Coinbase não vai mais pagar taxas de transações Bitcoin, repassando custo para clientes

Ao longo dos últimos seis meses, o dos “honorários” de mineração de Bitcoin subiram significativamente, causando um encarecimento das  sobre a rede. Na semana passada, a Bitpay aumentou o custo das taxas da empresa para cobrir as taxas de mineração. Agora a Coinbase anunciou seu serviço irá descontinuar o pagamento de taxas de rede e o custo será repassado aos clientes.

Empresas estão mudando seus modelos de negócios devido a taxas de transação

Transações On-chain (transações em Blockchain) estão custando mais nos dias de hoje. A taxa atual do minerador é de aproximadamente $0.69 centavos por transação. Muitos proponentes de bitcoin têm questionado o fato deles acreditam que o preço deve ser só um por um sistema de pagamento descentralizado. No entanto, as empresas baseadas em bitcoin parecem estar tendo dificuldade em pagar taxas de transações em blockchain e começaram a mudar seus modelos de negócios.

Em janeiro passado, o site freelancer Fiverr detalhou que deixaria de aceitar o bitcoin por seus serviços. Os proponentes da Bitcoin especularam que a empresa pode ter cessado suas operações devido à lentidão das transações e taxas mais altas. Em fevereiro, alguns bitcoiners receberam um e-mail da empresa Egifter afirmando que só aceitariam transações bitcoin da . Mais uma vez membros da comunidade especularam que a razão era devido a custos de transação e que a iria ajudar o negócio utilizando transações off-chain (conhecida com sidechains).

Leia também  Preço do Ether (ETH) continua em queda por mais de 7 meses

Após esses anúncios, a empresa de processamento de em Bitcoin, a Bitpay, revelou que estava elevando os preços praticados pela empresa. A Bitpay explicou:

“Aumentaremos o valor mínimo da fatura do Bitpay de US$ 0,04 para US$ 1.””

Coinbase vai repassar custos a clientes

No dia 14 de março a empresa de câmbio e corretagem de de São Francisco, a Coinbase, anunciou que a empresa deixaria de pagar taxas de transação em cadeia. Estas taxas serão encaminhadas ao cliente e atribuídas dinamicamente para retiradas, detalhando:

“Taxas de transação de rede: Vamos descontinuar o pagamento de taxas de transação de rede para transações em blockchain a partir do dia 21 de março de 2017”, explica a Coinbase. “Agora temos mais de 6 milhões de usuários em todo o mundo, e isso se tornou um custo significativo. As taxas serão atribuídas dinamicamente com base nas condições atuais da rede e serão pagas pelos clientes quando enviam uma transação blockchain. Transações entre contas da Coinbase continuarão a ser off-chain e gratuitas.”

As empresas de Bitcoin começaram a se proteger do crescente mercado de taxas. Na velocidade em que o “mercado das taxas” está crescendo, muitos mais negócios que são baseados em bitcoin podem realinhar seus modelos de negócio no futuro para compensar custos.

Leia também  Bitcoin Cash: Falta de suporte para depósitos do BCH e baixo Hashrate limitará sua valorização

E as do Brasil?

No Brasil, as principais exchanges de Bitcoin, como a FoxBitWalltime, já comunicaram aos seus clientes que aumentariam as taxas das transações, justamente por conta da lentidão e demora na confirmação das transações on-chain (transações em Blockchain). Lembrando que a FoxBit conta com um recurso de pré-aprovação instantânea no depósito de Bitcoins, mesmo sem a confirmação total da rede.

Já a coinBR por padrão sempre operou não cobrando nenhuma taxa de transação para os seus clientes, até mesmo quando se trata de taxas elevadas, justamente para terem uma confirmação de transação rápida e com prioridade sobre a rede. Para se ter uma ideia, a empresa já chegou a pagar R$ 20,00 em uma só transação, pois a plataforma detectou que a transação demoraria muito, dando um bump nela. A CoinBR está inovando e desenvolvendo um recurso diferenciado, chamado  (RBF), onde a plataforma detecta de forma inteligente se uma transação ficou parada por muito tempo (mais de 45 minutos) e ativa o RBF para que a transação seja executada brevemente. Segunda a empresa, o recurso deve ser lançado em até meados de Abril desse ano (2017) e será a primeira empresa no mundo a ter uma wallet com uma espécie de “pagamento de Fee reverso”, explicou Rocelo Lopes ao Guia do Bitcoin.

Leia também  IBM irá acelerar tecnologia Blockchain no Brasil, criando espaço em São Paulo
Muitos usuários na comunidade de Bitcoin do Brasil estão questionando que a moeda digital não vale a pena mais para micro-transações (valores baixos), justamente por conta dessas taxas. Seria esse o motivo do recente Boom das Altcoins, como a DASH e Ethereum? Deixe sua opinião abaixo!

Receba sobre Criptomoedas em primeira mão, seguindo nosso canal no Telegramtelegram.me/guiadobitcoin

Via: News Bitcoin
Adaptação/Tradução: Guia do Bitcoin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *