4 impactos do Coronavírus sobre preço do Bitcoin

0 Comentários

Todo o mercado financeiro global está passando por uma montanha-russa neste início de 2020. Nem mesmo o Bitcoin considerado um ativo de segurança em tempos de crise, conseguiu se manter estável diante do impacto do Coronavírus sobre o sistema financeiro global.

Durante este período de recessão, o Bitcoin enfrentou a maior queda de um dia na sua história, quando o preço caiu de US$ 7600 para US$ 5300 em um dia. Neste ano de 2020, a primeira criptomoeda caiu mais de US$ 4.000, seguindo com o colapso nos mercados de ações e índices do mundo todo.

O Bitcoin ainda é considerado um ativo de segurança?

As criptomoedas são descentralizadas, nenhum governo ou instituição financeira tem a capacidade de controlar o mercado de criptomoedas. Sendo assim, em épocas de crise financeira e instabilidade econômica, teoricamente as criptomoedas, especialmente o Bitcoin, seriam uma maneira confiável e segura de fazer transações, uma vez que não é controlada por ninguém.

Já no sistema financeiro tradicional, o Banco Central dos países imprimem dinheiro e controla toda oferta de dinheiro dentro do país. O banco central de um país tem poder para aumentar a oferta de dinheiro ou diminuir a oferta de dinheiro.

O governo toma essa decisão de “imprimir dinheiro” de acordo com as condições da economia. Vamos citar como exemplo, a atual crise: “O governo incentiva os investidores a investir mais nos diferentes setores do país. Para isso, o governo geralmente oferece benefícios e cobra menos impostos para incentivar os investimentos. Por outro lado, quando a oferta monetária aumenta para o povo, o governo aumenta a taxa de juros desencorajando as pessoas a tirar dinheiro dos bancos”.

É assim que o governo controla a oferta de dinheiro no país. Mas o que acontece se o governo falir? Então, tudo o que você tem na carteira e/ou no banco não vai passar de um pedaço de papel.

Então a solução é usar criptomoedas, as pessoas que não querem que o governo ou alguma instituição saiba quanto dinheiro ela tem. Isso faz das criptomoedas a solução. Sendo assim, em caso de uma pandemia que abala a economia e causa grave recessão financeira, as criptomoedas, em especial o Bitcoin, devem funcionar como um porto seguro para os investidores.

Então por que o coronavírus impactou o preço do Bitcoin?

Anteriormente, entendemos como os bancos centrais controlam a oferta de dinheiro e vimos por que o Bitcoin funciona como um ativo de segurança, pois não é controlado pelo banco central e por governos como as moedas da fiduciárias.

Os entusiastas sabem que o Bitcoin não pode ser manipulado por banqueiros, pois a oferta de Bitcoin são fixas. A história nos mostra que o Bitcoin e outras criptomoedas aumentam em tempos de incerteza financeira. Por exemplo, a injeção de liquidez do Federal Reserve é uma indicação de que os investidores podem encontrar segurança no Bitcoin. Embora o coronavírus esteja afetando o preço do Bitcoin, há uma grande expectativa de quem o preço da primeira criptomoeda subirá novamente acima do nível dos US$10.000. 

Segundo tudo isso que falamos, o preço do Bitcoin deveria subir durante a atual crise financeira, mas por que o preço despencou?

A maioria das pessoas pensou que o preço do Bitcoin aumentaria durante o surto de COVID-19. A razão por trás disso é que o bitcoin é considerado um ativo de segurança. No entanto, é importante lembrar que o valor do bitcoin é impulsionado pela demanda, não por fatores fundamentais como taxas de juros e PIB.

1- Desvalorização com as notícias sobre Coronavírus

Em 2020, o Bitcoin atingiu quase 35% de alta e atingiu quase US$ 10.000 e existe uma por trás disso. O entendimento é que conforme a economia chinesa vinha enfraquecendo com os primeiros casos de coronavírus desde o fim do ano passado, os investidores acumulavam Bitcoin por causa de sua natureza de porto seguro. 

No estágio inicial do surto de coronavírus, os índices de ações da China caíram 9%, com o Shanghai Composite Index em queda de 8%. Enquanto isso, o preço do Bitcoin subia acima dos US$ 10.000, indicando que os investidores estavam buscando refúgio no mercado de criptomoedas.

2- Aumento da dificuldade de mineração de Bitcoin

Mas uma vez, conforme a China era atingida pelo Coronavírus, as autoridades do país começaram a fechar algumas mineradoras para conter a propagação. Um dos famosos mineradores de criptomoedas da China, Jiang Zhuoer, anunciou que a polícia havia forçado as empresas de mineração a fechar. Leia aqui

Na China estão cerca de 65% da mineração de bitcoin. Por isso o fechamento de empresas de mineração pode afetar adversamente os mineradores de criptomoedas. Para alguns a redução da centralização da mineração de bitcoin na China é algo bom, mas existe a possibilidade de que a falta de mineradores possa afetar a saúde da rede.

3- Quarentena chinesa infectada com dinheiro

A China começou a usar luzes ultravioletas e altas temperaturas nas notas de dinheiro, essa estratégia inclui não usar notas por medo da contaminação. Sendo assim o aumento de transações sem dinheiro é um sinal positivo para o Bitcoin se ainda mais utilizado na China.

4- O coronavírus afeta o Halving do Bitcoin?

Cada vez que ocorre um halving do Bitcoin, os equipamentos de mineração tornam-se não utilizados para mineração. Portanto, fazendas de mineração substituem equipamentos antigos por novos. Como a  maioria dos mineradores do mundo está localizada na China, o surto de coronavírus, pode se tornar um problema grave para os mineradores na China. 

A continuação da quarentena na China pode impactar ainda mais a economia chinesa e as fazendas de mineração de Bitcoin. O surto do vírus pode impedir a fabricação de novos equipamentos de mineração, diminuindo a capacidade das fazendas de mineração. Isso pode reduzir ainda mais o poder de mineração do Bitcoin.

Conclusão

Se o surto de coronavírus se aumentar, pode causar um impacto negativo no preço do Bitcoin. Uma das principais razões para isso, é que o Bitcoin e as outras criptomoedas ainda não são uma forma de pagamento popular. 

Ainda é difícil para as pessoas usar o Bitcoin e as outras criptomoedas no seu dia-a-dia, como alimentos e roupas. 

Vale destacar que, mesmo o Bitcoin sendo considerada uma moeda de segurança, é necessário que a mineração funcione normalmente. Por isso a redução da mineração de Bitcoin pode afetar negativamente o preço do Bitcoin.

Mas tudo está em baixa, se o Bitcoin puder passar neste teste, será ótimo para a criptomoeda número um do mundo. Muitos investidores e analistas acreditam que o Bitcoin voltará ao nível de US$ 20.000, se puder superar a atual crise.

Investir é especulativo. Ao investir seu capital está em risco. Este site não se destina a uso em jurisdições em que a negociação ou os investimentos descritos são proibidos e só devem ser usados por essas pessoas e de maneiras que sejam legalmente permitidas. Seu investimento pode não se qualificar para a proteção do investidor em seu país ou estado de residência, portanto, conduza sua própria devida diligência. Este site é gratuito para você usar, mas podemos receber comissões das empresas que apresentamos neste site. Clique aqui para obter mais informações.