O boom da arbitragem de Bitcoin na Ásia diminui, mas os lucros continuam

Quando a China fechou suas exchanges de criptomoedas no ano passado, um mercado “clandestino” de “mulas” e plataformas peer-to-peer de bitcoin surgiram para que as negociações de bitcoin continuassem, mesmo longe do olhar atento dos reguladores.

Li, um chinês que mora no Canadá, que tem seus 20 anos, é um desses traders clandestinos. Ele compra criptomoedas em outros países e os vende a um custo mais alto para investidores na China.

No auge da demanda frenética por bitcoins em janeiro, quando os preços da moeda digital estavam pairando próximo a US $ 20.000, Li e outros traders conseguiram vender bitcoins na China de 30 a 40 por cento mais caro.

Mas meses depois esse lucro todo com bitcoins na China caiu para cerca de 7% ou menos, já que uma enxurrada de “mulas” bitcoin, que transportam fisicamente o dinheiro através das fronteiras, inundou o negócio de arbitragem. Fundos de criptomoeda e operadores individuais utilizando seus computadores também explodiram no mercado.

O boom destruiu os spreads e mostrou a rapidez com que os mercados de criptomoedas podem mudar de rumo.

“Esse tipo de mercado sofreu uma queda; há menos “apetite” agora”, disse John DeCleene, um administrador-assistente de fundos que administra os investimentos em fintech e criptomoeda da Overseas Chinese Investment Management.

“São muitos traders entrando nesse mercado, mas também menos do que vimos em dezembro-janeiro, quando as pessoas estavam pagando 30 por cento a mais porque esperavam lucrar 10 vezes mais da noite para o dia.”

A DeCleene lançou em novembro um fundo global de US $ 5 milhões, com sede em Singapura, para investir em criptomoedas, ações relacionadas a blockchain e algumas operações exploratórias de arbitragem. Ele disse que gerou um retorno de 58% até o momento.

Leia também  Governo sul-coreano poderá proibir exchanges de Bitcoin

As mulas de Bitcoin

A arbitragem de bitcoins prosperou no ano passado, a medida que as criptomoedas se tornou mais volátil e alguns governos adotaram regras para restringir o comércio.

A arbitragem geográfica mais simples envolveu a compra de bitcoin em mercados não regulamentados, como a Tailândia, ou aqueles que legalizaram o comércio de bitcoins, como o Japão, e a venda em mercados proibidos, como Coréia do Sul, China ou Índia.

Uma segunda forma acontecia nas exchanges, quando os operadores compravam criptomoedas baratas em bolsas menos conhecidas e vendiam-nas para obter lucro em plataformas mais líquidas e amplamente utilizadas.

Havia enormes diferenças de preço para explorar.

No início de janeiro, quando o preço do bitcoin era de US $ 17.600 na Bitstamp, e estava sendo negociada a 25 milhões de won (US $ 23.630) na Coréia do Sul, implicando em 34% de lucro.

A proibição da China expandiu de uma proibição inicial das ICOs para um bloqueio nas exchanges, fazendo os “juros” aumentarem e os traders rapidamente encontraram novas formas de fazer negócios.

Inicialmente, limitava-se a grupos fechados na popular plataforma de mensagens WeChat e reuniões em bares, onde potenciais compradores de bitcoins podiam encontrar vendedores.

Então, plataformas peer-to-peer, como CoinCola, sites pertencentes às antigas exchanges chinesas Huobi e OKCoin, e até mesmo a plataforma de varejo Taobao se tornaram centros de comércio de criptomoedasover-the-counter(OTC), realizadas fora das exchanges formais e mais difícil para os reguladores “atrapalhar”.

“Os grandes traders chineses estão usando a CoinCola ou indo direto uns aos outros através de outras plataformas OTC“, como WeChat ou AliPay, disse Christian Grewell, professor de negócios e artes interativas na NYU em Xangai.

A AliPay é a principal plataforma de pagamento online da China.

Outra opção, transferências bancárias entre compradores e vendedores, é “quase impossível de rastrear”, acrescentou Grewell, já que é difícil provar que uma transferência está relacionada a uma transação de criptomoeda.

Uma trader de 20 anos em Xangai disse que compra bitcoins nos Estados Unidos para vender na China. Em cada viagem para os EUA, ela carrega ilegalmente de US $ 30 mil a US $ 40 mil em dinheiro, acrescentou.

Leia também  Exchange C-CEX removerá no dia 19 mais de 40 altcoins da sua listagem

“Vender e comprar bitcoins nesses sites é o mesmo que comprar no Taobao“, disse o trader.

Grande concorrência

Os fundos hedge que podem executar operações de arbitragem rapidamente e a uma fração do custo estão sobrecarregados de operadores, disse Ramani Ramachandran, executivo-chefe da Zenprivex.

Peter Kim, da KIT Trading, parte da Vulpes Investment Management, administra uma operação de arbitragem de criptomoeda no valor de US $ 10 milhões.

“No começo, quando havia 30 por cento de lucro na arbitragem, nós podíamos viajar para a Tailândia, comprar bitcoins, enviá-los para a China, Japão, Coréia e vendê-los. Era fácil”, disse Kim, que anteriormente era um operador de arbitragem de opções.

“Mas essa oportunidade não durou muito tempo. Mas ainda há muitas maneiras de lucrar, especialmente para alguém como eu que está acostumado a fazer 3 pontos-base em um negócio”. ele disse.

Os fundos de arbitragem operam muito como os pequenos traders, comprando e vendendo criptomoedas simultaneamente em duas plataformas diferentes, mas em uma escala muito maior. Isso lhes permite lucrar com spreads menores.

Alguns traders de varejo, incluindo Li, recorreram a criptomoedas menos conhecidas, como a Tether, que se considera atrelada ao dólar americano.

Tether é popular entre os chineses que buscam movimentar seu dinheiro discretamente no exterior, já que não é volátil. Essa demanda significa que o preço é negociado entre 2,5% e 3,5% na China, embora esse número tenha chegado a 10% em janeiro.

Leia também  Nações Unidas enviam ajuda a 10.000 refugiados sírios usando Blockchain Ethereum

Li disse que sua atividade de arbitragem garante cerca de US $ 18 mil por mês, com um volume de negociação de cerca de meio milhão de dólares.

Embora isso seja uma boa soma, é muito menos do que os traders fizeram no final do ano passado.

“O lucro com arbitragem era fácil, mas acabou”, disse Kim.

Guia do Bitcoin

Mantenha-se informado todos os dias sobre Bitcoin!
Telegram: http://telegram.me/guiadobitcoin
Facebook: https://www.facebook.com/guiadobitcoin/
Twitter: https://twitter.com/guiadobitcoin
Feed RSS: http://guiadobitcoin.com.br/feed/

[jetpack_subscription_form title=”Bitcoins no seu e-mail” subscribe_text=”Digite o seu e-mail” subscribe_button=”Quero receber” show_subscribers_total=”1″]
loading...

Banqueiro alemão diz que criptomoedas poderiam precipitar uma “crise financeira”

Um dos mais famosos banqueiros alemães, Jens Weidmann, comentou na quarta-feira que as moedas digitais como o bitcoin podem causar uma “catástrofe financeira”. O banqueiro aludiu à idéia de que…

1 Comente

Banco de Singapura e Índia lançam sistema de pagamentos internacionais via Ripple

Ótima notícia para os entusiastas da criptomoeda especializada em bancos. A Standard Chartered (Um dos maiores bancos de Singapura) e o Axis Bank ( O terceiro maior banco do setor privado da Índia) apresentaram um…

1 Comente
Vai ficar de fora?
Para manter-se atualizado sobre novidades, ofertas e dicas, informe-nos que você gostaria de receber atualizações por e-mail inserindo seu endereço de e-mail e clicando para se inscrever. Como usamos as suas informações?​

INSCREVER
close-link