“Satoshi” é preso por invadir servidores da Amazon e da Western Union

0 Comentários

Conforme relatado pelo canal de TV local ONT, a ciberpolicia da Bielorrússia, juntamente com o Federal Bureau of Investigation dos EUA (FBI), prendeu um hacker chamado Satoshi, que durante mais de 1 ano roubou dados pessoais de usuários de grandes empresas.

De acordo com a investigação, só nos EUA, Satoshi cometeu mais de 300 mil ataques cibernéticos a serviços bancários, sistemas de pagamento e lojas online, em especial, a Amazon e a Western Union foram atacadas.

Ele formou uma milionária base de dados das contas roubadas e vendeu-as a golpistas on-line a preços que variavam de 10 a 100 dólares. Transações fraudulentas no valor de US $ 5 milhões passaram por essas contas.

O hacker de 30 anos, vivia em Bobruisk com seus pais. Ele não tem formação superior e não trabalha. Sua renda proveniente de atividades ilegais nos últimos dois meses foi de cerca de US$ 60 mil, e em todo o período que cometeu os ataques, conseguiu arrecadar pelo menos um milhão de dólares. Ele gastou o dinheiro em boates, cassinos e serviços de acompanhantes.

Agora Satoshi pode pegar até dois anos de prisão. A investigação está à procura de cúmplices do cibercriminoso.

Leia mais: 3 criptomoedas para ficar de olho em maio de 2019

Escreva um comentário

Investir é especulativo. Ao investir seu capital está em risco. Este site não se destina a uso em jurisdições em que a negociação ou os investimentos descritos são proibidos e só devem ser usados por essas pessoas e de maneiras que sejam legalmente permitidas. Seu investimento pode não se qualificar para a proteção do investidor em seu país ou estado de residência, portanto, conduza sua própria devida diligência. Este site é gratuito para você usar, mas podemos receber comissões das empresas que apresentamos neste site. Clique aqui para obter mais informações.