Um conto infantil sobre as verificações das transações de Bitcoin

Era uma vez em uma terra distante, muito longe, havia um reino maravilhoso cheio de todo tipo de doces e formigas que os amavam. Desde o nascer do sol até a lua gentil, o Reino dos Doces estava cheio de risadas, e as felizes batidas dos pés das formiga dançante.

Há quase cem anos, a sábia formiga Rainha governa os habitantes da linda “Docelândia”, cujo único trabalho é tornar os dias do reino os mais doces e mais açucarados do que nunca. Através de um trabalho árduo e breves intervalos para se fazer “lanchinhos”, as formigas trabalharam duro para fazer e distribuir os melhores doces de suas fábricas de em toda a terra.

Mas as coisas nem sempre foram tão “adocicadas” no reino. Não muito tempo atrás, os brilhantes rios de chocolate e as altas e deslumbrantes montanhas de doces escondem caminhos traiçoeiros e tortuosos cheios de terríveis feras e bandidos que procuram acabar com o açúcar do reino e fazer seus próprios doces.

Os chicletes do mal grudavam-se nos caminhos impedindo os mensageiros de levar e trazer informações importantes. As aranhas de M&Ms enganavam os mensageiros da rainha modificando e duplicando as informações cruciais  para o reino vizinho contido no “candygram”.

Enfrentado uma batalha com os inimigos e incapaz de comprar os novos canhões de pirulito necessários para defender o seu castelo, a formidável Rainha das formigas percebeu que não havia nenhuma maneira confiável de se comunicar com os reinos vizinhos afim de obter ajuda. Seus “candygrams” pareciam nunca chegar aos seus destinatários, enquanto as respostas de seus amigos pareciam estranhas e confusas, como se estivessem escritas por um alienígena. Ela nunca tinha certeza se era uma informação real.

Ahh! Se houvesse uma maneira de enviar de forma segura essas informações críticas! A sobrevivência de Candy Kingdom depende disso.

Em sua hora mais desesperada, a formiga rainha ouviu um sussurro daquilo que todos acreditavam ser uma lenda, o espirito da grande formiga, Skitoshi Nak Antmoto :

“Enxugue suas lágrimas, minha rainha. Saiba que eu sou Nak Antmoto, espírito de todos os que desejam doces de alta qualidade com entrega no tempo e sem restrições. Conheça a suprema CandyChaino eterno registro, onde as formigas podem colocar todos os seus candygrams.”

Então com a sabedoria do espírito em suas antenas, a rainha girou graciosamente suas antenas e começou a mostrar aos seus súditos o que precisava ser feito. Um por um, seus súditos se juntaram a ela na grande empreitada e singularmente unidos em um propósito comum, juntos e de braços dados, a rainha e seu povo construíram um grande túnel guiados pelo espírito da grande formiga. Então o caminho ficou claro.

A rainha examinou o magnífico trabalho que literalmente mudou toda a paisagem subterrânea da Docelândia. Muito abaixo da crosta de chocolate com leite, as formigas livraram-se do alcance dos inimigos de oito patas e dos pegajosos chicletes malvados que aguardavam na espreita ansiosos para causar estragos e fazer o mal.

Sentada em seu trono, a rainha contemplou os candygrams de todos os reinos se juntarem aos dela, sendo levados pelos túneis. Pela graça de Nak Antmoto, todos os cidadãos de seu reino e os reinos de perto agora tem a CandyChain e sabem que podem viver em paz.

Ela viu que as formigas estavam trabalhando duro, empacotando essas mensagens cruciais com seus adoráveis ​​selos reais em suas lindas caixas de doces. Era verdadeiramente o sonho de todas as formigas que um dia sua caixa fosse aceita pela grande CandyChain. Mas ainda havia muito trabalho a ser feito, pois, o grande espírito das formigas dá, mas também exige… muito.

Depois que cada formiga enchia suas caixas até a borda com as candygrams de todo o reino, ela deve seguir para o próximo passo e participar do grande ritual, um concurso de força que exige determinação e esforço espiritual. Somente o campeão será capaz de se aproximar da incomparável CandyChain e adicionar sua pequena caixinha de candygrams. O piso da grande câmara do ritual é preenchido com biscoitos de todos os tipos, tamanhos e formas imagináveis. Diante da entrada fica um enorme muro, em frente ao qual uma inumerável multidão de formigas.

O Grande Ritual

O grande espírito de repente se manifesta, mudando a terra e a pedra para criar uma sombra estranha e diferente. As formigas correm num frenesi, passando pela câmara e competindo para encontrar apenas o biscoito do animal certo que combina com a sombra e assim resolver o quebra-cabeça. A rainha percebeu, que as formigas mais fortes podiam pegar biscoitos mais rapidamente, dando-lhes uma vantagem. Pela sabedoria do espírito da grande formiga, apesar do caos, alguma formiga sortuda sempre consegue encontrar o biscoito certo a cada 10 minutos.

Um grande grito chamou a atenção da rainha. Uma formiga estava triunfante, o braço estendido, apertando um misterioso biscoito de cara de cachorro (Consegui!!!!!!!!!) O biscoito se encaixa perfeitamente no quebra-cabeças. A grande formiga Nak Antmoto selou a caixa com sua aprovação e substituiu o quebra-cabeça por um novo, reiniciando o ritual de concessão. “Nós temos um vencedor!”, a voz alta do espírito surgiu quando o campeão orgulhoso pegou sua caixa selada e saiu da câmara para encontrar seu destino. À medida que as legiões de formigas decepcionadas voltaram para a sala anterior, pegando novas caixas para participar do próximo quebra-cabeça, a formiga Rainha deslizou e desejou-lhes uma melhor sorte na próxima vez. “Sentem-se”, ela sugeriu, “sejam pacientes!”

Na câmara final, a formiga ganhadora colocou sua caixa triunfalmente, selada com a marca de conclusão, no final da CandyChain que a cada caixa tornava-se maior. A formiga feliz sabia que à medida que a Candychain crescia, seu filho tomaria seu lugar e aquela pequena caixinha que ela pôs continuaria sendo um elemento básico da história, gravado entre o mundo verdadeiro de transparência e segurança e o mundo falso do caos e das sombras.

De uma forma mágica, todas as formigas do reino e de tantos outros reinos iriam ver todos os candygram existentes. Subterrâneo profundo e com as boas graças de Nak Antmoto, não havia mais necessidade de expedições arriscadas ou frágeis alianças. Aranhas, chicletes do mal e outros inimigos não tinham poder aqui.

A versão “chata” para adultos

A tecnologia blockchain por trás do Bitcoin é tão revolucionária, porque pela primeira vez na história, chegamos tão perto quanto podemos para uma transação digital “sem mediador”. Durante a maior parte da nossa história digital, dependemos de bancos, cooperativas de crédito e outros intermediários para manter nossas informações financeiras, decisões e transações, seguras. Com resultados bastante duvidosos (por exemplo, práticas bancárias irresponsáveis ​​levando à crise financeira de 2008, Wells FargoSony).

Quando você envia dinheiro on-line através de qualquer site ou instituição, ele é armazenado em seus servidores. Tem acesso às suas informações e a segurança é garantida pela empresa, e o usuário nunca sabe se a empresa realmente se importa com a segurança, permitindo que os “cupins” planejem ataques DDoS em seus servidores ou “aranhas” que usam várias técnicas de engenharia social ou fraudulentas para obter seus dados. No nível geopolítico, as políticas econômicas precárias podem simplesmente acabar com a riqueza dos cidadãos, fazendo-a desaparecer devido à hiperinflação ou simplesmente a apreensão do governo.

No entanto, quando você envia um Bitcoin, as informações sobre a transação (candygram) acabam sendo postadas na blockchain (CandyChain). Essas transações, uma vez verificadas, são transparentes para todos e não podem ser reescritas ou falsificadas.

Mineradores (formigas) desempenham o papel central na verificação de transações em um processo conhecido como prova de trabalho. Eles competem para publicar sua transação junto com muitos outros num novo bloco (candychain) na cadeia de blocos. Os mineradores que trabalham em seu próprio bloco devem usar muita energia do computador, eletricidade e tempo (fortes) para resolver o enigma criptográfico extremamente difícil (grande ritual e carinhas de animais) antes de qualquer outra pessoa ter publicado seu próprio bloco.

Algorítmicamente, o quebra-cabeça fica mais difícil, pois há mais participantes, mas é estatisticamente modelado, de modo que uma solução seja encontrada para cada novo bloco aproximadamente a cada 10 minutos. Como tal, quanto mais poder de computação você tiver, mais provável é que você seja o único a “adivinhar” a resposta certa ao problema. Confira este artigo para obter mais informações sobre o papel das funções de hash em proteger os blocos.

O minerador que “adivinhar” a solução para o quebra-cabeça começa a publicar seu bloco e cobra taxas de transação e alguns Bitcoin, como recompensa. À medida que outros blocos de outros mineiros são postados e “fixam” seu bloco na rede, as chances de alguém voltar e modificar essa transação são praticamente inexistentes, pois teriam que desfazer todo o trabalho criptográfico realizado nos últimos blocos para chegar ao ultimo bloco.

Além disso, quando o minerador publica seu bloco com sucesso, todos os outros “nós” da blockchain irão sincronizá-lo e trabalhar com o novo estado. É por isso que a blockchain é conhecida por ser descentralizada; Ao contrário de um banco desonesto que tem a liberdade de modificar o que há em sua conta, se quiser, somente você com sua chave privada pode controlar seus bitcoins, pois está visível em qualquer momento para o mundo inteiro. Qualquer um que tentar mexer em suas transações criaria uma divergência da cadeia de consenso e será rapidamente rejeitado.

Em essência, o sistema de prova de trabalho é uma medida defensiva que dificulta a falsificação e a fraude, mas a verificação é fácil. A partir do modo como o “grande ritual” ou as funções hash são construídas, é fácil comparar a solução com a pergunta, mas não é tão fácil encontrar a solução. Desta forma, o sistema Bitcoin possui tal credibilidade por causa de todo o trabalho por trás disso.

Para saber mais, considere ir direto para a fonte: o WhitePaper Bitcoin original do misterioso Satoshi Nakamoto. Com apenas nove páginas, é realmente muito acessível e provavelmente pode ser considerado um dos documentos mais influentes deste século.

Obrigado pela leitura, e espero que esta história o ajude a entender melhor a prova do trabalho e o que acontece nos bastidores quando usamos o Bitcoin.

Fonte: hackernoon.com

Leia também  IOTA: Bosh lança XDK hardware operando com a rede TANGLE

Adaptação/Tradução: Guia do Bitcoin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *