Accenture revela a criação de protótipo de “Blockchain editável”

accenture1
Imagem: Reprodução

A gigante de consultoria, a Accenture, empresa de serviços profissionais globais, desenvolveu um protótipo que permitirá a um administrador central editar e – até mesmo eliminar – um registro em uma “” privada.

Em um anúncio feito hoje, a disse que criou “um protótipo de uma nova funcionalidade” que permitirá que um ou mais administradores designados possam editar, reescrever e remover blocos de uma “blockchain” com permissão, sem quebrar a cadeia. Os pedidos de patente de invenção do protótipo foram obtidos, nos Estados Unidos e na União Europeia, pela empresa e seu co-desenvolvedor Giuseppe Ateniese, professor do Instituto de Tecnologia de Stevens, em Nova Jersey.

A empresa acrescenta que o seu protótipo vai ajudar durante “circunstâncias extraordinárias, a resolver os erros humanos, acomodar requisitos legais e regulamentares, e enfrentar o mal-uso e outras questões, preservando as características da chave criptográfica.”

A Accenture está priorizando o uso de seu protótipo para indústrias, tais como bancos, seguros e mercados de capitais.

Richard Lumb, executivo-chefe de Serviços Financeiros do grupo Accenture, argumenta a necessidade de tal protótipo, observando que sua imutabilidade absoluta – um traço fundamental de “livro-caixa” como as “blockchains” do e do Ethereum – serão ao mesmo tempo, uma virtude e um vício, ao explorar as aplicações da “blockchain”.

Leia também  Carteira Jaxx agora suporta DASH e recursos avançados serão lançados em breve

Em declarações, Lumb opina:

Para sistemas de descentralizadas, tal contabilidade permanente tem sido crucial par aconstruir a confiança e a fé entre os participantes. Mas para instituições de serviços financeiros que enfrentam uma miríade de requisitos de risco e regulamentares, a imutabilidade absoluta é um obstáculo potencial.

A nossa invenção estabelece um equilíbrio para uso o empresarial que preserva o valor fundamental da tecnologia, enquanto permiti a adoção empresarial.

Em declarações ao “Financial Times” (acesso pago) Lumb disse o protótipo teria provado uma solução rápida para o infame ataque “DAO”, uma vulnerabilidade encontrada na “blockchain” Ethereum.

Ele vê o protótipo como uma característica necessária para o gosto de reguladores que seriam capazes de corrigir erros no “blockchain’ antes de sua incursão no mercado de valores mobiliários. Segundo ele, erros de negociação do tipo “dedo gordo” podem ser corrigidos rapidamente, com a implementação desse protótipo.

Ele disse à publicação:

Este protótipo permite eliminar um registro completamente e nós pensamos que isso  será necessário para empresas e reguladores.

Lumb escreveu recentemente sobre a imutabilidade da tecnologia “blockchain”, referindo-se ao recurso como uma “desvantagem” do Bitcoin, no New York Times.

Leia também  Operadora de telecom no Brasil passa a aceitar Bitcoin para recarga de celulares

Ajustando uma “Blockchain”

O meio para negar a imutabilidade da “blockchain” é conseguido devido a uma versão ajustada do ‘chameleon hash’ – uma função que adiciona um algoritmo criptográfico para conectar dois blocos separados. Em seu estado modificado, um administrador central, com as chaves privadas necessárias pode desbloquear o acesso às unidades na “blockchain”, deixando-a aberta para edição.

Um recurso adicional do protótipo também vai deixar uma “cicatriz” imutável como um indicador para revelar qualquer bloco editado.

Giuseppe Ateniese, co-desenvolvedor do protótipo e professor de Ciência da Computação no Instituto Stevens de Tecnologia anunciou aos fundadores do Bitcoin a inovação na “blockchain”, acrescentando que o protótipo é compatível com os “frameworks” descentralizados de “blockchain” atuais.

O trabalho inteligente dos criadores do Bitcoin e saltos de progresso na pesquisa de criptografia aplicada estão abrindo a porta para novos e ousados usos da “blockchain”.

Ao modificar a tradicional função “chameleon hash” podemos preservar a força do “blockchain” original, enquanto o tornamos ainda mais útil.

O protótipo da Accenture encontrou apoio em Blythe Masters, CEO da startup Digital Asset Holdings sediada em Nova York e especializada na “blockchain”. Apontando para o desenvolvimento da Accenture como uma entre “várias opções na caixa de ferramentas”, ela disse à FT:

Mas nós pensamos que é inovador e pode encontrar o justo equilíbrio entre a preservação das principais características da “blockchain” e adaptá-la para as necessidades do mundo real dentro de alguns sistemas permissivos.

O protótipo está previsto para ser revelado amanhã (23-09-2016).

Leia também  Coinbase entra no mercado australiano

Fonte: www.cryptocoinsnews.com
Autor: Samburaj Das
Tradução e adaptação: Guia do Bitcoin

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *