Transações com Petro devem iniciar em breve, afirma presidente venezuelano

0 Comentários

 

Segundo declarações feitas por Nicolas Maduro, a , venezuelana lastreada em , passará a ser usada a partir do próximo mês.

Em 21 de setembro, o presidente da , Nicolas Maduro, disse em discurso sobre as questões econômicas do país no canal VTV, que a Petro passará a ser usada em nível internacional.

“A Petro entra em jogo como moeda de troca, compra e moedas conversíveis para o mundo.”, afirmou Maduro

Ainda que Maduro tenha feito essa declaração, ele não deu maiores detalhes sobre como ocorrerão essas transações no país, e nem mesmo em quais áreas a criptomoeda será utilizada ou quais países poderão aceitá-la.

Fato ou realidade

Esse anúncio de Maduro ocorreu logo após a publicação do artigo da agência de notícias Reuters sobre a Petro. Nesse artigo a agência afirma que atualmente a Petro não é comercializada em nenhuma das principais bolsas de criptomoedas globais e nem é apoiada pelo petróleo venezuelano, uma vez que a região de Atapirire, que seria o centro de petróleo que apoiaria a moeda, não tem demonstrado nenhum sinal de atividade recentemente.

Leia também  "O Bitcoin será a moeda mundial", diz dono da NYSE, a maior bolsa do mundo

A Reuters ainda cita o ex-ministro do petróleo, Rafael Ramirez, que afirmou que “a Petro […] existe apenas na imaginação do governo”.

Em declaração à Wired, especialistas afirmam que a Petro seria apoiada pela petrolífera PDVSA. Mas na realidade a PDVSA tinha US$ 45 bilhões em dívidas e não apresentava nenhuma sinal de atividade comercial. Alguns desses especialistas acreditam que a Petro seria apenas uma “cortina de fumaça” para esconder o fracasso de Maduro em reanimar a moeda local, o bolívar venezuelano.

O fato é que Maduro amarrou a Petro à moeda nacional, e em comunicando recente a criptomoeda se tornou a segunda moeda do governo da Venezuela e iniciou a circulação em 20 de agosto.

Fonte: cointelegraph.com