O que são tokens ERC-20?

1 Comente

O que são ?

Recentemente, as chamadas ICOs tornou-se um dos métodos mais comuns de angariar fundos para o lançamento e desenvolvimento de projetos no setor de criptomoedas. A maioria das ICOs usa a rede Ethereum como uma plataforma ou, mais precisamente, os contratos inteligentes dessa rede. Ao realizar campanhas de arrecadação de fundos, os organizadores das ICOs geralmente aceitam o ou o BTC como pagamento, dando aos investidores tokens. Na maioria das vezes, esses são tokens do padrão ERC-20.

O que significa o acrônimo ERC-20?

ERC (Ethereum Request for Comments) é um protocolo oficial para fazer sugestões para melhorar a rede Ethereum; 20 – é o número de identificação único da oferta. As especificações técnicas dos tokens produzidos no sistema de blocos Ethereum foram publicadas em 2015. Os tokens que atendem a essas especificações são conhecidos como tokens ERC-20 e, na verdade, são contratos inteligentes para o sistema de blocos Ethereum. Apesar do fato de que os tokens ERC-20 funcionam dentro da estrutura instalada pelo comando Ethereum, essa estrutura é bastante ampla, fornecendo aos desenvolvedores maior flexibilidade ao criá-los. O padrão ERC-20 define um conjunto de regras que devem ser atendidas para que um token seja aceito e capaz de interagir com outros tokens na rede. Os próprios tokens são ativos de bloco, que podem ter valor, e podem ser enviados e recebidos como qualquer outra criptomoeda.

Leia também  Todas as moedas globais se tornarão criptomoedas, diz CEO da Circle

Qual foi o motivo para criar o padrão ERC-20?

Antes do surgimento do padrão ERC-20, havia muitos problemas de compatibilidade entre diferentes formas de token Ethereum, cada um dos quais tinha um contrato inteligente absolutamente único. Em outras palavras, para que uma bolsa de valores ou uma exchange disponibilizasse o token para negociação, os desenvolvedores sempre precisavam escrever um código completamente novo. Assim, fazer isso em um número crescente de tokens tornou-se cada vez mais problemático, levando muito tempo. Para resolver esse problema, foi criado um protocolo padrão para todos os tokens.

Como os tokens ERC-20 diferem da moeda criptografada tradicional?

Ao contrário dos tokens , os tokens ERC-20 são ligados à rede Ethereum usando os endereços recebidos dentro deste formato de rede e enviada usando-Ethereum transações. Somente dessa forma as transações envolvendo tokens ERC-20 podem ser rastreadas no navegador de blocos.

A primeira vista, essa transação pode parecer “vazia”, já que o campo ‘Valor’ está definido como zero, mas o número de tokens enviados (neste caso – OmiseGo) pode ser visto em um campo separado.

É importante entender que os tokens ERC-20 não são completamente independentes, como mencionado acima, eles são baseados no sistema de blocos Ethereum, sobre os recursos de computação distribuída.

Quais são os tokens ERC-20 para?

Os cenários para usar os tokens ERC-20 são muito diferentes. Por exemplo, eles podem atuar como compartilhamentos de projetos, certificados confirmando a propriedade de ativos, pontos em programas de fidelidade ou como uma criptomoeda. Além disso, existem opções nas quais os tokens ERC-20 executam simultaneamente várias dessas funções.

Entre os sinais mais conhecidos do CEI-20 podem ser referidos: 0x, Aragão, Auger, Aeternity, Aion, Binance coin, MTD, Bancor, Civic, Decentraland, Dentacoin, DigixDAO, dragão, District0x, EOS, firstblood, Gnose, Golem, Iconomi, Kin , KuCoin, Kyber, Melonport, Matchpool, numeraire, OmiseGo, Po.et, Raiden, RChain, ripio, SingularDTV, status Storj, TEAA, tenx, TTron, VeChain, Veritaseum, Viberate, WeTrust, asas e iExec RLC.

Leia também  Cuidado: Novo golpe na praça "o assassino do Bitcoin"

Quais são as principais características do protocolo ERC-20?

O padrão ERC-20 fornece seis parâmetros obrigatórios e três opcionais (mas recomendados) para qualquer contrato inteligente.

Os parâmetros necessários incluem a função totalSupply, que é responsável pela liberação geral de tokens, impossibilitando a criação de novos tokens quando o número máximo é atingido. A função balance0f determina o número inicial de tokens atribuídos a um endereço específico. Geralmente, esse é o endereço pertencente aos organizadores da ICO.

Além disso, o padrão descreve dois métodos de movimentação de tokens, necessários para sua distribuição entre usuários e a possibilidade de efetuar transações. Assim, a função de transferência fornece a transferência de tokens para o usuário que investiu no projeto durante a ICO; a função transferFrom é necessária para fazer transações entre usuários.

Além disso, mais duas funções são necessárias para verificar os dois métodos anteriores de movimentação dos tokens. A função de aprovação é usada para verificar se um contrato inteligente pode distribuir tokens com base no total de emissões, enquanto a função de permissão é necessária para verificar se o endereço tem saldo suficiente para enviar tokens para outro endereço.

Entre os parâmetros opcionais está a definição do número máximo de dígitos fracionários após o ponto decimal (para comparação, o tem oito dígitos – 1.00000000 BTC), o nome do token e seu símbolo.

O conjunto desses parâmetros permite que as exchanges e provedores de carteiras criem uma única base de código que interaja com qualquer contrato inteligente ERC-20.

Leia também  Como fazer para proteger seus Bitcoins e seus Ethereums do ataque de hackers

Há algum risco ao usar tokens ERC-20?

Como os tokens ERC-20 são contratos inteligentes, eles, apesar de toda sua eficiência, apresentam certos riscos. Por exemplo, um contrato inteligente não pode ser alterado após ser iniciado pelos organizadores da ICO, ele também pode conter bugs e vulnerabilidades que podem levar a uma perda de fundos.

Na história da Ethereum aconteceu muitos incidentes semelhantes, um dos exemplos mais famosos foi a invasão da DAO em 2016. Para eliminar suas consequências e devolver fundos para a rede, foi realizado um hardfork, em decorrência do qual a nova rede continuou a existir sob o nome Ethereum, e os opositores de tal decisão mantiveram a antiga rede, anunciando a criação da Ethereum Classic.

Que outros problemas podem surgir com os tokens ERC-20?

Deve-se notar que o protocolo ERC-20 nem sempre é suficiente para propósitos que são perseguidos ao criar tokens, e por si só não garante que o token será útil, valioso ou funcional.

Além disso, um dos inconvenientes da norma ERC-20 pode ser considerado que torna a possibilidade de criar tokens um assunto bastante trivial a nível técnico. Isso permite que muitos projetos simplesmente executem uma ICO, o que é confirmado pelo número total de tokens, em 1º de maio de 2018, já havia cerca de 80.000. Isso leva a uma abundância de tokens similares, dificultando significativamente o processo de sua seleção pelos investidores.

Outro problema é que os tokens podem ser enviados por engano para um contrato inteligente por outro ICO. Nesse caso, se o contrato inteligente não fornecer uma solução, os tokens serão perdidos. A partir do final de 2017, mais de US $ 3 milhões foram perdidos.

Fonte 

Guia do Bitcoin