Como reconhecer e se defender das pirâmides financeiras?

Com a popularização do , muitas golpes de pirâmide estão usando da criptomoeda como justificativa para altos retornos financeiros em pouquíssimo tempo. Em entrevista, Walter Salmeri, – CBDO da Exchange de bitcoins BitInka – apresenta formas do usuário se defender desses esquemas.

Pirâmides financeiras já são figuras conhecidas no brasileiro, mas nem por isso deixam de fazer milhares de vítimas anualmente. Casos famosos como Telexfree, Boi Gordo e Avestruz Master servem como alerta para a população, porém pessoas mal intencionadas encontraram mais uma forma de aplicar golpes, os bitcoins. A alta da moeda e sua popularização foi o momento perfeito para a proliferação de golpes envolvendo o nome dos bitcoins. Embora os bitcoins não sejam um esquema de ponzi, é de extrema importância que os usuários saibam como reconhecer as pirâmides financeiras envolvendo a criptomoeda.

Leia também  MinerWorld e D9 são investigadas no Paraguai por esquema de pirâmide financeira

Como funciona um esquema de pirâmide

O esquema desenvolvido pelo americano Charles Ponzi funciona de maneira similar às empresas de . Onde os investidores iniciais podem conseguir maiores comissões ao convidar novos participantes, que assim em diante podem convidar outras pessoas. O modelo de negócio de marketing multinível é extremamente popular, além de legalizado. Para as pessoas comuns, não existe uma grande diferença entre uma pirâmide financeira e uma empresa de marketing multinível. Então a melhor forma de se defender das pirâmides financeiras é através da informação.

Características de uma Pirâmide Financeira

As pirâmides financeiras, ao contrário do esquema de ponzi, não possuem uma administração centralizada, essa é uma característica que faz esse modelo de negócio ruir rapidamente. As interações entre as pessoas envolvidas no esquema de pirâmide se limitam apenas à pessoas em cargo diretamente superior ou inferior, não existindo qualquer contato com uma organização central. Uma forma fácil de identificar uma empresa que opera como esquema de pirâmide é analisando o comportamento de seus participantes. Geralmente os ganhos financeiros dos vendedores ou participantes são muito mais divulgados do que o próprio produto ou serviço prestado pela empresa.

[Dica: Confira nossa lista com pirâmides, golpes, sites suspeitos e fraudulentos que circulam no Brasil: https://goo.gl/s2rmtL]

Nos Estados Unidos existe a famosa regra dos 70% que explica que para uma empresa de marketing multinível ser legítima pelo menos 70% do retorno financeiro deve ser sobre a venda do produto. Caso a maior parte do valor venha do ingresso de novos participantes, o usuário deve ficar atento a legitimidade do negócio. Geralmente, pirâmides financeiras aplicam uma grande quantidade da verba em marketing, e a menor parte no produto anunciado. Outra prática que diferencia as empresas de marketing multinível de pirâmides financeiras é a prática da recompra de estoques para evitar acúmulo, algo que não é feito nos esquemas de pirâmide.

Walter Salmeri, CBDO (Chief Business Development Officer) da , uma das maiores exchangers de Bitcoins da América Latina concedeu uma breve entrevista sobre o tema explicando de forma clara sobre o risco desses golpes e sobre formas para o usuário se defender das pirâmides financeiras.

Bitcoins são um esquema de pirâmide?

De forma alguma. Bitcoins são apenas escolhidos como uma forma de pagamento de diversos esquemas de pirâmides atuais devido a sua valorização. O funcionamento do bitcoin é como qualquer uma das criptomoedas que funciona de forma similar a qualquer outra moeda tradicional, como real ou dólar. Além de funcionar como as moedas tradicionais, o bitcoin tem vantagens em relação as moedas físicas, como a facilidade para transferências, legalidade e segurança.

Leia também  O ex-CEO da GAW Miners pode estar envolvido em fraude eletrônica

Antes de pensar que os bitcoins são criados apenas para golpes, as pessoas precisam compreender que esquemas de ponzi e outros golpes financeiros existem desde a 1920, sempre usando as moedas tradicionais para atingir seus objetivos. Considerar os bitcoins como um responsável pelo esquema de pirâmide é a mesma coisa que considerar as moedas tradicionais como um culpadas pelos golpes financeiros.

Entretanto os usuários devem ficar atentos as moedas alternativas, conhecidas por . Embora existam mais de 700 alternativas reais, muitas pessoas que comercializam moedas falsas dizendo ser um ótimo investimento. Caso o usuário deseje operar com é recomendado que ele confira o site Coin Market Cap, que lista todas as moedas verificadas, seu valor no mercado e seu histórico.

Como o usuário pode entender a diferença entre uma empresa real que opera com bitcoins e um golpe?

Seguindo alguns passos para verificar a validade das diferentes plataformas que podem ser usadas para e vender bitcoins e outras criptomoedas, o usuário não irá ter nenhum problema com as transações e seu dinheiro estará sempre seguro. Esses são os pontos que o usuário deve ficar atento ao negociar bitcoins e outras criptomoedas com alguém.

Leia também  Alerta de SCAM: LCF Coin não é uma criptomoeda! É uma fraude que está abusando do nome de uma família

Ninguém irá te dar nada de graça. Se você receber mensagens online e propostas oferecendo dinheiro de “graça”, renda garantida ou multiplicar seus bitcoins, apenas ignore. Geralmente esses pedidos também são acompanhados de um pequeno depósito de entrada.

Se uma empresa oferece para você um alto lucro em curtíssimos períodos de tempo ou um retorno vitalício, certamente você será enganado.

Sistemas de referências são a base do funcionamento de uma pirâmide. Se uma plataforma exige que você convide outras pessoas e que os convidados paguem para se cadastrar fique atento, elas certamente são uma pirâmide. Nunca confie em empresas que oferecem comissões sobre os valores dos participantes que entrarem com sua referência. Se você for abordado por alguém oferecendo condições similares, denuncie para o órgão responsável assim que possível!

Se uma empresa foca divulgar mais os lucros por indicação do que a venda do produto em si, certamente o produto não é o foco principal de vendas. Pense nisso: Se uma empresa não vende seu produto, de onde vêm o lucro dela? O lucro que sustenta o topo da cadeia vem dos novos usuários entrando na base e isso se configura como um esquema de pirâmide.

Fique alerta com plataformas de financiamento coletivo e doações, afinal essa é uma forma comum de se justificar um golpe. Uma forma de identificar uma plataforma para golpes é se além do valor depositado a plataforma chame você e seus amigos para fazer o mesmo. Existem diversas plataformas de financiamento coletivo legítimas onde você pode contribuir com projetos de maneira segura.

Como o usuário pode se defender das pirâmides financeiras?

Inicialmente o usuário pode investigar o possível golpe e encontrar informações válidas em seu website. Por exemplo na página inicial da BitInka, na parte inferior da página no canto direito você encontra o logo da BitGo, os certificados PCI 3.1 e da TrustWave.

Outra forma interessante para o usuário confirmar a veracidade de um negócio é questionar o possível golpista sobre o produto vendido pela empresa. Se ele não der uma resposta concreta como “cadeiras” ou ter uma descrição detalhada do funcionamento de um software ou serviço, certamente é um golpe. Podemos usar a BitInka como exemplo, que tem como serviço uma plataforma de compra e venda de bitcoins em diversas moedas nacionais.

O usuário nunca deve acreditar em alguém que diz que pode multiplicar seu dinheiro por duas, três ou quatro vezes, seja em bitcoins ou em moedas tradicionais. Esses resultados são impossíveis até em longo prazo e a empresa ou pessoa que está oferecendo esse serviço é uma armadilha para os participantes.

A melhor forma que um novo usuário pode se iniciar na operação com bitcoins é através de empresas seguras e verificadas. Para isso ele deve principalmente se informar sobre o tema, tanto por pesquisas quanto em comunidades sobre bitcoins. Conhecendo empresas reais e verificadas como a BitInka, que já tem parceria com os maiores Brasileiros e está presente em mais de 9 países.

Outra forma de negociar bitcoins seguramente e se defender das pirâmides financeiras é ficar atento às pessoas que fazem propostas de negócio. Os “faraós”, apelido dado aos que tentam vender os esquemas de pirâmide, tendem a conversar apenas por mensagens privadas, evitando que o esquema seja desmascarado mais rapidamente. Por fim, antes de concluir uma negociação o usuário sempre deve perguntar publicamente sobre o negócio. Assim recebendo comentários positivos ou negativos sobre o negociante, ajudando na conclusão do negócio, afinal como diz o velho dito popular “quem não deve, não teme.”

Via: BitInka

Confira nossa lista com pirâmides, golpes, sites suspeitos e fraudulentos que circulam no Brasil: https://goo.gl/s2rmtL


Receba notícias diárias sobre Bitcoin e não fique de fora dessa revolução:

Telegram: http://telegram.me/guiadobitcoin
Facebook: https://www.facebook.com/guiadobitcoin/
Twitter: https://twitter.com/guiadobitcoin
Linkedin: https://www.linkedin.com/company-beta/16221556

Assine nossa newsletter

Digite o seu e-mail

Junte-se a 24.883 outros assinantes

loading...

Chefe de Pesquisa do Bank of America adverte investidores sobre valor do Bitcoin

Francisco Blanch, chefe de pesquisa mundial de commodities e derivados da Bank of America, advertiu que o Bitcoin e as criptomoedas têm grandes riscos relativos e alertou os investidores contra o…

1 Comente

Comunidades brasileiras e argentinas emitem nota contra o Segwit2x

Quanto mais perto está a famigerada data programada para ativação do segwit2x, mais manifestações publicas contra a atualização surgem na internet. Na terça-feira, na conta da plataforma Medium do economista…

1 Comente