Bomba! Banco da Tether pode estar envolvido em lavagem de dinheiro da Odebrecht

0 Comentários

O Ministério Público Brasileiro contactou o governo das Bahamas solicitando ajuda numa investigação que envolve transações suspeitas entre a empresa brasileira Odebrecht e o banco Deltec Bank & Trust, um dos parceiros bancários da Tether Limited.

A Procuradoria Geral do Estado de São Paulo está buscando recuperar  R$ 113 milhões atribuídos a Paulo Preto, apontado como operador do PSDB, Paulo Vieira de Souza, é ex-diretor da construtora DERSA, ele é acusado de aceitar propina da Odebrecht.

A investigação afirma que o ex-diretor da DERSA transferiu cerca de US $ 25 milhões para as contas da empresa panamenha Nantes Group, que supostamente eram operadas por um banco privado suíço Bordier & Cie. De acordo com o Ministério Público, Paulo Preto era o beneficiário direto dessas contas. As investigações avançaram e foi descoberto que a empresa panamenha não foi o destino final do dinheiro recebido como propina da Odebrecht. No início de 2017, esse dinheiro foi transferido para contas no Bahamian Deltec Bank & Trust.

O ministério público brasileiro está aguardando uma resposta oficial do governo das Bahamas que comprove se o dinheiro recebido como propina da Odebrecht está realmente nas contas do Deltec Bank & Trust, o mesmo banco que recentemente se associou a empresa responsável pela Tether.

Guia do Bitcoin

Investir é especulativo. Ao investir seu capital está em risco. Este site não se destina a uso em jurisdições em que a negociação ou os investimentos descritos são proibidos e só devem ser usados por essas pessoas e de maneiras que sejam legalmente permitidas. Seu investimento pode não se qualificar para a proteção do investidor em seu país ou estado de residência, portanto, conduza sua própria devida diligência. Este site é gratuito para você usar, mas podemos receber comissões das empresas que apresentamos neste site. Clique aqui para obter mais informações.