Bitfinex suspende todo os depósitos fiduciários

0 Comentários

A suspendeu temporariamente todos os depósitos em moedas fiduciárias para o Euro, Dólar Americano, Iene Japonês e Libra Esterlina. Apesar de continuar com os outros serviços, a despertou atenção da comunidade.

A Bitfinex é atualmente a quinta maior exchange do mundo em volume negociado, movimentando cerca de $309,614,419 nas últimas 24 horas. E assim, as operações da empresa e seus problemas afetam o como um todo. Conforme relatado  em 8 de outubro, ela pode estar passando por problemas de gestão financeira e respondeu oficialmente aos rumores que especularam que a empresa poderia estar insolvente.

A empresa chegou a relatar que “as complicações continuam existindo” para o Bitfinex “no domínio das transações fiduciárias”, mas afirmou que isso é algo predominante entre “a maioria” das organizações da criptoesfera. A empresa ainda afirmou ” A Bitfinex não é insolvente, e um fluxo constante de artigos do Medium reivindicando o contrário não mudará isso. Como uma das poucas que operam desde 2013, com uma pequena equipe e baixos custos operacionais, não compreendemos inteiramente os argumentos que pretendem nos mostrar insolventes sem fornecer qualquer explicação sobre o motivo”. Como forma de fortalecer seus argumentos, a empresa ainda deixou o endereço da cold wallet de alguns ativos.

Leia também  Whitepaper do Bitcoin é lançado em Braille

Embora a exchange não tenha deixado claro quais os motivos da suspensão dos depósitos de fiat, se são decorrentes dos problemas de insolvência ou de outras questões, ela afirma que os depósitos devem ser retomados dentro de uma semana.

 

Os relatos controversos sobre a situação da exchange começaram em de 2017, quando a empresa americana Wells Fargo & Co, supostamente se recusou a continuar operando como banco correspondente. A Bitfinex, em seguida, entrou com uma ação contra o banco que foi rapidamente descartada.

A Bitfinex também passou por sérias complicações com o ativo Tether (USDT). A falta de transparência em relação às suas reservas em dólar foram exacerbadas quando a empresa rompeu laços com seu auditor externo em janeiro de 2018 e emitiu apenas um documento não oficial como auditoria em junho para provar que a moeda é realmente apoiada 1: 1 pela quantidade apropriada de participações fiduciárias.

Leia também  BitFlyer, a maior exchange de Bitcoin por volume expande operações para EUA