Singapura ajuda startups de cripto receber serviços bancários

0 Comentários

 

A Autoridade Monetária de (MAS), o Banco Central da cidade-Estado, está trabalhando para garantir que as startups de criptomoedas recebam serviços bancários. Os esforços são para impulsionar o desenvolvimento de financeira do país.

Em entrevista à Bloomberg nesta terça-feira, Ravi Menon, diretor administrativo da instituição, disse que o Banco Central está tentando “unir os bancos e as startups de tecnologia de para encontrar um consenso.”

Segundo ele, os bancos estão relutantes em abrir as contas bancárias em alguns segmentos por considerar o cenário “obscuro e perigoso” tanto para os reguladores quanto para as instituições financeiras. “Algumas dessas atividades são realmente muito incertas. Eu não culparia os bancos por não abrirem as contas bancárias ”, acrescenta.

Para superar os possíveis desentendimentos e obstáculos, a expectativa é fortalecer as discussões. Ele acrescenta que isso não significa que o MAS adotará uma postura regulatória menos criteriosa somente para atrair mais startups de criptomoeda. No país existe uma pressão para desenvolver o setor de tecnologia financeira como forma de criar empregos e diversificar a economia. No entanto, ao mesmo tempo adota uma abordagem cautelosa em relação às criptomoedas.

Existem algumas preocupações na regulamentação. Entre elas,  garantir a proteção do consumidor e impedir lavagem de dinheiro e crimes financeiros. Por isso, atualmente, o Banco Central não tem a intenção de empregar um esquema de licenciamento para trocas de criptomoeda como o exemplo das licenças das 16 exchanges japonesas para ajudar a obter o apoio bancário.

Desde meados de setembro deste ano, a Binance, a maior exchange de criptomoedas do mundo em volume de transações, procura fazer negociações com Singapura.

Guia do Bitcoin

Leia também  Como surgiram as criptomoedas? A "Economia Digital" foi criada graças ao Bitcoin