Japão dá lição de regulamentação de criptomoedas a governos ocidentais

O Bitcoin é um fenômeno que provoca emoções conflitantes nas pessoas como: medo, excitação e dúvida. Já para os governantes encarregados de regular cada novo produto, mercado ou serviço que aparece, o bitcoin surge com uma questão. Como regular algo que é aparentemente insolúvel? Enquanto muitos países ocidentais tomam atitudes grotescas acionando o botão do “Medo”, o Japão segue por um caminho contrário.

O Bitcoin tem sido um método de pagamento oficialmente legal no Japão desde abril, quando 4.500 lojas começaram a aceitar a criptomoeda, e o principal jornal financeiro do país, o Nikkei, sugere que esse número seja de 5 vezes maior até o final do ano.

Os japoneses podem gastar Bitcoin em uma variedade de lojas, incluindo a gigante do mercado de eletrônicos, como a Bic Camera. Em meio a tantas novidades, as notícias sobre bitcoin são exibidas de forma constante, ajudando a aumentar a conscientização da população. Os caixas eletrônicos que trocam dinheiro comum por bitcoin conhecidos como BTMs, estão espalhados por todo o país, e é possível até pagar contas com um desconto especial para formas de pagamento usando a criptomoeda.

Leia também  Goldman Sachs diz que bitcoin pode subir mais US$ 500, antes de perder metade do seu valor

Contudo, após o colapso da Mt Gox, a maior exchange de bitcoin do país (e também do mundo), que foi supostamente hackeada, perdendo 850 mil bitcoins, os reguladores japoneses entraram em ação. Ao invés de tentarem deter o uso das criptomoedas, eles divulgaram regulamentos que exigiam permutas* para manter reservas de capital, mantendo os fundos dos clientes separados e também implementou os procedimentos de *KYC. Enquanto isso, muitos governos ocidentais “caçaram” as criptomoedas através de regulamentos rigorosos.

Esta semana, o secretário do Tesouro de Donald Trump emitiu seus primeiro comentário público sobre bitcoin – e ele não estava exatamente entusiasmado – Sua principal preocupação era garantir que o bitcoin não pudesse ser usado “para atividades ilícitas”. Ele também invocou os dizeres habituais que funcionários do governo estão propensos a proferir, citando lavagem de dinheiro, terrorismo e a deep-web.

Essas acusações não são apenas limitadas ao bitcoin, é claro. A criptografia como um todo são um tenebroso recinto para muitos governos ocidentais, liderados principalmente por britânicos e norte-americanos, que expressam frustração quando suas vontades não podem ser acatadas por aplicativos de mensagens criptografadas como o Whatsapp. O Bitcoin está misericordiosamente livre da tentativa de intromissão do seu código, mas isso não impede os governos de restringir seus pontos de entrada e saída do mundo fiat.

Leia também  Investigada pelo FBI, exchange BTC-e afirma que ainda possui bases de dados e carteiras dos clientes

Oportunidade ou ameaça?

O Japão é uma nação tecnológica, cujos funcionários têm uma melhor apreciação do poder transformador das tecnologias emergentes do que a maioria. Sabe-se que os países mais inclinados digitalmente devem estar entre os primeiros a adotar as criptomoedas. Na Europa, a Estônia, com seus passaportes digitais, os e-Residency, é outro país que tem sido muito positivo em relação à moedas digitais.

“A Regulação do Bitcoin pode significar coisas muito diferentes em diferentes países. No Japão, significa tomar medidas para proteger os cidadãos, incentivando o uso responsável do bitcoin e permitindo que as empresas de criptomoedas continuem com os negócios. Em outras nações desenvolvidas, no entanto, a “regulação” é um eufemismo para a “anti-lavagem de dinheiro”.

Você acha que com o passar do tempo, mais países como o Japão e a Estônia irão surgir aceitando o bitcoin de forma mais aberta? Deixe sua opinião nos comentários abaixo.

Leia também  BlinkTrade abre vaga para React Developer, salário é pago exclusivamente em Bitcoin

*Permuta é um tipo de contrato no qual uma das partes é obrigada a dar algo em troca de alguma coisa, que não seja moeda financeira. – via significados.com.br

*KYC [é uma especie de regulamento que] implicam à empresas que são ativas no setor de serviços financeiros a fazer a confirmação da identidade dos seus clientes para evitar roubo de identidade, fraude, lavagem de dinheiro e financiamento ao terrorismo – via tmf-group.com

_______________________________________________________________________________
Publicação Traduzida e Editada pelo Guia do Bitcoin
Matéria Original: https://news.bitcoin.com/japan-teaches-w…

Mantenha-se informado todos os dias sobre Bitcoin!
Telegram: http://telegram.me/guiadobitcoin
Facebook: https://www.facebook.com/guiadobitcoin/
Twitter: https://twitter.com/guiadobitcoin
Feed RSS: http://guiadobitcoin.com.br/feed/

Bitcoins no seu e-mail

Digite o seu e-mail

Junte-se a 21.293 outros assinantes

loading...

2 Comentários


  1. Bom Artigo. Só vejam alguém para revisar a parte de Português…

    Responder

  2. Como o pessoal viabiliza isso? Nesses últimos dias as taxas de mineração cobradas durante a transferência de criptomoedas foram às alturas (quase R$ 40,00 por transação).

    Pagando esse valor um lojista só consegue ter lucro em vendas de produtos com valor muito alto…

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *