Pense duas vezes antes de deixar suas criptomoedas numa exchange

0 Comentários

Muitos investidores decidem deixar suas nos “escritórios das ” para poderem realizar suas operações comerciais ou trocas para dinheiro fiduciário mais rapidamente. No entanto, é importante lembrar que, quando seus ativos estão nessas plataformas, eles estão muito mais expostos a ataques, sendo assim os investidores correm um grande risco de perder seu dinheiro.

Essas plataformas, armazenando quantidades tão grandes de criptomoedas, tornam-se alvos muito atraentes para hackers mal-intencionados. Somado a isso, muitas exchanges não possuem bons protocolos de segurança, o que torna a tarefa mais fácil para esses invasores.

Nesta lista apresentaremos seis episódios em exchanges que impactaram o ecossistema blockchain devido ao grande volume de ativos roubados que, na maioria dos casos, não foram devolvidos aos seus proprietários. Então pense duas vezes antes deixe suas moedas nessas plataformas.

MT GOX

Um dos casos que mais ressoaram no ecossistema é o na exchange , porque esta empresa controlava mais de 70% das transações em bitcoins na época do ataque em 2014.

Leia também  Domínio da exchange BTC-e foi apreendido pela justiça dos EUA

Depois de apresentar vários problemas ao longo de vários anos, a empresa declarou falência anunciando que havia perdido cerca de 850 mil bitcoins  (embora, depois foi encontrado 200.000 em uma carteira em 2017, esse valor foi reduzido para 650 mil BTC).

Mark Karpelès, diretor executivo da casa de câmbio, foi preso um ano depois por supostamente alterar os ativos do balanço da empresa, embora tenha sido libertado em 2016 e esteja livre atualmente.

Apesar de terem passado mais de quatro anos desde o incidente, os afetados pelo roubo ainda não receberam o pagamento, embora o administrador já tenha anunciado em março que ele estava vendendo os ativos que estão na plataforma para o pagamento da indenização.

Esta exchange, embora não tenha sido hackeada, foi fechada pelas autoridades dos EUA e seus fundos foram confiscados devido à sua relação com o caso da Mt.Gox, já que sua plataforma teria sido usada para lavar fundos do furto.

Leia também  União Européia criará lei para penalização de crimes com criptomoedas

Alexander Vinnik, administrador da BTC-e, foi preso na Grécia e enfrenta processos judiciais por lavagem de dinheiro. Enquanto isso a exchange, transferiu seu banco de dados para uma nova empresa chamada WEX, mas até hoje os usuários não conseguiram recuperar suas criptomoedas.

A Bitfinex, uma das exchanges com maior volume de câmbio global, foi invadida em agosto de 2016 e 120.000 bitcoins foram roubados. Essa exchange já reembolsou 100% dos seus clientes menos de um ano após o evento e continua a operar sem problemas.

Em janeiro deste ano, a exchange japonesa Coincheck sofreu um roubo de mais de US $ 530 milhões em tokens XEM por falhas em seus protocolos de segurança, o que torna este o maior roubo relacionadas as criptomoedas.

Por causa disso, as autoridades japonesas decidiram criar medidas mais rigorosas para regulamentar as exchanges. No entanto, eles ainda podem operar no país asiático e só precisam solicitar a licença correspondente.

Poucos meses após o evento, a Coincheck anunciou que iria começar a reembolsar os usuários, algumas semanas mais tarde foi comprada pela empresa Monex, que anunciou o lançamento de uma ICO.

Leia também  Transações SegWit na rede bitcoin é maior que transações do Bitcoin Cash

BITGRAIL

BitGrail, uma exchange com sede na Itália, informou em fevereiro deste ano que, devido a uma vulnerabilidade em sua plataforma, 17 milhões de tokens NANO foram roubados. Depois disso, a empresa anunciou o fechamento e está atualmente no meio de uma disputa judicial.

Finalmente, no início de abril, o roubo de 438 BTC foi comunicado pela exchange indiana Coinsecure, que levou ao fechamento do site da plataforma. Embora eles tenham anunciado que vão reembolsar os usuários, o último relatório de 29 de abril garante que as investigações tem dificultado o processo de reembolso.

Como vemos, esse tipo de plataforma centralizada coloca em risco nossos ativos e, na maioria dos casos, os fundos demoram anos pra serem devolvidos. Por essa razão, a melhor opção para armazenar nossas criptomoedas é o uso de armazenamento a frio, nos quais nos garante maior segurança, ao nos dar o controle da chave privada.

Fonte

Guia do Bitcoin