Leilão de domínio Ethereum: mercado indica interesse por aplicações

Depois de um início tímido no semestre passado, um projeto intitulado “Ethereum Name Service” (ENS) está atraindo bastante capital.

Milhares estão competindo por nomes Ethereum que estão sendo leiloados pelo serviço de domínio ENS – mesmo que este esteja no momento sem liderança definida. Alguns destes nomes estão sendo disputados por lances além de um milhão de dólares.

Mesmo que a maioria dos lances sejam apenas como depósitos, que você pode obter de volta depois de um ano, se decidir abandonar a opção pelo nome, o que é visto como surpreendente é o quanto as pessoas estão dispostas a competir pelos nomes mais populares.

Até agora o domínio . foi reinvidicado por 6660 ETH (equivalente a US$ 609.000); foundation.eth foi arrematado por 300 ETH (US$ 27.000) e weather.eth atingiu 101 ETH (US$ 9.000).

O serviço de domínio ENS cria nomes fáceis de serem lidos e digitados por humanos, substituindo os nomes de máquinas, de maneira similar ao que os domínios DNS fazem com o redirecionamento de sites na internet.

Mas ao invés de apontar para websites, os nomes ethereum apontam para recursos ethereum, tais como carteiras digitais residentes no seu de arquivo descentralizado Swarm e outros tipos de recursos. Em suma, ENS é uma forma de rodar smart contracts (contratos inteligentes) de forma simples e oferecer serviços em cima deles.

No primeiro dia de seu relançamento, os leilões começaram de forma devagar, mas o ritmo foi se acelerando conforme a semana avançava. Até a semana passada 27.800 leilões foram iniciados, com milhares mais sendo abertos a cada dia.

Leia também  Comparação entre o LISK e o ETHER

Muitos eram nomes incomuns, tais como ethereumclassic.eth, winklevoss.eth e donaltrump.eth.

Lances secretos

Como funciona a licitação: quando ingressa em um , o participante apresenta uma única oferta para o máximo que está disposto a pagar por um nome. Mas somente pagará até ao montante do segundo maior lance ou, se ninguém fizer nenhum lance contra, só paga o mínimo de 0,01 ETH.

Há somente uma chance para licitar um nome. Cada um coloca a oferta máxima que está disposto a pagar; e quem apresenta o maior valor ganha.

Como é automatizado no sistema blockchain, não há nenhum serviço central de verificação manual das propostas; e como contratos inteligentes não podem manter segredos, há interesse em se saber quem é o usuário apostador e se tem real intenção de valer a aposta. Assim, os usuários é que revelam as propostas que fizeram quando da ocasião do leilão.

Nick Johnson, um dos funcionários da Fundação Ethereum, um dos líderes do projeto, recomenda definir uma data do calendário, e em seguida, revelar um nome de imediato, para que eles não se esqueçam e percam a sua oferta.

Problemas no caminho

Houve alguns solavancos menores na primeira semana do lançamento do ENS, incluindo um par de erros que Johnson chamou de “de baixo impacto”.

Por exemplo, um erro permitiu que usuários fizessem um lance sobre a versão errada de um domínio, quando eles entraram um nome com letras maiúsculas e minúsculas misturadas. Mas isso foi remediado, e o programa agora reduz automaticamente o lance para a versão inteiramente em minúsculas.

Leia também  SEC ordena revisar rejeição de ETF de Bitcoin dos irmãos Winklevoss

Além disso, conforme Johnson explicou, algumas pessoas perderam a oportunidade para revelar suas propostas, porque, depois de fazerem os seus lances, limparam os dados de seus navegadores antes de fazer o backup de seus dados para um arquivo JSON em primeiro lugar.

O concorrente tem uma janela de 48 horas para revelar os seus lances manualmente, após o período de licitação de três dias; caso contrário, qualquer ETH colocado pode ser perdido. Agora o sistema avisa imediatamente para fazer o download dos lances feitos; desta forma as pessoas têm um lembrete do que deve ser feito.

Suporte de terceiros

Além disso, desde o lançamento, outros serviços ofereceram opções para permitir aos usuários uma maior facilidade na forma de gerenciar os leilões.

Inicialmente, para fazer um lance em um nome ethereum, a única opção era usar a aplicação descentralizada (DAPP) oficial, o que exigia um navegador habilitado para blockchain ou a habilidade em usar linha de comando. Mas agora é possível ir até MyEtherWallet.com, que irá guiá-lo através do processo. Também Ethtools.com está integrado com a ENS.

No entanto Johnson diz que, assim como a maioria dos usuários na internet não compram por si próprios os seus nomes de domínio, é provável que não vão passar por si próprios pelo processo de compra de seus nomes ethereum. Ao invés disto, os usuários no futuro irão para sua carteira favorita, e a carteira vai dar-lhes um nome, tal como alice.myetherwallet.eth, que eles poderão usar:

“Iremos ver a expansão deste uso quando as carteiras começarem a oferecer os seus próprios nomes de domínio e configurarem no sistema. Então qualquer um poderá reivindicar os seus próprios pagamentos de forma instantânea. E será possível para qualquer um ter um nome sem passar por todo o processo de leilão”, Johnson diz.

Leia também  Oficial: Banco Central do Japão vai "considerar seriamente" moedas virtuais

Próximo passo

A medida que a equipe ENS avança, o plano é se concentrar em obter mais carteiras para integrar e apoiar o software, expandir as capacidades da ENS e adicionar mais componentes padronizados.

“Uma das coisas que gostaríamos de fazer é adicionar suporte adequado para interelacionar registros ETH com registros DNS. Poderíamos, então, usar uma das hierarquias DNS alternativas para oferecer .eth como um domínio de nível raiz’, disse ele. ‘Você poderia hospedar seu site com um domínio .eth, embora não na internet global por agora, porque temos de falar com ICANN sobre tudo isso.’

Neste momento a ENS está lançando nomes ao longo de um período de oito semanas, como parte de seu lento lançamento. E em dois anos é planejado um upgrade para mover a ENS para um sistema mais permanente, e neste ponto as pessoas terão acesso para fazer lances de leilão para nomes mais curtos, com menos do que sete caracteres.

Via: Coindesk
Tradução: Antonio Azevedo

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *