Novo ransomware CryptoPokemon pede resgastes em BTC

1 Comente

 

Quem está sempre na internet, principalmente quem usa ferramentas que precisam de dados importantes, está em risco de ser contaminado com ataques de Ransomware. Esse tipo de ataque tem ficado cada vez mais comum na era das criptomoedas. Um dos maiores ataques recentes da história, o WannaCry, exigia pagamentos em Bitcoins para liberar o acesso aos arquivos infectados.

Entre essas ameaças, a mais recente é o ransomware chamado de CryptoPokemon, que bloqueia documentos de usuários e pede cerca de $104 em BTC para retirar a criptografia dos arquivos.

O CryptoPokemon criptografa arquivos usando SHA256 + AES128 e vem com uma nota que traz um endereço de e-mail e um site para contatar os autores do ransomware que, curiosamente, se declaram como “Um suporte valente que vai te ajudar a resolver esse problema.”

Felizmente, os usuários atacados pelo vírus não estão completamente sozinhos nessa batalha contra os “valentes”. Pesquisadores da Emsisoft estão pedindo para que as vitimas não paguem o resgate dos arquivos, já que eles foram capazes de explorar bugs no código base do malware e desenvolver um decifrador gratuito que foi anunciado em um post oficial.

Tudo o que a vítima precisa fazer é remover o malware o sistema primeiro, para que ele não fique repetindo a trava de arquivos, baixar o Decifrador Gratuito, executar o .exe e confirmar os termos de uso e licença.

Veja também: Tocha da Lightning Network chega ao seu destino final

Investir é especulativo. Ao investir seu capital está em risco. Este site não se destina a uso em jurisdições em que a negociação ou os investimentos descritos são proibidos e só devem ser usados por essas pessoas e de maneiras que sejam legalmente permitidas. Seu investimento pode não se qualificar para a proteção do investidor em seu país ou estado de residência, portanto, conduza sua própria devida diligência. Este site é gratuito para você usar, mas podemos receber comissões das empresas que apresentamos neste site. Clique aqui para obter mais informações.