Palestinos usam Bitcoin para resistir a censura

0 Comentários

Palestinos estão usando para resistir a censura e transacionar através das fronteiras em meio a conflitos

O Bitcoin e outras são utilizados em algumas partes do mundo como fuga para problemas como desemprego, hiperinflação, isolamento político e territorial e outros inúmeros problemas econômicos.Os palestinos estão usando Bitcoin para resistir a censura e se conectar com o mundo.

O caso da Venezuela talvez seja o mais famoso. Enquanto a econômica da Venezuela se agrava, diminuindo ainda mais a oferta de emprego e o poder de compra dos consumidores, maior é o interesse dos venezuelanos nas criptomoedas. Mas eles não estão sozinhos. Os Palestinos estão entrando na lista de populações que vêem nas criptomoedas uma salvação, ou pelo menos amenização, de seus problemas sócio-políticos.

Para uma crescente comunidade de palestinos ocupados da Faixa de Gaza e na Cisjordânia, o bitcoin se tornou uma possível salvação. A motivação do interesse dos palestinos não é a hiperinflação de suas economias, já que eles não possuem uma moeda nacional, ao invés disso, usam moedas estrangeiras estáveis. O que motiva a adoção dos palestinos é a resistência à censura.

Inúmeras famílias estão usando o bitcoin para realizar no exterior, enviar dinheiro para fora ou fazer compras online. Isso pode até parecer trivial. Mas resolve um problema real para a população palestina que tem acesso restrito à economia global em meio ao conflito com . Até mesmo os apoiadores do Ocidente tiveram suas contas bancárias fechadas por enviar dinheiro para os palestinos.

E é exatamente por isso que o Bitcoin e outras criptomoedas podem ajudá-los. A resistência a censura e forte anonimato que as podem garantir torna possível que essas pessoal realizem transações com qualquer pessoa no mundo, sem precisar de autorizações e sem correrem o risco de serem censuradas.

Leia também  Governo de Marrocos anuncia proibição de Bitcoin em seu país

Max Keiser, um reporter financeiro escreveu já em 2013 : “A economia palestina é uma economia multibilionária que, infelizmente, beneficia principalmente pessoas de fora. Mas se o Bitcoin fosse adotado como a moeda oficial, os palestinos seriam capazes de moldar seu próprio destino econômico e assim fazer seu destino soberano ”.

Problemas com as transações

Embora as transações de criptomoedas sejam resistente a censura, existem outros problemas que impedem o uso massivo dessa tecnologia pelos palestinos. Não há como os palestinos obterem seus shekels israelenses, dólares dos ou outras fiats para trocarem pelas criptomoedas, uma vez que nenhum deles trabalha com bancos locais. Portanto, eles precisam confiar nos revendedores. Além disso, problemas com o alto índice de desemprego e pobreza tornam ativos voláteis menos interessantes para populações que precisam lidar com necessidades diárias.