O Japão tomou um passo fundamental para consolidar sua posição como líder em criptomoedas!

0 Comentários

Enquanto a China está reprimindo cada vez mais o mercado de criptomoedas em seus territórios, o está cantando com uma melodia diferente.

A agência japonesa de serviços financeiros na sexta-feira concedeu 11 licenças para exchanges de criptomoedas para operar legalmente no país, de acordo com o relatório de Paul Vigna, do The Wall Street Journal. A notícia vem em meio a uma repressão às moedas digitais pelos vizinhos do Japão.

Em novembro a China proibiu as ofertas iniciais de moedas, um método de captação de recursos baseado em criptomoedas, e na sexta-feira, a Coréia do Sul juntou-se à China na proibição das ICOs.

Até então, os reguladores japoneses permitiam que as exchanges de criptomoedas operassem sem licenças. Em abril, o Japão considerou o , como forma legal de pagamento, mas agora para as exchanges se manterem licenciadas, elas deverão cumprir uma série de requisitos legais, como: Manter uma reserva de capital, segregar contas de clientes e empregar práticas anti-lavagem de dinheiro. 

A mudança do Japão poderia ajudar a consolidar a posição do país como um líder no mercado de moedas digitais. No início do ano, o volume de troca entre Yen japonês e Bitcoin superou o volume entre Bitcoin e o Yuan da China, de acordo com dados da CoinDesk.

E desde que a China proibiu as ICO em 4 de setembro, o Japão emergiu como o maior mercado de negociação de bitcoins.

Leia também  Criptobilionário da lista da Forbes Matthew Mellon morreu