.

Via: cryptocoinsnews.com


Mantenha-se informado todos os dias sobre Bitcoin. Nossos canais oficiais:

Grupo no Facebook (novo): https://www.facebook.com/groups/bitcoinealtcoins/
Telegram: http://telegram.me/guiadobitcoin
Página Facebook: https://www.facebook.com/guiadobitcoin/
Twitter: https://twitter.com/guiadobitcoin
Feed RSS: http://guiadobitcoin.com.br/feed/

[jetpack_subscription_form title=”Bitcoins no seu e-mail” subscribe_text=”Digite o seu e-mail” subscribe_button=”Quero receber” show_subscribers_total=”1″]

Investir é especulativo. Ao investir seu capital está em risco. Este site não se destina a uso em jurisdições em que a negociação ou os investimentos descritos são proibidos e só devem ser usados por essas pessoas e de maneiras que sejam legalmente permitidas. Seu investimento pode não se qualificar para a proteção do investidor em seu país ou estado de residência, portanto, conduza sua própria devida diligência. Este site é gratuito para você usar, mas podemos receber comissões das empresas que apresentamos neste site. Clique aqui para obter mais informações.