Grupos russos de criptomoedas no Telegram aumentam em número de usuários após proibição do governo

0 Comentários

telegram-criptomoeda

Os membros dos canais relacionados à no aumentaram em número desde que o mensageiro foi proibido pela Justiça de Moscou em abril. De acordo com um estudo sobre os Top 50 grupos em língua russa. Nos últimos meses, o número de usuários de todos os grupos examinados subiu de 21% para 49% para os grupos da categoria “Criptomoeda”.

Em meio a restrições, canais de criptomoedas no Telegram atraem mais russos

A repressão ao Telegram começou quando a agência regulatória de telecomunicações do país, o Roskomnadzor, tentou restringir o endereço IP. No entanto, apesar de causar algumas interrupções no serviço, as investidas da agência reguladora tem sido amplamente malsucedidas. A ação foi em resposta à solicitação do Serviço Federal de Segurança (FSB). Formalmente, o FSB quer ter acesso aos usuários em razão de leis antiterrorismo. As ações das autoridades russas provocaram protestos.

Leia também  Demanda por Bitcoin continua subindo na Índia à medida que as reservas de caixa se esgotam

Entretanto, apesar do crescimento nos grupos de criptomoedas, o Telegram está enfrentando um efeito adverso em alguns de seus indicadores. O idioma russo vem perdendo 11,2% de audiência em média todos os meses, de abril a agosto, ou 45% para todo o período. O crescimento de novas assinaturas registradas pelo aplicativo de mensagens também diminuiu neste verão europeu – tem sido de apenas 0,01% no último mês.

Usuários russos interessados em criptomoedas e negócios

Estimativas apontam que cerca de 50 categorias de grupos continuam a crescer continuamente entre usuários russos: “Criptomoedas” e “Negócios/Economia”, que inclui startups. O número de seus usuários saltou 49% (8,4% ao mês) e 35% (6,2% ao mês), respectivamente.

Dos canais em crescimento destacam-se o canal em russo de Pavel Durov (criador do Telegram e da rede social russa VK), dois canais para compartilhamento de servidores proxy usados ​​para contornar os bloqueios governamentais, assim como o canal “Teleblog” dedicado a notícias sobre o Telegram. O número de membros desses grupos aumentou em 186%, ou 23,4% por mês. O número médio desses membros cresceu 28%, com os comentários de Durov ajudando a consolidar a maior parte do aumento de usuários.

Leia também  ICOs: Coréia do Sul analisa a liberação

No número de visualizações também houve expressiva procura por criptomoedas. Uma tendência positiva foi detectada em agosto de 2018, quando o número médio de visualizações na categoria “Criptomoeda” aumentou 13%.

Ou seja, mesmo com as investidas das autoridades contra o aplicativo de mensagens, o Telegram se consolida como um local ativo de discussões sobre criptomoedas no país.

Guia do Bitcoin