Japão: o novo “grande lar” do Bitcoin

O sempre foi um país muito querido por todos, se tratando de vários assuntos e em relação a sua própria cultura. O Japão é uma das grandes potências industriais da Ásia. A China agora olha para os seus últimos 30 anos de história monetária como um guia.

Semelhante ao Japão, a China rapidamente se industrializou alocando crédito barato para indústrias preferenciais. Seguiu-se um boom de produtividade e ativos. O crescimento marginal alcançado com cada novo Yuan de crédito diminuiu rapidamente durante a última década e agora a China está financiando empresas “zumbis”. Em 1989 o mercado de japonês entrou em colapso, e em 2015 também o da China.

Em vez de permitir que empresas improdutivas falhem, os bancos japoneses passaram seus empréstimos mantendo-os em suporte vital. Os bancos foram recapitalizados pelo governo através de uma quantidade gigantesca de emissão de títulos do governo japonês (JGB). O efeito é e foi a repressão financeira.

O rendimento de todos os produtos de poupança despencou. Os rendimentos da JGB não foram bons  porque os títulos foram absorvidos por compradores cativos, como o Fundo de Seguro de Pensão do Governo (GPIF). Mesmo em 2016, ainda deve investir 35% de todos os ativos em títulos públicos nacionais.

Leia também  John McAfee faz previsão: "O Bitcoin se tornará o padrão do mundo"

As famílias japonesas voltaram-se para o jogo e a especulação de FX (Forex) em busca de retornos reais. Por que se deve investir em empresas japonesas quando o mercado doméstico está literalmente morrendo? O índice Nikkei 225 ainda está nominalmente abaixo de 50% em relação a todos os seus máximos de tempo em 1989. Quando você compara esse retorno nominal para a quantidade de impresso, o retorno é absolutamente horrível.

É a vez da China de reprimir financeiramente a poupança das famílias, a fim de permitir que as empresas “zumbis” coxearem em nome da harmonia social. O Banco Popular da China (PBOC) começou a aplicar as leis de controle de capital já nos books. Eles também começaram uma campanha contra qualquer classe de ativos em que as famílias podem especular sem controle direto do governo. Os mercados de de commodities foram esmagados, e mais recentemente, o Bitcoin.

Leia também  SolidX espera dobrar o preço do Bitcoin novamente.

As novas regras não-escritas que proíbem a margem e zero taxa de negociação tornam o trading de Bitcoin pouco atraente para os comerciantes do dia-a-dia. As exchanges chinesas devem esperar até que a poeira se estabeleça para retomar a oferta dos serviços exigidos por pessoas “desesperadas”.

As exchanges japonesas de Bitcoin oferecem agora taxas de negociação zero e margem de até 25x para negociação Bitcoin. As principais bolsas para operar são a Quoine e bitFlyer. acostumados a margem de negociação e zero taxa irão migrar para as bolsas japonesas.

A BitMEX começou a oferecer uma série de contratos de futuros de Bitcoin/JPY desde o início de 2016. Com o ressurgimento da negociação Bitcoin no Japão, a empresa está relançando uma série com um novo índice subjacente.

A partir da próxima semana, a BitMEX oferecerá um contrato de futuros de Bitcoin/ com alavancagem 100x de 31 de março de 2017, o . Cada contrato valerá 100 JPY de Bitcoin; Estes serão contratos inversos. O índice subjacente será igualmente ponderado entre a Quoine e a plataforma FX da bitFlyer.

Leia também  Executivos da Netflix querem que o Bitcoin se torne moeda global e adotarão uso dela

O XBJH17 será um contrato muito rentável no mercado para fazer e conduzir estratégias de arbitragem. Para os criadores de mercado, sua posição de futuros não incorrerá em taxas de negociação. Como um bônus adicional, até 25x alavancagem pode ser empregado. A alavancagem oferecida permite a ampliação de negócios de base para aumentar o retorno sobre o patrimônio líquido.

A BitMEX tem uma grande relação de trabalho com ambas as bolsas, e estão empenhados em trabalhar em conjunto para aumentar os volumes de negociação para todos.

Via: Crypto Trader Digest
Adaptação/Tradução: Guia do Bitcoin

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *