HomeBlockchain pode criar identidades reais no ciberespaço

Blockchain pode criar identidades reais no ciberespaço

No ciberespaço, não há indivíduos, apenas contas de usuários, endereços IP, slots de memória e chaves criptográficas. Por isso, “provar quem você é” na internet faz sentido. No entanto, a única coisa que pode ser provada é a validade das sequências de caracteres que usamos como senhas e chaves.

Até uma década atrás, isso costumava ser o suficiente. A participação no espaço digital foi semi-voluntária, com serviços de e-mail e a ocasional conta e-bay em jogo. A ausência do indivíduo na internet foi mais uma característica do que um erro, que nos concedeu um sentimento muito bem-vindo de anonimato e liberdade. Hoje, com nossas vidas se movendo cada vez mais para um mundo de espelho digitalizado próprio, a ausência está começando a infligir um preço caro.

Sem identidade individual, não há direitos individuais nem responsabilidade – que são os pilares da democracia liberal. Já perdemos a confiança nos resultados das eleições, nos artigos de notícias, nos comentários e na humanidade das entidades com as quais interagimos (clique aqui para provar que você não é um bot, disse o bot para o bot). Se não encontrarmos uma maneira de reintroduzir o indivíduo em nossas vidas digitais, essa realidade pode se transformar em uma distopia.

Como a internet pode ser redesenhada em um espaço onde os humanos reais residem?

Para que isso seja possível, precisamos encontrar uma maneira de representar nossa identidade na forma digital. No entanto, é mais fácil falar do que fazer, afinal, qualquer coisa digital pode ser copiada e forjada. Nós costumávamos ter o mesmo problema com o dinheiro. Acreditava-se que o dinheiro digital genuíno era impossível por esse mesmo motivo: o valor não pode ser digitalizado, pois, com o tempo, alguém encontrará uma maneira de copiar e colar sua sorte indefinidamente. Este é (ou foi) o “problema do gasto duplo” e foi resolvido com sucesso pela rede de Satoshi Nakamoto e Bitcoin.

Existem muitos projetos por aí, utilizando a mesma lógica para resolver o problema de identificação. A IBM tem um departamento inteiro dedicado a esse propósito, já a Civic levantou US$ 33 milhões para fornecer sua própria solução. Enquanto isso, a estrutura regulatória chinesa rígida pressionou alguns projetos domésticos interessantes para tentar resolver o problema de identidade da internet de uma vez por todas.

Soluções na blockchain

O Metaverse, por exemplo, é um blockchain habilitado por contrato inteligente, semelhante ao Ethereum. No entanto, em contraste com suas contrapartes ocidentais, o Metaverse permite ou exige a criação de “Avatares Digitais” em sua blockchain.

Um Avatar Digital é essencialmente uma verdadeira identidade do usuário (ou da empresa), vinculada aos endereços de blockchain que eles possuem. Isso funciona um pouco como o sistema de DNS da Internet: após a identificação, uma cadeia de caracteres complicados (a chave pública do usuário) é representada como um endereço legível que se assemelha a um domínio ou a um endereço de e-mail. Algo como [email protected] O processo de verificação em si é assinado por “Oracles”, que são instituições confiáveis, como bancos ou o próprio governo.

Se você quiser criar um novo token, negociar ativos digitais, receber ou enviar mensagens criptografadas, será necessário ter um avatar. Ele também pode ser usado para fazer login em sua conta bancária, serviço de e-mail, conta de mídia social e, no futuro, permitir que você vote no conforto da sua casa.

Como isso é melhor do que uma senha ou “login com o Gmail”? Em primeiro lugar, dada a maneira como os blockchains funcionam, você nunca precisará apresentar sua chave privada em nenhum lugar para fazer login nesses serviços.

As provas de “Conhecimento Zero” permitem que os usuários provem que possuem sua chave, sem precisar transmiti-la, o que é muito diferente de como os logins baseados em senha funcionam. Em segundo lugar, a base do seu Avatar não é uma conta ou chave, mas sua identidade real, conforme percebida por outros seres humanos. Se a chave privada de seu Avatar for roubada, por exemplo, você poderá retornar a um dos “Oracles” acima mencionados e recriá-lo com base na sua identificação no mundo real.

Dessa forma, a descentralização do blockchain é usada para proteger sua identidade criptograficamente (já que suas credenciais não são armazenadas no servidor de terceiros), enquanto a autoridade centralizada de “Oracles” é ativada para validar sua autenticidade. Essa união de dois opostos também tem o benefício puro de permitir “autorização sem identificação”. Isso significa que você pode provar que tem o direito de acessar um serviço sem revelar quem você é. Isso é especialmente útil se queremos ver os serviços de governança eletrônica, como a votação online, sendo desenvolvidos.

Essa abordagem tem o potencial de reunir nossas vidas online fragmentadas, e talvez o mais importante – pode eventualmente transformar a internet no espaço seguro e responsável que todos nós precisamos desesperadamente que ela seja.

 

Etiquetas:

Assine o nosso boletim informativo exclusivo!

E-mails personalizados

Sem SPAM

Notícias sobre alt coins

Cancele a inscrição quando quiser

Depois de se inscrever, poderá também receber ofertas especiais ocasionais da nossa parte via e-mail. Nunca iremos vender ou distribuir os seus dados a terceiros. Consulte a nossa Política de Privacidade aqui.