Google atualiza política de proibição de anúncios de criptomoedas.

0 Comentários

O ano de 2017 foi marcado por  fortes sanções contra o de  . Empresas como , e Twitter proibiram a veiculação de qualquer anúncio pago relacionado às , ICO’s ou opções binárias.  Segundo as empresas, as proibições visavam proteger os usuários contra fraude e roubos.

A decisão das empresas foram tomadas em um momento de grande euforia do mercado de criptomoedas. Com um mercado capital que chegou aos  US$ 700 bilhões em janeiro de 2018, as criptomoedas criaram um ambiente ideal para proliferação de explosão de ICOs falsas e fraudes relacionados aos de criptomoedas.

O facebook foi o primeiro a revogar sua decisão. Em 26 de junho, a decisão de proibir completamente propagandas relacionados foi modificada.  Sobre a política de proibição, o Facebook Bussiness escreveu:

“Nos últimos meses, analisamos a melhor maneira de refinar essa política: permitir alguns anúncios e, ao mesmo tempo, trabalhar para garantir que eles sejam seguros. Portanto, a partir de 26 de junho, atualizaremos nossa política para permitir anúncios que promovam criptomoedas e conteúdo relacionado de anunciantes pré-aprovados. Mas continuaremos a proibir anúncios que promovam opções binárias e ofertas iniciais de moedas.”

A atualização da política de proibição agora veio do Google. O gigante de tecnologia anunciou em um comunicado oficial na terça-feira, 25 de setembro, sua nova posição.  De acordo com o anúncio oficial, a partir de outubro, o Google permitirá que as exchanges de criptomoedas registradas anunciem em sua plataforma do Google Adwords.

Leia também  Agencia de noticias alerta: O aumento de preços do Bitcoin é o inicio de um "Período Inflacionário"

A política atualizada se aplica a anunciantes em todo o mundo, embora os anúncios só possam ser exibidos nos e no Japão. Os interessados devem solicitar certificação e permissões para vincular os anúncios em cada país individualmente. O anúncio diz:

  “Os anunciantes precisarão ser certificados pelo Google para o país específico em que seus anúncios serão veiculados. Os anunciantes poderão solicitar a certificação quando a apólice for lançada em outubro. ”