Venezuela passa a ter cartão de débito de Criptomoedas

2s Comentários

O governo venezuelano é um dos países com aproximação mais amigável em relação às criptomoedas. Isso porque, há algum tempo, o país procura maneiras de sustentar sua economia hiperinflada e as sanções de vários governos.

Segundo o Bitcoin Exchange, o governo está focado em promover sua criptomoeda lastreada em petróleo, a Petro, a seus cidadãos com o mais recente lançamento de cartão de débito da exchange sancionada pelo governo, a CriptoLAGO.

O cartão de débito serve para transacionar quatro criptomoedas, incluindo a Petro.

Duas empresas venezuelanas já se uniram para lançar um cartão de débito de criptomoeda e um sistema de ponto de venda. Este novo sistema suportará um total de quatro criptomoedas; Bitcoin, Ether, Dash e Petro, que é apoiado pelo governo venezuelano como sua moeda digital oficial.

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse que o banco central da Venezuela, juntamente com o ministro das Finanças, está focado na introdução de novos instrumentos em breve para permitir que as pessoas concluam suas transações bancárias nacionais e internacionais através da conta do banco central.

Com a Venezuela enfrentando sanções globais em todo o mundo e caindo na hierarquia do sistema financeiro global, o presidente Maduro vê as criptomoedas como o melhor plano para salvar sua economia em queda.

O Bolívar Soberano, que é a principal moeda da Venezuela, está enfrentando tempos difíceis e o novo sistema que está sendo implementado para servir como ponto de suporte.

O sistema, de acordo com a Glufco, é basicamente um dispositivo de transferência de criptomoedas que eles esperam poder acomodar automaticamente outros ativos digitais em um futuro próximo.

Um relatório recente da Bloomberg mostrou que testes internos foram concluídos pelo banco central da Venezuela em uma tentativa de descobrir se eles podem manter ativos de digitais em suas reservas.

Eles buscam ajudar a Petroleos de Venezuela SA a pagar suas contas por meio de criptomoedas (Bitcoin e Ethereum) usando o Banco Central. Além disso, recentemente foi revelado que o banco central divulgou seu plano de manter o Bitcoin em suas reservas.

O maior banco da Venezuela já criou um recurso experimental com relação ao criptomercado para o seu internet banking. No entanto, essa adoção de criptomoeda é vista pelo líder da oposição Juan Guaido como puro desespero.

Guiadó não deixa de estar certo. Vale lembrar que apesar de todas as sanções impostas à Venezuela, grande parte da crise se deve à incompetência do governo Maduro. E isso problema, nem mesmo as criptomoedas podem ajudar a driblar.

Neste sentido, o uso de criptomoedas por parte do governo venezuelano é ao mesmo tempo um exemplo de como o criptomercado está aqui para romper com o sistema monetário centralizado e também uma forma de mostrar como mesmo com boas intenções as criptomoedas podem ser usadas de forma errada.

Veja também: Binance fecha parceria com a Coinfirm para melhorar compliance de AML

Mantenha-se informado todos os dias sobre Bitcoin! Se inscreva em nossas redes sociais:

Investir é especulativo. Ao investir seu capital está em risco. Este site não se destina a uso em jurisdições em que a negociação ou os investimentos descritos são proibidos e só devem ser usados por essas pessoas e de maneiras que sejam legalmente permitidas. Seu investimento pode não se qualificar para a proteção do investidor em seu país ou estado de residência, portanto, conduza sua própria devida diligência. Este site é gratuito para você usar, mas podemos receber comissões das empresas que apresentamos neste site. Clique aqui para obter mais informações.