ICO análise COSS.IO: A plataforma que promete distribuir fees em forma de dividendos!

Bom dia prezados, como já é sabido, prometi aos senhores que periodicamente irei realizar analises de criptomoedas/tokens (principalmente as que ainda estejam em fase de ICO ou Pré-sale), que considero de extrema relevância para o ecossistema de criptomoedas e que devido a suas características singulares, demonstrem elevada possibilidade de aumento futuro no preço de seus tokens, o que consequentemente acarretará em lucros aos seus detentores.

Hoje apresento aos senhores a plataforma COSS.IO…

COSS.IO

 

A Plataforma…

         COSS.IO (Crypto One Stop Solution) como o próprio nome diz, pretende ser uma plataforma ou ecossistema, capaz de atender a todas as necessidades do usuário de criptomoedas em um único lugar. A plataforma é concebida em um momento crítico para o mercado, em que a demanda por soluções Blockchain cresce exponencialmente. Entre os vários serviços que serão oferecidos por COSS.IO estarão: Carteira para múltiplas criptomoedas (Multi-currency Wallet); portal de pagamentos (Payment Gatway); Exchange/ câmbio de criptomoedas e tokens; Listagem de comerciantes; Feed de notícias; Rankings de capitalização de mercado e plataforma para smartphone.

         O foco do projeto é atender – principalmente – a um nicho de mercado que usualmente é deixado de lado pelas companhias consolidadas: os investidores não-profissionais, que ainda não detém muito conhecimento na área de ativos digitais em geral e por isso não compreendem como funcionam os processos de compra, armazenamento, uso e venda, o objetivo é oferecer a eles uma experiência inicial simples e positiva, para fidelizá-los como usuários regulares da plataforma.

         Conforme comunicado da equipe seu objetivo é o de unir todas as ferramentas de intercomunicação de criptomoedas em uma infraestrutura única, desenvolvida para tornar o processo de negociar com criptomoedas significativamente mais simples, tanto para os usuários quanto para os comerciantes. Isso eliminará atuais restrições e fará com que as transações com criptomoedas sejam mais fáceis e intuitivas, assim os usuários transacionarão criptomoedas tão bem quanto transacionam moeda Fiat.

         A lista detalhada com cada funcionalidade da plataforma pode ser encontrada no próprio whitepaper da plataforma, a plataforma já se encontra em fase BETA, deste modo o leitor poderá ter uma ideia de como funciona sua estrutura clicando aqui – Por se tratar de uma plataforma em fase BETA, muitas de suas ferramentas ainda estão inacessíveis ou podem conter algum tipo de defeito, no entanto é importante ressaltar que o investidor já conta com existência de um MVP – Produto Mínimo Viável – Além disso, os desenvolvedores asseguram que a plataforma passará por upgrades após o término da fase ICO, quando novas ferramentas serão adicionadas e eventuais problemas solucionados, eles planejam introduzir de 3 a 5 novas funcionalidades na plataforma a cada semestre.

 

Mercado está muito favorável…

         O mercado que a COSS.IO pretende atuar é um mercado que está crescendo muito rapidamente. A cada dia, mais pessoas estão interessadas em tecnologia Blockchain e criptomoedas e o crescimento foi ainda mais acelerado nos últimos seis meses. Desta forma a quantidade de players profissionais e amadores interessados pelo mercado vem aumentando expressivamente, de forma que a demanda por plataformas voltadas – principalmente – para a negociação e armazenamento de ativos digitais também acompanha este crescimento.

         No momento em que este artigo foi escrito, a capitalização total do mercado de criptomoedas já era de aproximadamente $ 153 bilhões de dólares, registrando volumes diários acima de $ 6 bilhões – segundo o site CoinMarketCap. O gráfico a seguir evidencia o explosivo crescimento no mercado de criptomoedas, intensificado nos últimos seis meses.

CoinMarketCap (27/08)

         Atualmente o ecossistema de criptomoedas conta com 856 moedas e 219 ativos digitais – Sendo que o banco de dados consultado, considera apenas os ativos listados em pelo menos, uma exchange e que possuam volume diário de negociação superior a zero.

 

Desenvolvimento e Roadmap…

Como está dando para perceber este será um projeto de larga escala, a equipe pensa grande e tem planos ambiciosos para o futuro. Veja de forma resumida a linha de desenvolvimento programada para a plataforma.

         FASE 01: A plataforma COSS.IO já conta com uma versão BETA desde Abril/2017, algumas funcionalidades já estão disponíveis na plataforma, enquanto outras estão visíveis – mas por ainda se tratar de uma versão BETA – ainda não estão acessíveis ao usuário. É notável o nível de capricho dos desenvolvedores quanto ao design da plataforma, que mesmo ainda estando em estágio inicial, transmite ao usuário uma boa impressão de como o serviço funcionará em fase plena. A criação da plataforma BETA, entre outras medidas, faz parte da fase 1 de acordo com o plano de desenvolvimento do projeto COSS.IO.

“Fase 01”

         FASE 02: Nesta etapa, será implementada a quantidade de serviços que serão disponibilizados aos usuários através da plataforma iniciando pelo: Programa de Afiliados, que nada mais é que um sistema de referências, em que usuários serão recompensados com taxas menores mais baixas, a medida que indicam a plataforma a outros usuários, uma vez feito isso – para fins de cálculo – o volume de transações de outros usuários é acrescentado ao volume das transações do usuário que os indicou e quanto maior for a soma alcaçada, menor será a taxa cobrada ao usuário que indicar pessoas para a plataforma. Observe o sistema abaixo:

  • 0 – 5,000 USD = 0.2% FEE;
  • 5,001 – 10,000 USD = 0.18% FEE;
  • 10,001 – 25,000 USD = 0.16% FEE;
  • 25,001 – 50,000 USD = 0.14% FEE;
  • 50,001 – 100,000 USD = 0.12% FEE;
  • 100,001 – 250,000 USD = 0.1% FEE;
  • 250,001 – 500,000 USD = 0.08% FEE;
  • 500,001 – 1,000,000 USD = 0.06% FEE;
  • 1,000,001 – Em diante = 0.04% FEE.

COSS “Fase 02”

         FASE 03: Esta provavelmente será a fase de implementação do projeto que será mais aguardada pela comunidade detentora de tokens COSS, nesta fase a plataforma implementará o Smart Contract as a Service (ScaaS) –  Que traduzido ao pé da letra significa: Contrato Inteligente como um serviço. Então, SCaaS será um seguimento de COSS.IO o qual permitirá que os negociantes da plataforma, criem e executem Smart Contracts (contratos inteligentes) em seus sistemas, de forma a simplificar e automatizar suas ações. Para isto, os desenvolvedores pretendem aplicar  DAO ao projeto, de forma a garantir máxima descentralização. Atualmente a plataforma é operada pela COSS Pte Ltd. registrada em Singapura, portanto centralizada.

COSS “Fase 03”

 

Leia também  Ouro ou Bitcoin? Ouro e Bitcoin

Aspectos Técnicos e Distribuição das Receitas…

         O servidor Proxy comunicará com as aplicações front-end, as quais serão baseadas em Angular2, VueJS e NodeJS. A comunicação será realizada através do protocolo HTTP2  e Web-Sockets. A Service Layer (camada de serviço) conterá e administrará as funcionalidades padrões como: SSO (Single-Sign-On), 2FA (Two-Factor-Authentication), o sistema de mensagens via e-mail, perfis de usuários, comerciantes, carteiras e a Exchange.

         Core Application: Será responsável pela intercomunicação e operação dos serviços oferecidos aos clientes, verificação e carteiras.

         O projeto COSS.IO oferecerá um método único de armazenamento de ativos digitais, que incluirá 3 níveis: Hot Wallets, Warm Wallets e Cold Wallets. Cada uma dessas formas de armazenamento é capaz de prover níveis diferentes de proteção , sendo que o “grosso” dos ativos em mantidos pela companhia estará armazenado através do método de Cold Wallet (o mais seguro), em computadores no escritório principal da empresa, que como foi dito antes é sediada em Singapura. Agindo desta forma a companhia pretende priorizar a segurança dos ativos em detrimento à agilidade das transações. Assim como muitas companhias grandes do ramo já o fazem o que conta pontos a COSS.IO no que diz respeito à segurança dos ativos.

         Exchange: O projeto irá implementar serviços de Exchange para criptomoedas, de forma a prover tanto pares de trocas  criptomoedas entre si, como também de criptomoedas para moedas Fiat. O sistema de trade será totalmente independente e separado dos outros sistemas oferecidos: “A Exchange COSS será baseada em um motor de trade customizado desenvolvido à parte, este sistema comunicará rapidamente com o servidor através de um API interno. Os trades serão feitos automaticamente, baseado nas ordens disponíveis na Exchange e tudo isso acontecerá em tempo real.”

         Um aspecto técnico muito importante – e anunciado para execução na FASE 03 do projeto – é a integração com o DAO (Decentralised Autonomous Organization). Este será o instrumento através do qual a plataforma COSS.IO realizará a distribuição de suas receitas entre os detentores de tokens COSS. O DAO será sustentado pelo pelos tokens COSS, criados através da plataforma Ethereum e comprovará os direitos de participação nas receitas geradas através pela atividades da COSS.IO. 50% da receita gerada pela plataforma será dividida entre os detentores de tokens.

         Tendo em mente que a introdução do protocolo DAO ao público – através do The DAO Project em 2016 – foi um desastre completo, os desenvolvedores de soluções que englobam este protocolo, estão mais atentos ao aspectos relativo à segurança. O desenvolvedores prometeram em breve pover uma auditoria de segurança aos códigos do DAO. Outro ponto positivo é o anúncio de um programa de recompensa para desenvolvedores que conseguirem encontrar falhas de segurança nos algoritmos DAO.

 

Inicialmente, a plataforma será capaz de gerar receita de três formas:

  • 1º – Taxa de saques: A plataforma usa esta taxa exclusivamente para financiar os custos de processamento das transações.
  • 2º – Taxas de transações da Exchange: As comissões pagas a Exchange irão variar de 0.04% até 0.2%, pagas por ambas as partes envolvidas nas transações. Este arranjo nas taxas assemelha-se ao praticado pela maioria das plataformas líderes de mercado atualmente. A taxa paga dependerá do montante transacionado em dólares. Se o montante for inferior a $5K a taxa será 0.2%. Se o montante for superior a $1Mil, a taxa será 0.04%. A metade da receita será destinada aos detentores de tokens, a outra metade será usada para operações e futuros desenvolvimentos para o projeto.
  • 3º – Portal de pagamentos: A plataforma de pagamentos irá cobrar com 0.75% de ambas as partes do montante da operação. E como no caso anterior, metade da receita gerada será utilizada nas necessidades da plataforma COSS.IO e a outra metade destinada aos detentores dos tokens.
Leia também  Banqueiro alemão alerta sobre o Bitcoin: "Objeto Especulativo"

         É difícil – pra não dizer impossível – quantificar quanto cada token COSS irá gerar de receita ao seu detentor, pois isto depende de incontáveis variáveis, tuamente são totalmente imprevisíveis. Entre as variáveis estão: O Marketshare que será ocupado pela plataforma, o nível de crescimento que o mercado apresentará no próximos meses ou anos (deve-se ressaltar que o crescimento explosivo do mercado torna estimativas obsoletas em questão de poucos meses, por exemplo: há quatro meses atrás o volume total de dólares transacionados pelo mercado de criptomoedas em apenas um dia girava em torno de $2,2 Bi, hoje este valor usualmente ultrapassa os $6 Bi, então não tentarei estimar valores pois muito provavelmente nãos serão acurados.

         De qualquer forma, certo é que se os desenvolvedores conseguirem oferecer um produto capaz de abocanhar somente 1% do market share global – O que sejamos honestos, não é fácil, mas também não é impossível – a receita gerada seria mais que o suficiente para manter os custos operacionais da plataforma e ainda gerar ótimos lucros para o detentor das tokens. Desta forma acredito que as taxas constituem receita suficiente para o mantenimento da plataforma, como resultado a estabilidade do projeto não dependerá dos fundos recebidos na fase ICO, sendo assim o risco de inviabilidade econômica do projeto reduz drasticamente.

         Para conhecimento, no momento em que este artigo foi escrito, o market share das exchanges por volume diário de transação, está configurado da seguinte forma: Bithumb 16%, Bittrex 10%, Poloniex 9%, OkCoin 7%, Bitfinex 7%, Huobi 6%, BitFlyer 6%, GDAX 3%, Kaken 3% e Coinbase 3%.

Venda de Tokens…

         A distribuição de Tokens COSS teve inicio em Julho de 2017, na ocasião, a plataforma lançou a primeira rodada de investimentos, um pré-ICO que durou 03 dias chamado de Fire-Swap, em que foram distribuídas 25.000.000 COSS tokens, o aporte mínimo necessário para participar da pré-ICO era a bagatela de 50 ETH, por investidor, hehe

         Mas não fique chateado, você ainda pode adquirir COSS tokens. Atualmente a plataforma está distribuindo tokens através de sua ICO a qual seguirá as regras abaixo listadas:

  • Início da ICO (Token Swap): 08 de Agosto de 2017
  • Período de duração: Até 06 de Setembro de 2017 (30 dias) – ou antes, se todos os tokens disponíveis forem vendidos antes.
  • Moeda: ETH (Ethereum) – O valor mínimo para investimento é 0.001 ETH
  • Total de tokens emitidos: 200.000.000 COSS tokens. 25.000.000 de COSS tokens foram vendidos durante o período de pré-ICO (Fire Swap). 130.000.000 de tokens COSS (65%), serão emitidos durante a fase ICO.
  • Preço dos tokens: 1 ETH = 300 COSS tokens. Os tokens COSS serão lançados e liberados para comercialização depois de 20 de Setembro de 2017 – Segundo o site ICOrating, após a referida data, o token será listado nas exchanges HitBTC, Poloniex, Bittrex, Livecoin e C-CEX.

 

Programação de Bônus:

  • Dia 01 – 05 = 15% de bonificação;
  • Dia 06 – 10 = 10% de bonificação;
  • Dia 11 – 15 = 8% de bonificação;
  • Dia 16 – 20 = 6% de bonificação;
  • Dia 21 – 25 = 4% de bonificação;
  • Dia 26 – 30 = Sem bonificação.

 

Distribuição dos tokens:

  • 65,0 % (130.000.000 COSS) serão distribuídos durante o ICO (Swap Phase);
  • 15,0 % (30.000.000 COSS) Equipe*, funcionários*, parceiros*, operações*;
  • 12,5% (25.000.000 COSS) vendido no pré-ICO com 25% – bônus (Fire Swap);
  • 5,0 % (10.000.000 COSS) CAP (Programa de Afiliados COSS);
  • 2,5 % (5.000.000 COSS) Acionistas* / Mesa diretora* / assessores**.

         *Tokens COSS destinadas aos desenvolvedores, funcionários, parceiros, acionistas e diretores, serão bloqueadas pelo período de 180 dias;

         **Tokens COSS destinadas à mesa de assessores serão bloqueadas por 90 dias.

 

Sistema de Garantia (Escrow System):

         Todos os ETH arrecadados durante a ICO, irão para uma carteira multi-assinaturas (multi-sig wallet) com 03 assinaturas. A liberação dos recursos em ETH  arrecadados pelo projeto, será gradual e respeitará a seguinte condição: 34% – despesas de 2018, 33% – despesas de 2019 e 33% – despesas de 2020.

Leia também  Dia 27/02/2018 - Análise Técnica Bitcoin/Dash/Dólar - Dash Dinheiro Digital

 

A Equipe de Desenvolvedores…

         Um dos pontos fortes que habilitam COSS.IO como um investimento em com potencial e ajuda a mitigar risco de fraude, é justamente a composição sólida da equipe de desenvolvedores e consultores. Trata-se de uma equipe não anônima de alto nível – inclusive muito ativa em suas redes sociais – ela é composta por 12 membros e 12 conselheiros, são profissionais de diferentes nacionalidades – Singapura, EUA e Romênia. Todas as informações necessárias estão detalhadas no próprio Whitepaper, inclusive com links que comprovam as credenciais e qualificações da equipe.

MEMBROS:

  • Dan Cearnau, Líder da Equipe e Co-fundador / LinkedIn
  • Ioana Frincu, Cordenadora / LinkedIn
  • Iulian Oprea, Especialista em Tecnologia / LinkedIn
  • Desmond Sieow, Administrador financeiro / LinkedIn
  • Rune Evensen, Visionário e Co-fundador / LinkedIn
  • Andrei Popescu, Administrado e Co-fundador / LinkedIn
  • Christopher Bridges, Compliance e Co-fundador / LinkedIn
  • Andras Kristof, Analista de Blockchain Corporativo / LinkedIn
  • Haarek Andreassen, Pesq. Especialista de Desenv. / LinkedIn
  • Eystein Lyche, Marketing / Não Possui LinkedIn
  • Fitro Hermawan, Experiência do Usuário / LinkedIn
  • Maria Popova, Gestora de Conteúdo / LinkedIn

 

ASSESSORES:

  • Stefan Neagu, Especialista em tecnologia Blockchain / LinkedIn
  • Mike Costache, Investimento Estratégico / LinkedIn
  • Tan Kin Song, Assessor Financeiro / Sem LinkedIn
  • Anson Zeall, Industria e Comunidade Blockchain / LinkedIn
  • John Bailon, Adoção do Ecossistema de Criptomoedas / LinkedIn
  • Miguel Cuneta, Ecossistema de Criptomoedas / LinkedIn
  • Ionut Scripcariu, Portal de Pagamentos e Sol. Cartão / LinkedIn
  • Christian Hagmann, Estratégia Corporativa / Sem LinkedIn
  • John Chrissoveloni, Ass. de Capital e Trading / Sem LinkedIn
  • Zach Piester, Investimento Estratégico / LinkedIn
  • David Zhou Yi, Assessor jurídico / LinkedIn
  • Peter Sundström, Tecnologias Disruptivas / LinkedIn

“- Devido ao nosso desejo levar as criptomoedas a adoção massiva do público, nós estamos ansiosos para aprender com experts que atuam em diversas áreas como: Mercados, TI, bancos, finanças, tecnologia, inovação e marketing. Não afirmamos saber tudo, mas nos fazemos as perguntas certas para as pessoas certas, trazendo ao usuário final, serviços que estejam além de suas expectativas.” – COSS.IO Team

 

A lista completa também pode ser visualizada aqui: https://coss.io/team

 

Conclusão

          Como sabemos todos os projetos com grau de investimento, estejam eles em fases iniciais ou não, sejam eles ICO’s ou IPO’s, carregam algum grau intrínseco de risco para o investidor. O nosso objetivo aqui é avaliar dentre inúmeras, quais são os projetos que apresentam maior chance de sucesso futuro, o que consequentemente se transformará em lucros para o investidor inicial.

          Com base nisso podemos concluir que o modelo de negócio adotado pelo projeto, aparentemente oferece um grau de risco pequeno, levando-se em consideração sua futura implementação, há de se ressaltar que isto é raro no ramo das startups, em que geralmente os riscos inerentes aos projetos costumam ser maiores. O risco do projeto não vir a ser concluído não está totalmente ausente, como em qualquer outra startup, no entanto, este risco aparenta ser significativamente menor se considerarmos que a plataforma já apresenta um MVP – Produto mínimo viável – através da apresentação de sua plataforma em versão BETA.

          Ainda existem outros riscos inerentes como: riscos de regulamentação do mercado do mercado criptomoedas – risco este que afeta praticamente todas as startups do ramo – e que pode potencialmente, restringir os planos de escalabilidade do negócio, outro, seria o risco de competição de mercado, uma vez que a concorrência no ramo é ferrenha e conseguir ganhar market share no terreno e tarefa difícil. Porém se tratando do gabarito dos profissionais envolvidos, podemos assumir que a equipe possui plena capacidade de entregar e promover uma plataforma capaz de competir por espaço, com as grandes companhias do mercado.

Fontes: (https://coss.io/; https://coss.io/documents/coss-whitepaper-v3.pdf; http://icorating.com/; http://icorating.com/project/127/COSS/rating; https://coinmarketcap.com/charts/; https://www.coinhills.com/market/exchange/;

Links úteis (COSS.IO):

-COSS.IO Website oficial : https://coss.io/

-COSS.IO Whitepaper: https://coss.io/documents/coss-whitepaper-v3.pdf

-Positive Review ICOrating: http://icorating.com/project/127/COSS

-Redes Sociais da Equipe COSS: Twitter, Facebook, LinkedIn e Slack.

-Responsável pela publicação: Gilson Oliveira (Bitcointalk: newgil / https://bitcointalk.org/index.php?action=profile;u=779152)

________________________________________________________________________________

Para mais notícias sobre Bitcoin, siga-nos em nossos canais:
loading...

ALERTA: Bug do Cloudflare pode ter afetado usuários de Bitcoin – altere já a sua senha

Em 17 de fevereiro, um pesquisador de segurança do Google descobriu um bug com a infraestrutura Cloudflare, uma empresa que muitas empresas bitcoin usam para proteção DoS e outros serviços. A…

0 Comentários

Novo malware de mineração é descoberto pela Kaspersky Labs: 2 milhões de computadores infectados

O malware existente na mineração de criptomoedas está em ritmo de infectar mais de 2 milhões de computadores em 2017, de acordo com uma nova análise dos dados de telemetria da…

1 Comente
Vai ficar de fora?
Inscreva-se agora e fique por dentro de todas as atualizações e dicas sobre cripto!

INSCREVER
close-link