Tudo o que você precisa saber sobre Exchanges Peer-to-Peer ou P2P

Imagem: Reprodução

1. O que são  peer-to-peer?

As exchanges ‘peer-to-peer’ (P2P) ou ‘descentralizadas’ são operadas e mantidas exclusivamente por software.

As exchanges P2P permitem que os participantes troquem diretamente uns com os outros sem qualquer intermediação de terceiros no processo de negociação.

As exchanges online são empresas que exercem a função de intermediários entre os seus clientes e obtêm lucros através da cobrança de taxas. Por outro lado, as interações entre os negociantes em exchanges peer-to-peer são dirigidas exclusivamente por software pré-programado, sem exigência de intermediários.

Esta abordagem alternativa tem uma série de vantagens, bem como desvantagens. Em geral, as exchanges de peer-to-peer são exemplos vivos da filosofia da descentralização.

2. Como as trocas P2P evoluíram?

As exchanges peer-to-peer foram um desenvolvimento natural do conceito que visa a eliminação de algumas das limitações das exchanges online de Bitcoin.

Na maior parte da existência do Bitcoin, as exchanges online serviram como a principais porta de entrada no mundo das criptomoedas. As exchanges online, como a Foxbit, Walltime, NegocieCoins, entre outras, vêm atendendo essa necessidade como o espaço mais popular para a negociação de Bitcoin.

A desvantagem é que, ao contrário do próprio Bitcoin, essas bolsas são administradas por empresas. Isso significa que elas têm pessoal, elas supervisionam e gerenciam todas as interações entre seus usuários, elas servem como árbitros em casos de disputas, e elas cobram taxas para fazer tudo isso.

Como isso produz uma série de desvantagens, alguns membros na comunidade Bitcoin criaram uma nova solução descentralizada, surgindo então exchanges peer-to-peer, que são executados não por pessoas, mas por software.

3. Como são realizadas operações em exchanges P2P?

O software da exchange é usado para conectar automaticamente compradores e vendedores, com base nos termos que elas preferem.

Primeiro, vamos resumir como funciona uma exchange online. As pessoas que querem vender especificam a quantidade e o preço que gostariam de vender. Todas essas solicitações, conhecidas como “ordens”, são colocadas em um livro-razão comum, chamado de “livro de pedidos”.

Quando uma outra pessoa quer comprar Bitcoins, procuram uma oferta satisfatória no livro de pedidos ou se não encontrarem alguma ordem que lhe agrade pode criar a sua própria “ordem de compra”, especificando os termos do negócio como querem. A exchange sempre estará envolvida na negociação e cobrará uma taxa por isso.

Contudo as transações Bitcoin podem levar muito tempo – de cinco a 10 minutos no mínimo ou até horas. Transferências de Fiat geralmente levam ainda mais tempo, em alguns casos, os pagamentos internacionais podem levar vários dias para serem concluídos. A fim de acelerar o processo de negociação, a exchange serve como um intermediário de confiança, ela resolve todos os negócios imediatamente, mesmo que as transações reais ainda não tenham sido concluídas.

Leia também  Como dar a volta ao mundo utilizando somente Bitcoins, Europeu ensina como
Para eliminar a necessidade de um terceiro, as exchanges P2P operam de forma diferente.

Em vez de combinar ordens no livro de pedidos, elas apresentam às pessoas por trás dessas ordens. Ou seja, sempre que um pedido de compra e uma ordem de venda são compatíveis, o software da exchange não processa imediatamente a negociação, mas em vez disso, ela conecta o comprador com o vendedor, permitindo-lhes conduzir o negócio sem intermediários.

Ainda assim, terceiros podem estar envolvidos na negociação como árbitros (escrow) em caso de possíveis disputas, mas nenhum envolvimento humano da exchange é exigido por padrão.

Assim como com o próprio Bitcoin, o software sozinho é perfeitamente capaz de combinar os comerciantes uns com os outros de forma descentralizada.

4. Quais são as vantagens das trocas P2P?

As exchanges P2P oferecem resistência à censura nas transações, são baratas de usar, privadas e seguras; Pelo menos quando realizada corretamente. Todas as vantagens das exchanges descentralizadas resume-se em não ter uma única empresa responsável pelas coisas.

Então, aqui estão as vantagens das exchanges P2P:

Resistência à censura das transações. As exchanges online são executadas por pessoas – elas são vulneráveis ​​e podem ser exploradas pelos governos impondo restrições regulatórias. Exemplo disso: a recente intervenção do Banco Popular da China, que levou as duas das maiores exchanges da China a congelar todas os saques de Bitcoin por um mês. Como usuário, certamente você não gostaria que isso acontecesse com seus bitcoins.

Por outro lado, exchanges P2P são praticamente invulneráveis ​​à interferência governamental, porque elas não têm qualquer ponto central de autoridade que possa ser coagido. Mesmo que algumas partes sejam forçadas a interromper suas operações, o restante do sistema permanece inalterado. Esta vantagem é exatamente o que causou um aumento acentuado na base de usuários do , uma dos principais exchanges P2P, quando houve a intervenção do central chinês citado acima.

Leia também  Blockchain recebe apoio de candidata a presidência nos EUA, Hillary Clinton

Operações baratas. Mais uma vez, as exchanges online são operadas por pessoas, que têm de ser pagas pelo seu trabalho. As exchanges P2P são executadas por software, portanto, há pouca ou nenhuma sobrecarga corporativa, logo tem-se taxas muito pequenas para os usuários, quando há.

Privacidade. Nos últimos anos, os governos ao redor do globo têm implementado com êxito as regulamentações AML e KYC nas exhanges. Esta fiscalização obriga as empresas a gerenciar as negociações afim de recolher o máximo possível de informações sobre os seus utilizadores: nomes, local de residência, números de identificação e muito mais.

O governo não pode impor esses regulamentos em exchanges P2P, o que significa que a negociação pode ser conduzida de maneira muito mais privada.

Segurança. As exchanges P2P não controlam Bitcoins dos usuários – em vez disso, elas conectam os usuários, permitindo que eles façam negócios diretamente um com o outro. Não precisam ter que confiar seus bitcoins a um terceiro, e isso torna o processo muito mais seguro. Se ninguém põe a mão nos seus bitcoin, além você, então ninguém pode roubá-los ou perdê-los – intencionalmente, ou acidentalmente.

5. Quais as desvantagens?

As exchanges P2P não são boas plataformas de negociação – a duração da negociação é longa, plataforma menos intuitiva e menor liquidez são algumas de suas desvantagens.

A maioria das falhas das exchanges descentralizadas são causadas simplesmente por serem um tipo de serviço relativamente novo.

Como tal, estas exchanges têm de lidar com uma série de problemas. Por exemplo, a maioria delas está atualmente voltada para pequenas e específica parcela de entusiasta e não buscaram atender a necessidade dos recém-chegados – por isso, elas tendem a ser menos intuitivas de usar.

Por essa razão – esse pequeno público movimenta um volume baixo de negociação, muito menor que das exchanges onlines.

Duração longa de negociação, essa é provavelmente uma desvantagem que levará um tempo para corrigir. Elas são causadas ​​pela maneira em que as negociações são realizadas – como os comerciantes precisam esperar pela entre Bitcoin e moeda fiat.

Nesta última questão, juntamente pela menor liquidez, significa que as exchanges P2P não trabalham por demanda, por exemplo, com traders profissionais, que precisam de transações rápidas para fazer negócios oportunos. No seu estado atual, estas exchanges só podem ser úteis para as pessoas interessadas nas vantagens específicas que oferecem – o aumento da resiliência, privacidade, segurança e liberdade de pagamentos.

Leia também  Bitcoin Unlimited "DEFINE OS REGULADORES" Mas "NÃO MUDA REGRAS"

6. Se não há autoridade responsável, como é evitada a fraude?

Para evitar atividades fraudulentas, diferentes exchanges P2P usam soluções diferentes.

Normalmente, elas usam um sistema baseado em reputação, depósitos obrigatórios ou encontros cara a cara entre os comerciantes.

A forma como as negociações são conduzidas em exchanges P2P deixa os usuários vulneráveis ​​à fraude. Os pagamentos Bitcoin finalizados não podem ser reembolsados, mas transferências de moeda fiat são muitas vezes reembolsáveis. Devido a isso, um comprador pode enviar o seu pagamento fixo, receber os Bitcoins e, em seguida, solicitar um reembolso do seu banco, ou qualquer outra organização financeira que esteja usando, e deixar o vendedor sem nada.

Para evitar tal pratica, as exchanges P2P introduzem todos os tipos de recursos de segurança. Por exemplo, Coinffeine tem um sistema de depósitos obrigatórios: antes de uma negociação começar, ambas as contrapartes têm que depositar uma certa quantidade de Bitcoins. Se tudo correr bem e a negociação for concluída sem contestações, o depósitos é estornado para os usuários.

Se uma disputa ocorrer, um árbitro nomeado pela comunidade ouve ambos os lados e resolve. Os depósitos são então utilizados para compensar a vítima da fraude e os serviços do árbitro. Um sistema de reputação para os árbitros também foi criado para garantir que eles não abusem de seus poderes.

A LocalBitcoins escolheu uma outra aproximação: permite que os usuários se encontrem para concluir a negociação. Obviamente, isso limita as oportunidades de trade devido a localização por isso o nome localBitcoins.

Você já negocia em P2P? Você confiaria em usar uma plataforma brasileira de P2P? Deixe sua opinião nos comentários abaixo.


Receba em primeira mão sobre o Bitcoin, seguindo nosso canal no Telegramtelegram.me/guiadobitcoin

Adaptação/Tradução: Guia do Bitcoin

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *