Bitcoin volta a cair abaixo dos US$10.000

5s Comentários

O mercado de criptomoedas voltou a mostrar números vermelhos na quinta-feira depois que o Bitcoin (BTC), que é a maior criptomoeda do mundo, perdeu mais de US$900 em 24h.

A situação não estava das melhores para o mercado desde os dias anteriores, quando o Bitcoin começou a demonstrar sinais de que entraria em uma leve correção.

No dia 14 de agosto, a partir das 9:00 no horário de Brasília, o BTC começou a cair drasticamente de US$10.862 para um valor de US$9,888 até o final do dia 14.

A moeda alcançou um suporte no nível de US$9,880 e logo os compradores fizeram o preço subir novamente para diminuir a perda.

Essa recente queda marca a pior desvalorização em um único dia desde 16 de julho, aproximadamente 30 dias atrás.

No entanto, o preço do BTC conseguiu segurar com sucesso após o suporte abaixo de US$10.000 no período de negociações de ontem e fechou o dia por volta de US$10,084.

Infelizmente, logo na próxima sessão de negociação, no dia 15, a moeda voltou a perder valor e nas primeiras horas desta quinta-feira estava novamente abaixo dos US$10.000.

Na madrugada entre quarta e quinta o preço do Bitcoin estava sendo negociado a US$9.908. Uma queda de mais de 6% em relação às últimas 24h.

A queda também foi acompanhada por um grande aumento no volume total de negociações, subindo US$13,5 bilhões em um período de 24 horas, com os investidores e comerciantes correndo para fechar suas posições, a fim de conter os prejuízos.

Outras grandes moedas como o Ether (ETH), Litecoin (LTC), XRP (XRP) e EOS (EOS) também começaram a cair ao mesmo tempo que o BTC, perdendo entre 8-12 por cento do valor durante o dia.

Já no período do início do dia, a maioria das altcoins no top 10 estava com prejuízos de mais de 10%

Além disso, a capitalização de mercado total de todas as criptomoedas combinadas sofreu uma perda de US$20 bilhões em 24 horas, com uma capitalização total de US$ 260,5 bilhões no momento em que o Bitcoin voltou a cair novamente.

A perspectiva de curto prazo permanece volátil, portanto, o BTC pode ter uma alta repentina após essa leva retração para abaixo dos US$10.000, mas isso precisará ser acompanhado por níveis fortes em volume a fim de acabar com o recente sentimento de venda que acompanha a moeda desde 10 de agosto.

Curiosamente a dominância do BTC continua a 68.1%, mostrando que o resto do mercado está com uma relação ainda muito próxima com o movimento do Bitcoin.

Fonte: Coindesk

Veja também: CoinBase tem conta bancária encerrada

Mantenha-se informado todos os dias sobre Bitcoin! Se inscreva em nossas redes sociais:

Investir é especulativo. Ao investir seu capital está em risco. Este site não se destina a uso em jurisdições em que a negociação ou os investimentos descritos são proibidos e só devem ser usados por essas pessoas e de maneiras que sejam legalmente permitidas. Seu investimento pode não se qualificar para a proteção do investidor em seu país ou estado de residência, portanto, conduza sua própria devida diligência. Este site é gratuito para você usar, mas podemos receber comissões das empresas que apresentamos neste site. Clique aqui para obter mais informações.