Criador de esquema de pirâmide com “Mineração” deve enfrentar 20 anos de prisão: clientes perderam $10 milhões de dólares

O polêmico executivo Josh Garza se declarou culpado de uma conta de fraude por fio.

Conforme relatado pelo Guia do Bitcoin no início desta semana, Garza foi rumado que estava preparando o pedido, um para acusações que decorrem de sua operação de quatro empresas de criptomoedas, a GAW, GAW Miners, ZenMiner e ZenCloud, que foram suspeitas por atividades fraudulentas há muito tempo.

No total, a perda atribuída à fraude de Garza foi estimada em US$ 9.182.000. Ele já deve ser condenado em 12 de outubro, momento em que ele enfrentará até 20 anos de prisão.

Ainda assim, não é provável que seja o último caso contra o executivo. Um caso separado contra Garza por fraude de títulos, trazido pela SEC, ainda está em andamento, com a agência ainda reunindo provas até agosto. Esse caso ainda pode ser resolvido fora do tribunal.

A apresentação de hoje abordou as especificidades desse caso, com destaque para venda de “planos de mineração” e descrevendo suas operações de forma semelhante a um esquema Ponzi (Pirâmide Financeira).

O aviso do Departamento de Justiça dos EUA, por exemplo, enfatizou que as empresas da Garza fraudaram os consumidores rotineiramente fazendo afirmações falsas sobre o funcionamento de seus produtos e o estado de seus negócios.

Leia também  MinerWorld e D9 são investigadas no Paraguai por esquema de pirâmide financeira

O negócio da GAW entrou em colapso em 2015 e já não é operacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *